Aliança gerou oscilação para Fátima e crescimento para Carlos Eduardo (Fotomontagem: reprodução)

Números mostram que Carlos Eduardo cresceu após aliança com PT. Fátima oscila

Oficialmente o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) passou a condição de “senador de Fátima” em 5 de fevereiro quando declarou à Tribuna do Norte ser possível uma aliança com a governadora com ele candidato a Alta Câmara na vaga atualmente ocupada por Jean Paul Prates (PT).

Na oportunidade ele fez autocrítica do apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno de 2018, reforçou o voto em Ciro Gomes para presidente e passou a contar com o endosso público do chefe do gabinete civil do Governo do RN Raimundo Alves.

Dois dias depois foi divulgada uma pesquisa do Instituto Seta com Carlos Eduardo tendo 20% de intenção de votos para o Senado (ver AQUI). Fátima Bezerra tinha 38% (ver AQUI). Frise-se que estes números foram colhidos antes da declaração de Carlos.

No início de abril em pesquisa do mesmo instituto Carlos já tinha 27,7% e 28% a depender do cenário (ver AQUI). Enquanto Fátima reduziu para 32% (ver AQUI).

Já na pesquisa do dia 6 de maio o cenário se consolidou com Carlos Eduardo liderando com variação numérica positiva chegando a 29% (ver AQUI) e Fátima com oscilação positiva dentro da margem de erro chegando a 34% (ver AQUI).

Em novembro foi divulgada uma pesquisa Seta sem incluir Carlos para o Senado. Nela Fátima tinha 33% (ver AQUI) em um cenário em que ainda enfrentava o pedetista. Antes, em agosto, quando não havia muitas informações sobre a aproximação entre PT e PDT no RN, o ex-prefeito de Natal tinha apenas 14% (ver AQUI) de intenção de votos para o Senado e Fátima 32% para o Governo (ver AQUI).

Confira a tabela abaixo (em negrito os números após a aliança PT/PDT).

Fátima Agosto Novembro Fevereiro Abril Maio
Pesquisa Seta* 32% 33% 38% 32% 34%

*Números para o Governo

Pesquisa Seta¨* Agosto Novembro Fevereiro Abril Maio
Pesquisa Seta 14% 20% 28% 29

*Números para o Senado

A síntese com base na série histórica do Instituto Seta é que a aliança fez Carlos Eduardo mudar de patamar na corrida ao Senado enquanto Fátima teve uma queda fora dos limites da margem de arro, interrompendo um indicativo de ascensão apresentado em fevereiro, e agora apresenta uma tímida recuperação, o que indica que a aliança pesou mais negativamente para a petista.

Obs.: para melhor compreensão do leitor trabalhamos com números arredondados.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter