Rafael Motta contraria lógica dos políticos de famílias tradicionais

Deputado age diferente de outros políticos tradicionais (Foto: Arquivo/Blog do Barreto)

O deputado federal Rafael Motta (PSB) é filho e neto de ex-presidentes da Assembleia Legislativa (Ricardo e Clóvis Motta). Está inserido dentro do contexto das tradicionais famílias políticas do Estado.

No entanto, na hora de votar ele contraria a lógica de outros membros das famílias tradicionais da política potiguar como Fábio Faria (PSD), João Maia (PL), Walter Alves (MDB) e Beto Rosado (PP) cujos sobrenomes dispensam apresentações.

O quarteto tem votado com firmeza pela retirada de direitos dos trabalhadores e retrocessos no estado de bem-estar social.

Já Motta vota alinhado com os interesses da classe trabalhadora. Foi assim que ele se posicionou contra as reformas trabalhista e da previdência. Ele também se posicionou contra a lei das terceirizações.

Mais recentemente, Motta foi contra a Medida Provisória, conhecida como “MP da Liberdade Econômica”.

Compartilhe:

Confira quem são os deputados do RN que votaram a favor de você trabalhar domingos e feriados sem direito a receber hora extra

Ontem a Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória 881/19, conhecida como “MP da Liberdade Econômica”. A votação do texto-base foi um massacre: 345 x 76 a favor da proposta.

Um dos pontos polêmicos é a permissão para o trabalho aos domingos e feriados sem obrigatoriedade de pagamento em dobro de horas extras que podem ser trocadas por folgas em outro dia da semana.

Da bancada do Rio Grande do Norte votaram a favor: Fábio Faria (PSD), Walter Alves (MDB), Beto Rosado (PP), Benes Leocádio (PRB) e João Maia (PL).

Entre os representantes do RN apenas Natália Bonavides (PT) e Rafael Motta (PSB) ficaram contra a medida.

O deputado General Girão (PSL), que se recupera de uma cirurgia cardíaca, faltou a votação, mas se estivesse votaria a favor da proposta.

Compartilhe:

Deputado destina R$ 1 milhão para saúde em Mossoró

Deputado destina recursos para a saúde municipal (Foto: cedida)

O deputado federal Benes Leocádio (PRB) destinou emendas no total de R$  1.066.000.00 para a saúde pública de Mossoró. Os recursos, oriundos do Fundo Nacional de Saúde, foram formalmente garantidos pelo deputado durante cumprimento de agenda na cidade de Mossoró nesta sexta-feira (9).

Pelas emendas, serão contempladas a Liga Contra o Câncer, com R$ 316.000,00, o Hospital Maternidade Almeida Castro, com R$ 450.000,00 e a Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró, com R$ 300.000,00. Os recursos foram assegurados em reunião com a Secretária Municipal de Saúde, Maria da Saudade Azevedo, a diretora da Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e a Infância (Apamim), Larizza Queiroz e o diretor da Liga Contra do Câncer, Paulo Henrique Monte.

Para Benes, estas entidades filantrópicas de saúde cumprem um papel essencial de apoio à rede pública de saúde. “São entidades reconhecidas e que prestam serviços essenciais à população. Estamos, ainda no primeiro ano de nosso mandato, assegurando recursos para reforçar a saúde pública de Mossoró e do oeste potiguar. Os valores já se encontram na conta da Prefeitura Municipal de Mossoró, não tenho dúvidas da importância desses investimentos para a cidade e para as entidades contempladas, que poderão melhorar os serviços ofertados”, declarou Benes.

“Em nome do município e da Prefeitura de Mossoró , agradeço a sensibilidade do deputado Benes Leocádio por essas três emendas destinadas à nossa cidade. Esses recursos são muito bem-vindos e vem reforçar os serviços de saúde pública ofertados em nossa cidade”, declarou Maria da Saudade, Secretária Municipal de Saúde de Mossoró.

Compartilhe:

Deputado assume presidência de comissão na Câmara

João Maia assume comando de comissão (Foto: Assessoria)

O deputado federal João Maia (PL/RN) foi eleito, na tarde desta terça-feira (06), para a presidência da Comissão Especial da Câmara dos Deputados, destinada a elaborar o novo marco legal referente às Parcerias Público-Privadas, concessões públicas e fundos de investimentos em infraestrutura.

Em suas mídias sociais, o deputado fez a seguinte declaração: “Firme no trabalho para a geração de emprego e renda e com fé que não decepcionarei o povo do RN e do Brasil”, disse o parlamentar.

O parlamentar foi mais uma vez é escolhido para presidir uma importante comissão. Em março assumiu a presidir a Comissão de Defesa do Consumidor na Câmara Federal. No mês passado João Maia assumiu a titularidade da Comissão Especial da Reforma Tributária.

Compartilhe:

Confira como votaram os deputados do RN na reforma da previdência

Por 6×2, bancada do RN endossa reforma (Foto: montagem/Blog do Barreto)

Os oito deputados federais do Rio Grande do Norte estiveram presentes na votação da reforma da previdência. O placar foi de 6×2.

Votaram sim:

General Girão (PSL);

Beto Rosado (PP);

Fábio Faria (PSD);

Benes Leocádio (PRB);

Walter Alves (MDB);

João Maia (PL).

Votaram não:

Natália Bonavides (PT);

Rafael Motta (PSB).

 

Compartilhe:

Sebrae apresenta projetos para bancada federal

Zeca Melo apresenta dados (Foto: Moraes Neto)

Agência Sebrae

O Sebrae no Rio Grande do Norte reuniu pela primeira vez a bancada federal para apresentar um panorama do segmento das micro e pequenas empresas noestado, na manhã desta sexta-feira (02), na sede da instituição, em Natal. Foram mostrados números que comprovam a força do segmento na economia potiguar. Dirigentes da Instituição ratificaram o papel do Sebrae de dar suporte técnico àqueles que estão iniciando um negócio ou que já possuem e pretendem desenvolvê-lo.

Ao longo do ano passado, foram realizados mais de 102 mil atendimentos a empresários, potenciais empreendedores e estudantes do estado. Nesse intervalo, foram feitas 98,3 mil orientações técnicas e promovidos 1.328 cursos, 1712 palestras e 748 oficinas. Somente na área de consultoria, o Sebrae realizou quase 229 mil horas de consultoria para melhorar o desempenho e a competitividade de pequenos negócios instalados no estado.

Os números foram apresentados pelos dirigentes da Instituição, composto pelo presidente do Conselho Deliberativo Estadual (CDE), Marcelo Fernandes de Queiroz, e pelos diretores José Ferreira de Melo Neto (superintendente), João Hélio Cavalcanti (técnico) e Marcelo Toscano (Operações), que formam a diretoria executiva. Marcelo Queiroz enfatizou a importância do apoio ao segmento das micro e pequenas empresas, e reiterou que à frente do Conselho do Sebrae e da presidência do Sistema Fecomércio continuará buscando o apoio da bancada federal nos projetos que buscam a melhoria do ambiente favorável aos pequenos negócios.

Participaram do encontro os senadores Jean Paul Prates e Zenaide Maia, assim como os deputados federais Fábio Faria, Natália Bonavides, Walter Alves, João Maia e Benes Leocádio. O encontro ocorreu no salão de eventos do Sebrae.

A deputada Zenaide Maia parabenizou o Sebrae pela iniciativa de mostrar a força dos pequenos negócios, dando visibilidade ao segmento das micro e pequenas empresas com dados de geração de emprego e renda. “Não é o governo, nem o estado que gera emprego. Mas é quem viabiliza, dando a segurança pública e segurança hídrica, por exemplo. O Sistema S quando educa, gera emprega e renda. O Sebrae orienta o empreendedor que muitas vezes não sabe nem como abrir o seu pequeno negócio”, afirma.

Reformas

Moraes Neto

Marcelo Queiroz falou aos parlamentares da bancada federalMarcelo Queiroz falou aos parlamentares da bancada federal

Já a deputada Natália Bonavides acredita que na atual conjuntura econômica do Brasil, as micro e pequenas empresas têm um papel fundamental na retomada do crescimento econômico. “No debate da reforma tributária, podemos fazer eventos para debater a proposta, porque o grande objetivo desta reforma é que ela seja justa e dê um tratamento diferenciado para as pequenas empresas”, declarou a parlamentar.

O deputado João Maia pensa de maneira semelhante e não vê ajuste fiscal ou reforma  dissociados de crescimento econômico. “A ideia da reforma tributária é simplificar impostos, pois temos 27 legislações de ICMS, ISS e tantos outros impostos. A gente precisa ver esta questão do segmento da micro e pequena empresa dentro deste contexto da simplificação. Temos que nos debruçar em alternativas inteligentes para que a gente preserve o que é fundamental”.

Sobre a recente sanção da Lei Geral em Natal e os preparativos para a votação da lei estadual, o senador Jean Paul Prates, que é vice-presidente da Frente Parlamentar das Micro e Pequenas Empresas, acredita que legislação pode virar um sistema de incentivos para os pequenos negócios. “Destaco a importância da revitalização das ferrovias para fortalecer a economia nacional”, sugeriu.

Crescimento econômico

Após a apresentação dos números proporcionados pelo segmento dos pequenos negócios no Rio Grande do Norte, o deputado Fábio Faria avaliou que o ambiente no Rio Grande do Norte é muito hostil para o empreendedor.  O parlamentar lembrou de um grupo genuinamente potiguar do setor de confecções que já ofereceu 18 mil empregos e atualmente resume-se a 7 mil postos de trabalho. “A reforma tributária é, além da Previdência, um outro projeto muito importante para o Brasil. Precisamos melhorar o ambiente econômico para o investidor, destravando as coisas que inibem a geração do emprego, recuperando quase 14 milhões de vagas”.

O Deputado Benes Leocádio sugeriu uma ampla discussão para buscar a retomada dos níveis de emprego, contando com o Sebrae e as federações da indústria, do comércio, da agricultura e outros agentes de desenvolvimento econômico. “Acredito que há uma recuperação possível de se alcançar e reverter essa situação. Proponho que possamos discutir com cada segmento sobre as suas expectativas e potencial de geração de emprego. Vamos mudar essa realidade do Rio Grande do Norte com os pequenos municípios, principalmente”, afirma Benes.

Compartilhe:

Senadores do RN definem posição sobre indicação de filho de Bolsonaro para embaixada

Os senadores do Rio Grande do Norte estão fechados em votar contra a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos.

A indicação do filho do presidente para a embaixada tem sido muito criticada pela imprensa por ser vista como uma imoralidade.

As indicações de embaixadores precisam passar pela chancela do Senado. São raras as vezes que alguém de fora da carreira diplomática é indicado para assumir o posto. Mais raro ainda é alguém ser rejeitado na Alta Câmara.

Ao Blog do Barreto o senador Jean Paul Prates (PT) declarou:

“A não ser que tragam novidades MUITO convincentes quanto às suas credenciais diplomáticas e perspectivas de vantagens desta representação em detrimento a todo o corpo diplomático brasileiro, evidentemente que a minha tendência (e da maioria do Senado) será de votar CONTRA. Não por ser do PT. Se fosse Lula ou Dilma a tentar fazer o mesmo, votaria do mesmo jeito. O Itamaraty já admitiu até algumas embaixadas outorgadas a eminências políticas (Vaticano, Roma, Portugal e nada muito além). Mas alguns tipos de carreira não são absolutamente negociáveis com o contingente de políticos, por mais proximidade ou interesse mutuo que possam alegar. Os EUA são uma delas. Indicar o próprio filho é um escárnio com a carreira diplomática e com a importância que as embaixadas e consulados ainda pretendam ter nos dias atuais. Ao invés disso, o MRE deveria se preocupar em racionalizar e modernizar a operação do corpo diplomático brasileiro, e aumentar-lhe a importância no circuito político e comercial internacional – profissionalmente”.

Zenaide Maia (PROS) foi objetiva: “Ser filho de um presidente não é um pré-requisito para ser um embaixador”.

Autor da lei que regulamenta a proibição do nepotismo, Styvenson Valentim (PODE) indicou em conversa com a Rádio Senado que vai votar contra. “Por lei parece que é permitido. Mas moralmente não está bem aceito pela população. Na minha ideia nenhum cargo público do de menor expressão ao mais alto escalão devem ser preenchidos por parentes”, analisou acrescentando que a indicação não passa no plenário.

Compartilhe:

Sandra cobra posição da bancada federal

A vereadora Sandra Rosado (PSDB), cobra, da bancada federal do Rio Grande do Norte, posicionamento mais firme, junto ao Governo Federal, uma semana após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciar prorrogação da suspensão da medida antidumping ao sal chileno, que prejudica diretamente a indústria salineira potiguar, responsável pela produção de 95% do sal produzido no Brasil.

“Passou-se uma semana desde que a medida altamente prejudicial ao sal do Rio Grande do Norte foi anunciada e não vimos nenhuma reação efetiva da bancada federal potiguar em defesa da indústria salineira do nosso estado. Medidas enérgicas precisam ser adotadas ou veremos o setor amargando sérios prejuízos, comprometendo, até mesmo, empregos de pais e mães de famílias potiguares”, cobra Sandra Rosado.

A parlamentar lembrou ainda a importância da união da bancada federal potiguar para o fortalecimento dos pleitos em defesa da indústria do sal no estado. “Quando deputada federal sempre defendi o setor salineiro, porque entendo que é essencial à economia estadual, e agora, como vereadora mossoroense, faço aqui um apelo, para que deputados federais e senadores se unam neste momento e busquem meios para que a medida antidumping seja revertida”, apela.

A prorrogação da suspensão de medida antidumping no preço de compra do sal chileno foi anunciada no último dia 12, pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. A ação antidumping proibia a importação de sal do Chile com valores mais baixos que a produção nacional.

Compartilhe: