Voto útil do anti-rosalbista embala reta final da campanha de Tião

img_5910

Para os rosalbistas, a ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) é um ser mítico, infalível, quase uma divindidade. Inatacável, incapaz de realizar algo que seja contra o povo. A passagem negativa dela pelo governo é fruto de uma trama dos natalenses que odeiam Mossoró por inveja por não ter alguém tão perfeita para liderar os rumos da sociedade.

É uma visão fanática que provoca antipatia dos que possuem o mínimo de bom senso. A encheção de saco nas redes sociais de quem adota esse discurso provoca um efeito contrário. Cria o anti-rosalbismo que se reforça ainda mais quando temas como o Hospital da Mulher, as maquetes do Teatro Lauro Monte e Estádio Nogueirão e tantos outros assuntos vêm à tona.

O anti-rosalbismo com suas peculiaridades se assemelha ao anti-petismo. Alguns petistas, pelo discurso igualmente fanático, geram mais antipatia que simpatia por parte das pessoas de bom senso.

É nesse embalo que o candidato Tião Couto (PSDB) pode reforçar a votação dele. Muita gente propensa a tomar outros rumos nas urnas pode rever a decisão nas próximas 48 horas e votar no tucano com  o objetivo de derrotar a “Rosa de Mossoró”. Guardada as devidas proporções foi isso que aconteceu com Henrique Alves (PMDB) nas eleições para o Governo do Estado em 2014. Foi um sentimento “anti”que também levou as ruas milhões de pessoas para derrubar Dilma Rousseff.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter