Erros e acertos dos candidatos na campanha para o Governo

Entramos na reta final das eleições no Rio Grande do Norte. Até aqui a disputa para o Governo do Estado teve pouca mobilidade na média das pesquisas (ver AQUI). Se um cresce todos crescem se um cai todos caem mantendo uma proporcionalidade nas distâncias que deixa uma grande dúvida: Fátima Bezerra (PT) vence no primeiro turno?

Por enquanto o quadro segue dentro da margem de erro na maioria das pesquisas.

Mas o que levou a campanha a ter tão pouca mobilidade entre os candidatos? Quais são os erros e acertos entre os três principais candidatos?

A seguir o Blog do Barreto aponta os acertos e os erros da campanha de cada um deles e o que eles podem fazer para corrigir o rumo da campanha na reta final da caça ao voto.

 

Fátima Bezerra

Acertos: ela tem feito campanha seguindo o manual do líder nas pesquisas. Poucos ataques a adversários, propostas e o discurso “Fatinha paz e amor”.

Erros: A campanha deu margem para o surgimento de fatos negativos como o caso do plágio do programa de governo, ausência no debate da UERN e o caso dos panfletos com o ex-presidente Lula ainda como candidato.

Sugestão: manter o estilo paz e amor que lhe manteve com razoável vantagem ao longo do pleito e intensificar as mobilizações de rua para tentar vencer no primeiro turno.

Carlos Eduardo Alves

Acertos: tem focado a campanha na fama de bom gestor como prefeito de Natal e na experiência.

Erros: deixou transpor a conhecida arrogância do candidato, a ausência nos debates da UERN e Ponta Negra e o distanciamento da imprensa. Além de se confiar demais na transferência de votos dos aliados no interior. A perda de tempo em ataques contra Robinson que tem escassas chances de segundo turno.

Sugestão: ser mais presente no interior do Estado onde tem baixo desempenho e apontar a falta de experiência em cargos executivos da principal adversária, Fátima Bezerra.

 

Robinson Faria

Acertos: no geral Robinson se defendeu bem. O problema é que o Governo dele perdeu credibilidade junto aos potiguares. O horário eleitoral do candidato é impecável do ponto de vista técnico.

Erros: a constante ausência nos debates, o uso de informações duvidosas contra adversários e as medidas desesperadas como demonstração de simpatia a Jair Bolsonaro.

Sugestão: tentar mostrar que é menos ruim que seus principais adversários e reforçar a luta pelo voto em Natal em Mossoró onde tem extrema dificuldade.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter

Canal Bruno Barreto