Categorias
Matéria

PT e PDT do RN num “beco sem saída”

Por Ney Lopes*

O TSE vetou a possibilidade da criação de uma coligação para o cargo de governador e outra diferente para o cargo de senador.

Ou seja, partidos coligados para concorrer ao governo do estado não podem fazer outra aliança para o cargo de senador.

A decisão veda a possibilidade do PT e PSB no Rio Grande do Norte se unirem para disputar a vaga de governador, formando simultaneamente coligações distintas para concorrer ao Senado Federal.

Carlos Eduardo e Rafael Mota, querendo,  serão candidatos “isolados” para o senado, pelo PDT e PSB, respectivamente.

A possível coligação para governador não poderá abrigar os dois.

Foi confirmada a possibilidade de uma agremiação, sem integrar qualquer coligação, lançar candidata ou candidato ao cargo de senador individualmente.

Possivelmente, essa será a opção do PSB-RN, caso Rafael Mota mantenha a sua candidatura.

Do ponto de vista objetivo, o entendimento do TSE mantém Carlos Eduardo e Rafael Motta na disputa, em palanques separados.

Entretanto, o PT-RN enfrentará verdadeiro “beco sem saída”, tanto pela dificuldade de ter os apoios do PDT e PSB, com candidatos diferentes ao senado, quanto pelo fato de que Carlos Eduardo vota e defende o candidato Ciro Gomes, opositor ferrenho de Lula.

Há correntes jurídica, que apontam “beco sem saída” também para o PDT-RN, embora se saiba que a Emenda Constitucional 52/2006 acabou com a obrigação que os partidos tinham de manter a mesma coligação feita para a disputa presidencial nos estados.

Todavia, se o partido se coliga na mesma região eleitoral – o caso do PDT e PT no RN – haveria obrigatoriedade em relação aos apoios idênticos à presidente, governador e senador?

Caos prevaleça essa tese, como Carlos Eduardo se manteria no apoio a Ciro Gomes?

Mesmo que, ao final, Carlos Eduardo e Rafael Mota continuem candidatos por suas respectivas legendas existirão dificuldades políticas durante a campanha.

Ficará dificil Fátima participar de eventos políticos com Rafael Mota, que não é candidato em sua coligação.

Rafael fará campanha sozinho, sem acesso direto à base da governadora que ele apoiaria?

E Fátima mantendo apoio a Carlos Eduardo perderia votos na ala do PSB e outros partidos que apoiam Rafael?

O “racha” de votos entre Carlos Eduardo e Rafael Motta aumentaria “abstenção”, iria para Rogério Marinho ou para outros candidatos?

Um fato parece claríssimo: Rogério Marinho não terá o apoio de votos petistas, ou socialistas descontentes. Irá manter-se no patamar atual, caso já tenha esgotado a simpatia do bloco bolsonarista ao seu nome.

O que se prevê é que “aumente” o percentual de votos indecisos para o senado, hoje em torno de 50%.

Ao eleitor parecerá um “arrumadinho”, envolvendo conveniências e possíveis vantagens às escondidas.

A conclusão é que a decisão do TSE mexeu com a política potiguar.

A palavra “coerência” passou a ser fundamental na escolha que o eleitor fará para votar em nome para o senado.

Hoje não há ninguém eleito.

Nem ao menos, provável eleito.

Tudo é ainda incógnita.

Vejamos os desdobramentos.

*É jornalista, advogado e ex-deputado federal – nl@neylopes.com.br

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

 

Categorias
Matéria

Foro de Moscow 22 jun 2022 – Fátima pode ter dois candidatos ao Senado?

Categorias
Matéria

Rafael Motta recebe apoio de 15 dos 17 vereadores de São Gonçalo

 

Dos 17 vereadores com mandato na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, 15 fecharam apoio ao projeto de Rafael Motta para o Senado Federal, nesta segunda-feira (20), em encontro realizado no município.

“Essa aliança consolida o trabalho que tem sido feito pelo mandato de forma muito democrática e aberta com todas as lideranças do Estado. Fico muito feliz que os vereadores de São Gonçalo tenham compreendido isso e acreditem no nosso projeto, o que nos deixa ainda mais gratos e motivados. Fui vereador e sei muito bem qual é a importância dessa manifestação”, disse Rafael.

Confirmaram apoio a presidente da Casa, Valda Siqueira (PL), e os vereadores Aninha Siqueira (PSB), Flávio Henrique (PL), Rayure Protásio (PL), Nonato Queiroz (PROS), Clóvis Júnior (PMN), Régia (PROS), Elaine Dantas (PSB), Nazareno Tavares (PSB), Tarcísio Fernandes (PSB), Márcia Soares (MDB), Geraldo Veríssimo (MDB), Edson Valban (PT), Thiago Soares (PSC) e Carlinhos de Serrinha (PSC).

 

Categorias
Matéria

Motta responde a Fátima e nega que candidatura ajude Marinho

À Tribuna do Norte o deputado federal Rafael Motta (PSB) respondeu que segue candidato ao Senado mesmo com a recomendação da governadora Fátima Bezerra (PT) para que seja candidato a reeleição.

Ele reagiu as falas da petista que disse que sua candidatura era extemporânea, porém legítima, beneficiando o ex-ministro Rogério Marinho (PL).

“Estou certo de que uma terceira candidatura para o Senado não beneficia alguém em particular, mas sim toda a população”, respondeu. “Mais de 50% dos eleitores potiguares já manifestaram que não têm intenção de votar nos nomes postos. As pesquisas mostram que, apesar de serem candidatos há meses, os outros nomes estão estagnados, sem perspectiva de crescimento”, completou.

O pessebista lembrou que não há candidatura ao Senado identificada com a chapa Lula-Alckmin e que ele procura ocupar esse vácuo. “Não se tem uma candidatura alinhada com a chapa Lula-Alckmin aqui, mesmo ela tendo a preferência do povo do RN na corrida presidencial”, frisou.

Motta reforçou ainda a manutenção ao apoio a governadora que tenta a reeleição. “A minha pré-candidatura ao Senado não subtrai, em especial no projeto da governadora Fátima Bezerra, que é minha amiga antes de tudo. Não creio que ela pedirá para as pessoas não votarem em mim. Pelo contrário: o objetivo é somar no projeto dela, no projeto da chapa Lula-Alckmin e no propósito de manter a cadeira que foi da governadora e hoje é ocupada pelo senador Jean Paul com alguém que tenha o mesmo pensamento ideológico”, avaliou.

O deputado Rafael Motta vai ocupando o vácuo não só entre os eleitores progressistas, mas também entre políticos da base de Fátima que não aceitam o nome de Carlos Eduardo Alves (PDT).

Categorias
Matéria

Presidente do PV recua de apoio a Rafael Motta

O presidente estadual do Partido Verde (PV), o vereador de Natal Milklei Leite, publicou nota nas redes sociais em que nega que a agremiação que dirige esteja fechada com o deputado federal Rafael Motta (PSB) na disputa pelo Senado.

Após dizer que o apoio a Motta seria uma “solução neutra” ele disse que as notícias sobre o tema são “intepretações” dos jornalistas.

“Quero aqui esclarecer algumas notícias que estão sendo publicadas na imprensa sobre um possível apoio do Partido Verde a pré-candidatura ao Senado do deputado Federal Rafael Motta. É importante deixar bem claro que devemos distinguir o que é fato, do que é opinião jornalística”, argumentou.

Ele garantiu que o encontro com Motta ficou dentro da normalidade e sem fechamento de aliança. “Meu encontro em Brasília com Rafael Motta aconteceu de forma muito tranquila, uma vez que ele é Deputado Federal do nosso Estado, e com ele fui buscar recursos Federais para trazer melhorias para a Zona Norte de Natal. Na ocasião conversamos sobre o cenário político em nosso Estado, como todos os políticos fazem normalmente”, destacou.

O líder pevista disse que o fechamento do apoio ao Senado será discutido dentro da federação que forma com PT e PC do B. “Outro fato importante é lembrar que o Partido Verde é movido pela democracia, e diante do crescimento que aconteceu com nosso Partido, é muito natural ouvir os novos filiados e parlamentares. Teremos uma discussão partidária de forma ampla para deliberar democraticamente sobre qual nome o partido defenderá dentro da Federação Brasil da Esperança para a candidatura ao Senado no Rio Grande do Norte. Deixamos bem claro que em nenhum momento o Partido Verde fechou apoio ao Senado para o pré-candidato Rafael Motta”, garantiu.

Categorias
Matéria

PV vai de Motta

O presidente do Partido Verde no Rio Grande do Norte, o vereador de Natal Milkei Leite, divulgou indicou nas redes sociais que vai apoiar o deputado federal Rafael Motta (PSB) para o Senado.

Diz Milklei:

Ainda em Brasília aproveitamos a oportunidade para nos reunir com o Deputado Federal Rafael Motta para tratar das demandas da cidade, em especial sobre a pavimentação das ruas do Loteamento Jardim Progresso e Parque dos Coqueiros, que são obras grandes e requererem recursos federais para serem feitas de forma integral. Queremos agradecer a acolhida no seu gabinete e a disposição para ouvir nossas solicitações.

Na mesma oportunidade também conversamos sobre o cenário político que vem se desenhando no Estado, diante de tudo que conversamos, queremos dizer que a recíproca é verdadeira e estaremos juntos buscando soluções para a população do Rio Grande do Norte. 🤝

Ao Blog de Thaísa Galvão o pevista foi mais objetivo e justificou porque vai de Motta por ser um nome leve. “Não reflete bem a posição do povo (em referência aos nomes de Carlos Eduardo Alves e Rogério Marinho), e uma terceira opção neutra como a de Rafael, resgatará os votos dos indecisos e principalmente da juventude”, justificou.

Três (George Soares, Hermano Morais e Eudiane Macedo) dos quatro deputados estaduais do PV (exceto Vivaldo Costa) aprofundaram a aproximação com a pré-candidatura de Rafael Motta.

Categorias
Matéria

Jaime Calado cobra voto de Carlos Eduardo em Lula

Em entrevista a 96 FM de Natal o ex-secretário do desenvolvimento econômico Jaime Calado (Republicanos) cobrou coerência ao ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) que vota em Ciro Gomes (PDT) para presidente e não declara apoio a Lula (PT) na corrida presidencial.

“O inconveniente de Carlos Eduardo e eu disse a governadora. O eleitor de Lula vai se sentir incomodado. Como você quer o voto de Lula e você vai para um palanque dizer que não vota em Lula? Isso incomoda sim”, questionou.

Jaime revelou que chegou a sugerir que Carlos fosse para um partido aliado de Lula. “Eu disse: ‘Governadora diga a Carlos Eduardo que venha para um partido que apoia o presidente Lula’. Como você quer o voto de Lula e não vota em Lula?”, questionou.

Jaime defende a candidatura do deputado federal Rafael Motta (PSB) ao Senado e falou que é uma queixa antiga dos dois aliados. “Eu lá atrás fui procurado por Rafael que tinha a mesma queixa que nós do PROS (partido de Jaime na época) tínhamos. Raimundo Alves (chefe de gabinete civil) na época deu uma entrevista e não citou nem o PROS, nem o PSB nem o Partido Verde. Era como se não existisse. Eu vi que ele tinha razão e fomos a governadora e propomos: ‘é legítimo a senhora atrair outras forças, política se faz somando mesmo e é importante que sejam atendidos os aliados. Nós nos sentiríamos atendidos se o PSB fosse convidado para o Senado ou o PROS para vice’. A proposta inicial era pedir as duas coisas, mas reconhecemos que não temos força para isso”, declarou.

O ex-secretário alertou que o impasse atual poderia acontecer. “Eu disse: ‘vai aparecer alguém que ninguém está esperando que vai dizer ‘‘meu candidato é Lula’’”. Uma boa parte dos eleitores vai migrar para este candidato e pode ‘descompletar’ a eleição dele e botar Rogério Marinho sentado lá no Senado”, destacou acrescentando que teria aceitado Carlos Eduardo no PROS.

Carlos Eduardo

Ontem em conversa na 98 FM de Natal, Carlos Eduardo reforçou que vota em Ciro, mas que Lula vindo ao Rio Grande do Norte vai recepcioná-lo no aeroporto e se abster de participar de atos de campanha.

Categorias
Análise

Quem mais ganha com candidatura de Rafael Motta ao Senado não é Rogério. Entenda a história

Quando o deputado federal Rafael Motta (PSB) se lançou candidato ao Senado logo surgiu a tese de que ele candidato atrapalharia o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) beneficiando o ex-ministro Rogério Marinho (PL).

Pode ser que sim, pode ser que não.

Nas outras pesquisas em que Motta foi incluído o pessebista sempre ficou na faixa dos cinco pontos percentuais e Carlos liderou a maior parte delas.

No curto prazo não prejudica. Talvez no longo prazo sim, mas sem necessariamente beneficiar Rogério. Tanto que o ex-ministro “comemorou” a entrada de Motta sonhando com um veto no governismo.

Motta está de olho nos mais de 40% de indecisos que nem Rogério nem Carlos Eduardo agradam.

Logo o maior beneficiado com a saída do pessebista está longe das manchetes: Henrique Alves. O ex-presidente da Câmara dos Deputados ficaria livre para ser o mais votado do PSB e conquistar o 12º mandato no Congresso Nacional.

Categorias
Matéria

Rafael Motta ironiza declaração de apoio de Carlos Eduardo a Fátima

O deputado federal Rafael Motta (PSB), pré-candidato ao Senado, ironizou a notícia de que o PDT oficializou apoio a reeleição de Fátima Bezerra (PT).

A manifestação foi no Twitter:

Fico feliz que o PDT tenha enfim vindo pro lado onde o PSB já está desde 2018. Que tenha entendido que o governo do PT é melhor para o RN do que o do PDT poderia ser. Espero que esse apoio não seja circunstancial. Sigo no diálogo com as pessoas, para manter a coerência no Senado.

Motta se colocou ao Senado apostando no eleitor de Lula que não quer votar em Carlos Eduardo e no grande número de indecisos em relação ao voto para o Senado.

Categorias
Matéria

Pablo Aires tenta reverter veto do executivo a emendas impositivas para associações na LDO

O vereador Pablo Aires (PSB) fez 11 modificações à proposta enviada pela Prefeitura de Mossoró, da Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano de 2023 e entre as modificações está a retirada da restrição imposta aos vereadores, para a destinação das emendas impositivas, retirando a entrega de recursos para Associações da cidade de Mossoró.

Em 2021 Pablo e os vereadores que compõem a base de oposição na Câmara entraram na Justiça e obtiveram o direito para que todos os vereadores possam destinar recursos para instituições públicas e entidades do terceiro setor, devidamente regularizadas, através das emendas impositivas. Um fato inédito na história da Câmara Municipal de Mossoró.

“Estamos diante de um Projeto de Lei Orçamentária novamente inconstitucional. A Prefeitura repete o mesmo erro do último Orçamento Municipal de 2022 que teve de ser refeito neste ano a pedido da Justiça, pois violava a autonomia dos vereadores. Além disso, essa restrição colocada pela Prefeitura prejudica o repasse de recursos dos vereadores para as Ongs e Associações, que  tanto precisam desses recursos e nós queremos derrubar essa restrição”, ressalta Pablo Aires.

Nas sessões desta semana na CMM a propostas de alterações a LDO enviadas pela Prefeitura foram lidas e tornadas públicas. O vereador Pablo Aires explanou sobre o assunto na sessão desta quarta-feira (11) e também notificou a Presidência oficialmente sobre os erros. O próximo passo será o envio das emendas modificativas à LDO para que passem pelo crivo de votação da Comissão de Finanças da Câmara Municipal.