Confira o “custo por voto” dos deputados eleitos pelo RN

João Maia teve maior custo por voto. Girão o menor (Foto: montagem/Blog do Barreto)

O deputado federal João Maia (PR) foi quem mais gastou para ser um dos representantes do Rio Grande do Norte na baixa câmara. Em sentido inverso, quem menos precisou gastar para ser eleito foi General Girão (PSL).

O Blog do Barreto fez um levantamento junto aos números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para cruzar dados de gastos declarados de campanha x votação nas urnas.

João Maia precisou gastar R$ 26,30 para cada um dos seus 93.505 sufrágios, enquanto Girão desembolsou apenas R$ 0,33 para chegar aos 81.649 votos (ver abaixo).

Deputado Gastos de campanha Votação Custo da eleição por voto
João Maia R$ 2.459.750,30 93.505 R$ 26,30
Beto Rosado R$ 1.401.931,62 71.092 R$ 19.71
Walter Alves R$ 1.545.740,49 79.333 R$ 19,48
Fábio Faria R$ 1.369.471,67 70.359 R$ 19,46
Rafael Motta R$ 1.508.748,89 82.791 R$ 18,22
Benes Leocádio R$ 1.085.588,94 125.841 R$ 8,62
Natália Bonavides R$ 423.857,83 112.998 R$ 3,75
Eliezer Girão R$ 26.990,99 81.649 R$ 0,33

A campanha mais cara também foi a de João Maia. Ele gastou R$ 2.459.750,30. A mais barata foi a de Girão com R$ 26.990,99.

Juntos, os oito deputados federais eleitos pelo Rio Grande do Norte gastaram R$ 9.822.080,73. A média de gasto por voto entre os eleitos em 7 de outubro foi de R$ 13,68.

Compartilhe:

Representantes do RN definem coordenador da bancada federal

Bancada Federal do RN escolhe Rafael Motta

O deputado federal Rafael Motta (PSB) foi escolhido pelos parlamentares do Rio Grande do Norte como o novo coordenador da bancada potiguar em Brasília. A definição ocorreu na manhã desta quarta-feira (20).

A escolha para o ano de 2019 foi feita por consenso da bancada, que é composta por oito deputados federais e três senadores. “Agradeço aos colegas pela indicação e agora é trabalhar ainda mais em defesa do nosso Estado, sempre em conjunto com os demais parlamentares”, destacou o deputado.

Rafael substitui Felipe Maia (DEM) nas funções de coordenar, na qual vai trabalhar pela liberação das emendas de bancada e colaborar com o diálogo entre os governos estadual e federal.

Compartilhe:

RN se aproxima de socorro financeiro do Governo Federal

Fátima apresenta cortes orçamentários como cartão de visita a Paulo Guedes (Foto: Vinicius de Borba)

O governo federal reconhece o esforço que Estados como o Rio Grande do Norte vêm fazendo para enfrentar a crise financeira herdada de gestões passadas, declarou o ministro da Economia Paulo Guedes, em audiência nesta terça-feira (19) com a governadora Fátima Bezerra e a bancada federal. Por isso já está formatando um programa de socorro que atenda às necessidades daquelas unidades da federação menos endividadas com a União, mas que atualmente têm problemas para pagar salários e fornecedores em dia.

O Plano de Equilíbrio Financeiro (PEF) é uma alternativa para que os Estados consigam dinheiro com mais agilidade. Parte dos valores economizados nos próximos quatro anos serão disponibilizados através de linha de crédito com aval da União para sanar as dívidas de curto prazo.

“A conversa foi bastante positiva e atende àquilo que já estávamos programando desde que assumimos o governo: mostrar a necessidade imperiosa de quitar os salários dos servidores e pagar os fornecedores, entre outras coisas. E o ministro foi claro ao dizer: os estados que adotarem medidas de recuperação fiscal, de controle das despesas, terão acesso a um aporte de recursos extras mais substancial”, disse a governadora Fátima Bezerra.

“De forma excepcional, a União vai conceder o aval e a gente vai ter acesso a um mercado financeiro, provavelmente com o Banco Mundial, um dos agentes financeiros envolvidos na questão. Isso não significa dizer que o RN vai se endividar mais. O Programa vai permitir que a gente troque os atuais credores do Estado, sobretudo os fornecedores, por um agente financeiro com capacidade de nos fornecer crédito por um prazo mais longo”, reforçou o secretário de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire.

Na audiência, a governadora explicou a atual situação financeira do Estado que compromete ainda a execução de inúmeras políticas públicas, essenciais ao funcionamento de programas nas áreas da segurança pública, da saúde e da educação. Para enfrentar o problema, o governo adotou uma série de medidas para aumentar a arrecadação e reduzir gastos, entre elas cortes nas despesas de custeio e revisão de benefícios e incentivos fiscais, além da criação do Comitê de Gestão e Eficiência com vistas à formulação e implementação de medidas voltadas para o rigoroso acompanhamento da execução dos orçamentos fiscais e de investimentos. Também foram adotadas ações de combate à sonegação tributária, como o aumento da fiscalização, a notificação de devedores e o envio de uma lista de empresas inscritas na Dívida Ativa do Estado para efeito de execução judicial.

“As circunstâncias financeiras críticas e excepcionais colocam em risco a capacidade do Estado de prover a manutenção dos serviços públicos essenciais à sociedade. Todas as nossas ações estão sendo desenvolvidas para reduzir o déficit sem a necessidade de aumentar a carga tributária. Daí a importante participação do Governo Federal”, acrescentou o senador Jean-Paul Prates (PT).

Também participaram da audiência a senadora Zenaide Maia (PROS), os deputados Natália Bonavides (PT), Benes Leocádio (PTC), Rafael Motta (PSB), João Maia (PR), Walter Alves (MDB), Beto Rosado (PP) e Fábio Faria (PSD), e o secretário de Estado Carlos Eduardo Xavier (Tributação).

Compartilhe:

Deputado do RN apresenta 15 projetos de lei na Câmara

O deputado federal Rafael Motta (PSB) iniciou o seu segundo mandato, na Câmara dos Deputados, apresentando, de uma só vez, 15 Projetos de Lei. As proposições foram protocoladas nesta terça-feira (5) e tratam de educação inclusiva, de direitos das mulheres, das crianças e dos adolescentes e do fomento de atividades econômicas no campo, entre outros temas.

O parlamentar conta que os 15 Projetos de Lei foram aprimorados durante o recesso parlamentar, com o respaldo da consultoria da Casa. “Essa é a função primordial do legislador: propor novas legislações e alterações às já existentes. Temos que assegurar a coerência entre as leis e a realidade das pessoas. Por isso, apresentamos um bom número de propostas, mas todas com qualidade”, disse Rafael Motta.

Dentre as proposições, está a que assegura vaga na escola mais próxima para estudantes com deficiência ou mobilidade reduzida, a que garante a mulheres vítimas de violência o atendimento pela autoridade policial de sua escolha e a que inclui no Estatuto da Juventude as atividades econômicas no campo vinculadas ao turismo e à cultura como meio de acesso à profissionalização.

Os outros Projetos de Lei tratam de temas igualmente relevantes, como o atendimento educacional de jovens órfãos e o estímulo a bibliotecas, além de questões sustentáveis, como a aplicação de recursos obtidos com multas ambientais em ações de educação ambiental. As propostas seguem para tramitação nas comissões permanentes da Câmara dos Deputados.

Compartilhe:

Styvenson anuncia filiação partidária

Senador escolhe partido (Foto: reprodução)

O senador Styvenson Valentim agora é do Podemos, partido que tem em seus quadros Álvaro Dias (Paraná) e Romário (Rio de Janeiro).

O anúncio foi feito há poucos minutos nas redes sociais do parlamentar.

Nas eleições de 7 de outubro, o então capitão da Polícia Militar foi o senador mais votado do Rio Grande do Norte com 745.827 votos. Ele estava filiado à Rede Sustentabilidade que não atingiu a clausula de barreira.

O Podemos é comandado no Rio Grande do Norte pelo ex-deputado federal Antônio Jácome.

Compartilhe:

Deputado é cotado para coordenar a bancada do RN

Deputado mais votado deve coordenar bancada do RN (Foto: Assessoria)

O deputado Benes Leocádio (PTC) é o mais cotado para assumir a coordenação da bancada federal do Rio Grande do Norte.

Em contato com o Blog do Barreto ele informou que foi procurado pelos colegas, mas não tem nada ainda definido a respeito do assunto. “Nós combinamos que faríamos a escolha depois da posse”, frisou.

O deputado disse ainda que a prioridade é a defesa dos interesses do Rio Grande do Norte sem divisões entre os representantes do Estado. “Queremos uma escolha de consenso”, frisou.

Benes foi o deputado federal mais votado nas últimas eleições com 125.841 votos.

Tradicionalmente a bancada federal do RN é coordenada por um deputado.

Compartilhe:

Nova bancada federal do RN se reúne pela primeira vez

Bancada do RN faz primeira reunião (Foto: Vanessa D’Oliver)

Dez dos 11 integrantes da bancada federal do Rio Grande do Norte se reuniram hoje pela manhã em Brasília para discutir uma pauta conjunta de atuação.

Reuniram-se os senadores Jean Paul Prates (PT) e Zenaide Maia (PHS) e os deputados federais Natália Bonavides (PT), Walter Alves (MDB), Benes Leocádio (PTC), Eliezer Girão (PSL), Fábio Faria (PSD), Rafael Motta (PSB), Beto Rosado (PP) e João Maia (PR).

Apenas o senador eleito capitão Styvenson Valentim (REDE) não esteve presente. Ele ainda se encontra em Natal.

Nota do Blog: que o sentimento de união tome conta deste grupo porque o Rio Grande do Norte não suporta mais tantas derrotas.

Compartilhe:

Reforma da previdência é trunfo para derrotados da bancada federal. General os classifica como “zumbis”

Os membros da bancada federal do Rio Grande do Norte derrotados nas eleições 2018 apostam numa aproximação com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ocupar espaços necessários na administração para ganhar sobrevida política.

O trunfo é a reforma da previdência.

O presidente eleito quer aprovar a medida ainda em 2018, mas admite que essa possibilidade é difícil.

Hoje o futuro chefe da casa civil Onyx Lorenzoni se reunirá com líderes do Congresso Nacional para discutir o assunto.

José Agripino (DEM) já cotado para assumir o Departamento de Obras Contra as Secas (DNOCS). Rogério Marinho (PSDB) também apareceu lembrado para cargos na futura administração.

O senador Garibaldi Alves Filho (MDB) por enquanto não foi lembrado para nada.

Os derrotados em 2018 sabem que se a reforma da previdência ficar para o ano que vem eles serão completamente ignorados.

ZUMBIS

No Twitter o general Eliezer Girão Monteiro (PSL), deputado federal eleito, zombou dos derrotados de 2018. A declaração foi repercutir no Blog Diário Político (ver AQUI). ““Que a velha política está morta. Os caciques tradicionais não reeleitos parecem zumbis perambulando pelo Congresso e os fichas sujas reeleitos sabem que não irão muito longe”, declarou.

Compartilhe:

Bancada Federal define quase R$ 170 milhões em emendas para o RN

Os deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte se reuniram na tarde desta quarta-feira (31), em Brasília, para definir as emendas coletivas que irão apresentar ao Orçamento Geral da União (OGU) para 2019.

São R$ 169,6 milhões em recursos para o Rio Grande do Norte via Governo Federal.

As seis emendas coletivas são:

– UERN: R$ 20 milhões

– Saúde Pública: R$ 30 milhões

– Segurança Pública: R$ 40 milhões

– Barragem de Oiticica: R$ 50 milhões

– Ramal do Apodi: R$ 5 milhões

– Terminal Turístico da Redinha em Natal: R$ 24,6

As outras emendas que cada parlamentar do RN poderá indicar individualmente, poderão ser definidas até o dia 8 de novembro.

A Bancada Federal do RN é coordenada pelo deputado federal Felipe Maia (DEM).

Compartilhe:

Zenaide e Rafael Motta são os deputados do RN que mais destinaram emendas para educação

Entre os oito deputados federais do Rio Grande do Norte, Zenaide Maia (PHS) e Rafael Mota (PSB) foram os que mais destinaram emendas para educação desde o início da atual legislatura.

A parlamentar, pré-candidata ao Senado, totalizou R$ 6.859.000 em emendas. Já pessebista destinou R$ 6.366.000.

O “lanterninha” do ranking é o deputado Walter Alves (MDB) que só destinou R$ 300 mil emendas para educação em quatro anos.

Confiram o ranking dos recursos destinados à educação:

Zenaide Maia (PHS): R$ 6.859.000

Rafael Motta (PSB): R$ 6.366.000

Felipe Maia (DEM): R$ 5.800.000

Rogério Marinho (PSDB): R$ 4.400.000

Beto Rosado (PP): R$ 2.500.000

Antônio Jácome (PODE): R$ 800.000

Fábio Faria (PSD): R$ 400.000

Walter Alves (MDB): R$ 300.000

Compartilhe: