Beto abre votação na Internet para destinação de emendas

Beto abre opções para público escolher emendas (Foto: Vanessa d’Oliviêr)

O deputado federal Beto Rosado (PP) realiza a segunda edição do projeto Mandato Participativo em que ele abre para a oportunidade do cidadão potiguar escolher o destino de emendas parlamentares impositivas que serão indicadas no Orçamento Geral da União de 2020.s

O trabalho se iniciou hoje, sexta-feira (11). Beto repete a iniciativa de 2017.

Com foco nas áreas da Saúde e Agricultura, o cidadão poderá escolher entre um trator (R$150 mil) ou uma ambulância (R$ 90 mil), e aonde ele deverá ser aplicado (município do Rio Grande do Norte). As seis cidades mais votadas serão contempladas.

“Precisamos tornar o processo de escolhas das emendas cada vez mais democrático. E foi pensando nisso, que em 2017 surgiu o mandato participativo. Em 2018 não executamos por conta da legislação eleitoral e retornamos este ano. É um projeto inovador, que mostra um novo jeito de fazer política. Espero que a população participe”, declarou Beto.

A votação está no ar desde às 12h, no site www.betorosado.com.br e se encerra no dia 11 de novembro às 12h.

O resultado será divulgado no dia 12 de novembro.

Compartilhe:

Beto diz em nota que prestou esclarecimentos

 

Por meio de nota enviada pela assessoria de comunicação o deputado federal Beto Rosado (PP) explicou que já deu os esclarecimentos ao Ministério Público Federal no processo em que é acusado de direcionar a cota parlamentar para o posto de um tio (ver AQUI).

Confira:

Nota

Acerca da notícia veiculada pelo Ministério Público Federal informando que o deputado federal Beto Rosado (PP) estaria sendo processado por ato de improbidade administrativa, o parlamentar faz os seguintes esclarecimentos:

Já foram apresentadas todas as defesas técnicas necessárias para comprovação da boa-fé e inexistência de culpa no que tange a conduta imputada pelo Ministério Público Federal no referido processo. O parlamentar já restituiu inteiramente os valores utilizados da cota parlamentar, de forma espontânea, bem antes da provocação do Ministério Público. Portanto, reputamos a conduta como se tratando de um mero equívoco no exercício do mandato, e não como uma conduta ilícita como pretende imputar o MPF.

É importante ressaltar que a cota foi utilizada dentro do limite estabelecido pelas normas da Câmara dos Deputados e dentro dos padrões normais de preço de mercado, sem nenhum excesso ou proveito econômico em favor de terceiros e ao deputado, fato esse admitido pelo próprio Ministério Público em sua alegação, vejamos trecho: “(…)fornecido o combustível para o parlamentar a preço normal, ou seja, em valor comum a todos os consumidores(…)”.

Compartilhe:

Beto e Betinho são denunciados por uso de cota parlamentar em posto de parente

Filho e pai são alvos de denuncia (Foto: autor não identificado)

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou as alegações finais da ação de improbidade movida contra o atual deputado federal Carlos Alberto de Souza Rosado Segundo, o “Beto”; e o seu pai, o ex-deputado federal Carlos Alberto de Souza Rosado, o “Betinho”. Contrariando o ato que regulamenta o uso da chamada Cota para o Exercício de Atividade Parlamentar, eles conseguiram o reembolso de mais de R$ 130 mil em combustíveis adquiridos no Posto Laser, pertencente a um irmão e um sobrinho de Betinho.

Caso condenados, eles podem ter seus direitos políticos suspensos e serem obrigados ao pagamento de multa, além da perda da função pública e ficarem proibidos de contratar com o poder público. Somado a isso, a Justiça poderá obrigá-los ao ressarcimento dos danos, contudo Beto Rosado – após ser alvo de uma denúncia – já devolveu sua cota, sendo assim o ressarcimento se limitaria apenas aos valores gastos pelo pai.

Em suas alegações finais – de autoria do procurador da República Emanuel Ferreira – o MPF rebate o argumento de Beto Rosado de que, como suposta prova de “boa-fé”, teria efetuado a devolução antes de ser alvo da ação de improbidade: “Ocorre que, de acordo com o documento constante no Inquérito Civil, tal devolução foi motivada a partir de denúncia movida por Lúcio Duarte Batista e noticiada pela Coordenação de Gestão de Cota Parlamentar da Câmara dos Deputados (a Beto Rosado). Logo, não se tratou de ato espontâneo.” Sobre isso, o MPF destaca ainda que a devolução, mesmo que ocorresse espontaneamente, não apagaria a irregularidade já cometida.

Parentesco

Irmão do ex-deputado e tio do atual, Carlos Jerônimo Dix-Sept Rosado Maia é sócio do posto junto de seu filho, Carlos Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Segundo. O pedido de reembolso de abastecimento em empresas ou entidade da qual o proprietário ou detentor de qualquer participação seja parlamentar ou parente até terceiro grau é vedada pelo Ato de Mesa nº 43, de 21 de maio de 2009, do Congresso Nacional.

Entre 2011 e 2015, Betinho Rosado utilizou R$ 79.423,34 de sua cota em pagamentos ao posto de gasolina. Já Beto, na legislatura 2015-2019, abasteceu no Posto Líder o equivalente a R$ 58.855,36. O MPF requer a condenação de ambos pelo artigo 10 da Lei 8.429/92 (“Atos de Improbidade Administrativa que Causam Prejuízo ao Erário”) e ainda a de Betinho Rosado pelo artigo 11 da mesma lei (“Atos de Improbidade Administrativa que Atentam Contra os Princípios da Administração Pública”).

Texto: Assessoria MPF

Compartilhe:

Dois deputados do RN assinam CPI da Lava Jato. Um já admite recuar

Natália e Beto assinam instalação de CPI (Foto: montagem Blog Saulo Vale)

Blog Saulo Vale

Dos oito deputados federais do Rio Grande do Norte, dois assinaram em favor da criação da CPI da Lava Jato: Natália Bonavides (PT) e Beto Rosado (Progressistas).

A dupla costuma estar em campos absolutamente opostos nas votações de matérias polêmicas, como a reforma da Previdência, mas se encontraram na turma de congressistas que defende investigação à operação.

Beto, inclusive, na legislatura passada, em 2018, foi o único do RN a assinar pela criação de uma CPI que investigasse a Lava Jato, mas o pedido do grupo de deputados acabou arquivado, à época.

‘The Intercept’

O pedido de instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar supostas arbitrariedades e ilegalidades cometidas por membros da Força Tarefa da Lava Jato e pelo então juiz Sérgio Moro, foi validado nesta sexta-feira (13) pela Mesa da Câmara dos Deputados com 175 assinaturas das mais de 200 coletadas.

O documento, de autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), tem como uma das principais bases as mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil e as recusas do procurador Deltan Dallagnol em comparecer à Câmara para explicações.

Ainda é necessário, contudo, que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), autorize a instalação da CPI.

Veja a lista das assinaturas completa AQUI.

Beto se manifesta por meio de nota

Nota de Esclarecimento

O deputado federal Beto Rosado (PP/RN) desconhece ter assinado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava-Jato que visa investigar suposta articulação entre o ministro Sergio Moro e membros da Procuradoria da República no Paraná, tornada pública pelo site The Intercept, no mês de junho deste ano.

O teor da CPI foi alterado sem aviso prévio ao parlamentar.

Caso a CPI se mantenha desta forma, Beto irá apresentar à Secretaria Geral da Mesa, na próxima segunda-feira (16), um requerimento para a retirada da assinatura.

O deputado Beto Rosado aproveita para reiterar o apoio total à Lava Jato e a toda e qualquer investigação que tem como princípio o combate à corrupção. O deputado também é a favor de que se investigue de maneira geral a invasão de privacidade feita por hackers.

Compartilhe:

UPAs recebem equipamentos adquiridos por meio de emenda de Beto Rosado

Beto é autor de emenda que garantiu equipamentos (Foto: Luciano Léllys)

Todas as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Mossoró receberam na manhã desta segunda-feira (09) equipamentos de saúde que vão ajudar a melhorar os cuidados médicos ofertados aos mossoroenses. Os recursos, que somam mais de R$ 1 milhão, foram adquiridos por meio de emendas parlamentares do deputado federal Beto Rosado (PP).

Beto aproveitou para lembrar da importância da atuação parlamentar direcionada à Saúde. “Fico feliz em poder entregar estes equipamentos para melhorar a saúde da nossa cidade e o atendimento à população. Aproveito para lembrar que isso aqui não foi Beto Rosado que deu a Mossoró, isso aqui é de Mossoró, é de vocês. São os nossos impostos voltando em recursos e isso se chama gestão de qualidade”, frisou Beto.

Material é fruto de emenda de R$ 1 milhão (Foto: Luciano Léllys)

No total as UPAs foram contempladas com 150 unidades de equipamentos como cadeiras odontológicas ares-condicionados, desfibriladores externos automáticos (DEA), computador, ultrassom odontológico, TVs, armários de aço, camas hospitalares, tensiometros de coluna, poltronas hospitalares, reanimador pulmonar pediátrico, berço hospitalar em aço com grades, laringoscópio adulto, eletrocardiógrafo, balanças antropométricas e vários outros equipamentos.

Nos próximos dias a prefeitura realizará a entrega de duas ambulâncias do SAMU (R$ 330 mil) e um carro novo dos pacientes do Programa de Acessibilidade Especial de Mossoró.

Compartilhe:

“Chuva de Bala” e MCJ serão homenageados na Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados realizará na próxima quarta-feira (28), uma sessão solene para homenagear o evento “Mossoró Cidade Junina” e o espetáculo “Chuva de Balas no País de Mossoró”. A proposição é do deputado federal Beto Rosado (Progressistas).

 “O terceiro maior São João multicultural do país e o espetáculo que retrata a resistência do povo mossoroense ao bando de Lampião fazem parte da cultura do povo do Rio Grande do Norte. Como mossoroense será uma honra poder homenagear e promover o reconhecimento nacional destes eventos que preservam a nossa cultura e fomentam o turismo e a economia da região durante todo o mês junho”, afirmou Beto.

A solenidade será realizada no plenário Ulisses Guimarães, na Câmara dos Deputados, em Brasília, a partir das 9h, e será transmitida ao vivo para todo o Brasil pela TV Câmara, no canal 51.1 (aberto).

História

O Mossoró Cidade Junina teve início em 1996, quando a prefeitura municipal decidiu reunir, em um único evento, os arraiás de bairro que tradicionalmente aconteciam no mês de junho. De lá pra cá, já são 23 anos de MCJ, distribuído em oito polos culturais pela cidade e com mais de um milhão de visitantes.

A programação começa com o Pingo da Mêi Dia, o maior bloco junino do país. A Estação das Artes se transforma na Estação do Forró com atrações locais e nacionais. Ainda tem a Cidadela, o polo Cultura Popular, a Arena Deodete Dias que recebe o concurso de quadrilhas juninas, e o Boca da Noite que encerra os festejos do MCJ.

No adro da capela de São Vivente acontece o espetáculo Chuva de Balas no País de Mossoró. O musical foi escrito pelo poeta potiguar Tarcísio Gurgel (2001), e conta a história da invasão do bando de Virgulino Lampião à cidade de Mossoró e a expulsão dos cangaceiros liderada pelo prefeito Rodolfo Fernandes.

De acordo com uma pesquisa realizada pela prefeitura de Mossoró e a Universidade Potiguar (UnP), em 2019 o evento injetou mais de R$ 90 milhões na economia local durante o mês de junho. Outro dado impactante é que somente no Pingo da Mêi Dia foi movimentada uma média de R$ 33 milhões de reais. O montante trouxe reflexos positivos em diversos setores da economia, tanto formal quanto informal.

Texto e Foto: Assessoria Beto Rosado.

Compartilhe:

Beto vira as costas para a indústria salineira, sobe no espantalho do antipetismo e desce para se abraçar com o bolsonarismo

É inegável que a indústria salineira sempre foi uma bandeira de luta tanto do deputado federal Beto Rosado (PP) como do pai dele, Betinho Rosado. Seria uma injustiça histórica afirma o inverso.

No entanto, nesta decisão do governo Jair Bolsonaro (PSL) de prorrogar a suspensão da medida antidumping que beneficia a indústria salineira, o deputado pecou pela omissão e quando abriu a boca piorou as coisas.

Beto simplesmente culpou o PT e a esquerda por todos os problemas da indústria salineira. Uma rápida passagem pelo passado recente a gente percebe que foi no governo da então presidente Dilma Rousseff que foi assinada a medida antidumping que protegia o sal potiguar que foi suspensa por Michel Temer e mantida por Bolsonaro.

Neste caso: o PT ajudou ou prejudicou a indústria salineira?

Quer outra ação fundamental do PT para proteger a nossa indústria salineira? Em 2009, havia um lobby para o Governo Federal autorizar a exploração do sal-gema do Espírito Santo.

O então presidente Lula ficou ao lado dos potiguares e manteve a proibição. Inclusive, Betinho comemorou a decisão na época.

Vale lembrar que Betinho lutou para ser de um partido da base do governo petista com duas ações na Justiça Eleitoral para poder deixar o DEM. Ele estava satisfeito com o que os presidentes petistas fizeram pela nossa economia, claro.

Beto, numa tática padrão MBL, jogou com o emocional para se blindar através do antipetismo irracional. Jogou a culpa no PT como se o partido tivesse alguma influência nas ações do Ministério Público Federal num discurso que duela com os fatos usando uma espada de madeira.

Restou subir no espantalho do antipetismo, por sinal um ótimo guarda-chuva para se esquivar com a ajuda de setores da classe média, mas após ficar em cima do boneco de palha, Beto acaba descendo para o outro lado e se abraçando ao bolsonarismo.

As declarações de Beto foram criticadas pelo diretor executivo do Sindicato de Moagem e Refino do Sal do RN (SIMORSAL), Renato Fernandes. Para ele a postura do deputado atrapalha.

Pois é, Beto declarou que a medida não prejudica a indústria salineira. Renato aponta perda de mercados no Sul do país.

Quer abraço maior com o bolsonarismo do que questionar dados de especialistas com retórica estridente e acusando o PT?

Compartilhe:

Empresário afirma que declarações de Beto atrapalham indústria salineira

Renato rebate declarações de Beto (Foto: autor não identificado)

O diretor executivo do Sindicato de Moagem e Refino do Sal do RN (SIMORSAL), Renato Fernandes, reagiu às declarações do deputado federal Beto Rosado (PP) – ver AQUI – de que a prorrogação da suspensão das medidas antidumping não atrapalha a indústria salineira.

“Beto está atrapalhando a articulação que está sendo feita ao politizar um debate que é eminentemente técnico”, frisou.

Renato lembra que o senador Jean Paul Prates (PT) convidou o secretário nacional de comércio exterior Marcos Prado Troyjo para esclarecer e que declarações como essa não contribui ao debate. “O senador Jean Paul chegou a me ligar perguntando se tinha algo errado e eu disse que não”, relatou.

O empresário explicou que a prorrogação da medida prejudica sim a indústria salineira potiguar ao contrário do que pregou Beto no vídeo. “Perdermos mercados no Sul do país. O Brasil é autossuficiente na produção de sal graças ao Rio Grande do Norte só que o sal chileno está entrando aqui com isenções fiscais e vantagens que nós não temos. Os salineiros não querem vantagens, mas apenas igualdade no tratamento e proteção à nossa economia”, explicou.

Renato reforçou que não há qualquer crítica ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Não estamos nem citando ele nas entrevistas”, lembrou.

Indústria salineira potiguar está em risco (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

De acordo com Renato a indústria salineira movimentou R$ 1 bilhão ano passado gerando mais de 10 mil empregos. “Temos uma média salarial alta comparada com outros setores. A indústria salineira paga em média R$ 2.500”, argumentou.

Renato lembrou ainda que o compromisso dos empresários do sal é tamanho que existem reservas de um milhão de toneladas de sal apenas para proteger a indústria química nacional.

Em entrevista recente ao Cenário Político da TCM e Meio-Dia Mossoró da 95 FM ele reclamou da falta de empenho da classe política do Rio Grande do Norte.

Até aqui só se manifestaram Jean Paul Prates que convocou o secretário de comércio exterior para ir ao Senado explicar a medida, a deputada federal Natália Bonavides (PT) que entrou na Justiça para anular a decisão do Governo Federal e a deputada estadual Isolda Dantas (PT) e a vereadora Sandra Rosado (PSDB) que saíram em defesa da indústria salineira em discursos.

Compartilhe:

Em vídeo, Beto defende Bolsonaro, ataca a esquerda e diz que indústria salineira não está prejudicada

O deputado federal Beto Rosado (PP) reagiu às críticas de que estaria omisso após o Governo Federal prorrogar a suspensão da medida antidumping que prejudica a indústria salineira.

Segundo Beto, há uma ciumeira dos partidos de esquerda porque o presidente Jair Bolsonaro (PSL) salvou a indústria salineira. Ele ainda atacou setores da imprensa de mentir sobre o tema. O parlamentar usou uma expressão semelhante à usada por esta página (ver AQUI) para acusa-la de mentir.

O deputado ainda garantiu que a indústria salineira não se prejudica com a concorrência do sal chileno.

Confira:

Compartilhe:

Beto informa que está na luta para manter órgão federal em Mossoró

Beto vai tentar manter DPU em Mossoró (Foto: autor não identificado)

O deputado federal Beto Rosado (PP) em conversa com o Blog do Barreto informou que vai realizar diligências em Brasília com o objetivo de manter em Mossoró o escritório da Defensoria Pública da União (DPU).

Ele disse que já foi procurado pelo defensor público da União Ricardo Guilherme e que se prontificou em atuar em Brasília para manter o relevante serviço em Mossoró.

No último sábado, o Blog do Barreto (ver AQUI) tinha sugerido que o parlamentar, na condição de único representante de Mossoró, encampasse a luta para reverter a decisão do presidente Bolsonaro de fechar o escritório da DPU.

Saiba mais sobre o assunto AQUI.

Compartilhe: