Rosalba começa a pagar fatura por apoio de Sandra a Beto

Pedro Almeida agora é secretário

Já foi publicada no Jornal Oficial de Mossoró (JOM) a nomeação do professor aposentado Pedro Almeida Duarte para o cargo de secretário municipal de administração.

A presença dele no cargo fez parte das negociações entre o rosalbismo e o sandrismo para que a vereadora Sandra Rosado (PSDB) retirasse a postulação a Câmara dos Deputados para apoiar a reeleição do deputado federal Beto Rosado (PP).

Pedro Almeida é um longevo e leal membro do grupo de Sandra Rosado.

Já foi secretário estadual de educação e agricultura respectivamente nos governos de Garibaldi Filho e Wilma de Faria.

Compartilhe:

Apoio de Sandra é pouco explorado em divulgação de Beto

“Sacrifício” de Sandra em favor de Beto é minimizado

O fato político mais significativo do início desta campanha eleitoral foi a oficialização do apoio da vereadora Sandra Rosado (PSDB) à reeleição do deputado federal Beto Rosado (PP). No entanto, a assessoria do parlamentar, preferiu marcar o evento de ontem por um outro viés.

“Beto Rosado destaca honestidade e compromisso como marcas do seu trabalho”, foi o título do material enviado aos jornalistas.

O espaço reservado a Sandra foi discreto:

“A vereadora Sandra Rosado (PSDB) relatou que abriu mão da candidatura para deputada federal para fortalecer a aliança e declarou apoio a Beto. ‘Estou aqui para dizer que essa aliança, que é para o futuro e para o bem da nossa cidade, vai contar com a nossa participação. Desta vez não estarei nos palanques, estarei no meio do povo, pedindo voto de porta em porta, com a mesma dedicação que sempre tive. E irei as ruas para pedir voto para Beto Rosado deputado federal.’, afirmou”.

O Blog recebeu informações de que foi muito tenso o processo que levou Sandra Rosado a desistir de tentar voltar à Câmara dos Deputados para declarar apoio a Beto.

Foto: Vanessa d’Oliviêr

Compartilhe:

O tempo de Sandra

Sandra sem pressa. O rosalbismo em compasso de espera

Pela manhã surgiu a informação de que a vereadora Sandra Rosado (PSDB) iria desistir da candidatura a deputado federal ainda hoje.

O blog faz contato com ela e recebe a reposta: “até quarta”. Em até 48 horas teremos desfecho da última novela eleitoral antes do início propriamente dito da campanha.

O rosalbismo que tantas frustrações impôs a Sandra negando-lhe a indicação do vice de Rosalba Ciarlini em 2016 e depois impedindo neotucana de ser presidente da Câmara Municipal agora recebe o troco ao precisar da desistência de Sandra para descomplicar a reeleição de Beto Rosado (PP).

Tudo ao tempo de Sandra que agora tem o controle da situação.

Compartilhe:

Desistência de Sandra tem roteiro pronto. Vereadora resiste

Sandra esteve ontem na convenção tucana. Ela quer ser candidata. O bom senso recomenda desistência

Os dias têm sido tensos no grupo político familiar da vereadora Sandra Rosado (PSDB). Ela quer ser candidata a deputada federal, mas não tem grandes chances de ser vitoriosa nas urnas.

O bom senso indicaria a parceria política com o rosalbismo para garantir a preservação dos atuais mandatos de sobrenome Rosado.

O rosalbismo pressiona para que ela desista da postulação para apoiar a reeleição do deputado federal Beto Rosado (PP). O jogo nos bastidores tem sido duro (ver AQUI), mas Sandra resiste.

Nas idas e vindas o roteiro da desistência está traçado. Ela ser homologada candidata a deputado federal pelo PSDB como aconteceu ontem já estava no script por causa das circunstâncias internas do partido.

O próximo capítulo é Sandra ao final ceder e desistir da candidatura para garantir a estrutura palaciana a Larissa Rosado (PSDB) que tenta a reeleição e manter o ex-vereador Lairinho Rosado na condição de secretário de desenvolvimento econômico. Cogita-se, como compensação, uma outra pasta para o professor Pedro Almeida, aliado de longa data do sandrismo.

Está previsto para ainda nesta semana um evento para celebrar a dobradinha Larissa/Beto. Tudo dependerá da palavra final de Sandra. Ela resiste, repito.

Os bastidores fervem.

Compartilhe:

Sandra afirma que seguirá PSDB no apoio a Robinson e nega desistência de candidatura

Sandra Rosado

O Blog do Barreto fez contato com a vereadora Sandra Rosado (PSDB) que confirmou seguir a orientação partidária no apoio a Robinson Faria (PSD) para o Governo do Estado. “Acompanho meu partido, que ainda não realizou sua convenção”, justificou.

Sobre a possível desistência da tentativa de voltar à Câmara dos Deputados, Sandra disse desconhecer qualquer acordo de desistência firmado para apoiar a reeleição de Beto Rosado (PP) em troca do apoio palaciano a filha, Larissa Rosado (PSDB). “Não tenho conhecimento desse comentário. Sou candidata a deputada federal e Larissa a estadual pelo nosso partido o PSDB”, frisou.

A tucana informou que nada disso interfere na parceria política com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP). “Continuo a apoiar na CMM”, frisou.

Foto: Edilberto Barros

Compartilhe:

Aliança com Carlos Eduardo oferece patíbulo eleitoral a Beto Rosado

Aliança com Robinson é prejudicial a Beto
Aliança com Robinson é prejudicial a Beto

O rosalbismo está prestes a anunciar aliança com o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT). A decisão recoloca a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) ao lado dos algozes de 2014 e terá que fazer algo que não suporta: dar satisfação aos eleitores.

Mas não é só isso.

A aliança para ela pode ser uma boa. Carlos Eduardo é mais competitivo que o governador mais impopular da história do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD). Nesse agrupamento o filho da prefeita Cadu Ciarlini tem chances de se eleger deputado estadual além da indicação de um vice.

O problema da casa de Rosalba estará resolvido.

Mas no lar do deputado federal Beto Rosado (PP) o quadro é diferente. Pouco importa o candidato ao governo, o mais interessante é a coligação proporcional. A leitura dele e do ex-deputado federal Betinho Rosado, seu pai, é de que com Robinson Faria as condições de se reeleger são mais fáceis.

O cálculo é simples: com Carlos Eduardo não existem esteiras e Beto não tem condições de competir com o senador José Agripino (DEM) e o deputado federal Walter Alves (MDB).

Ele brigaria pelas sobras.

Aí entra outro complicador: uma coligação que dificilmente chegaria ao quociente eleitoral como a do Solidariedade, por exemplo, teria condições de conquistar uma vaga através das sobras com as novas regras eleitorais.

Já com Robinson Faria, Beto teria mais chances por estar numa coligação onde o deputado federal Fábio Faria seria o mais votado, mas em compensação ele teria alguma igualdade de condições com Rogério Marinho (PSDB) e uma chance maior de pegar a vaga nas sobras por estar numa coligação com mais esteiras. Calcula-se que mesmo com a vinda do ex-deputado federal João Maia (PR) para o governismo essa coligação poderia fazer até mesmo quatro cadeiras.

Ao anunciar aliança com Carlos Eduardo Alves, o casal Carlos Augusto Rosado e Rosalba Ciarlini pode estar oferecendo patíbulo* ao sobrinho.

* Patíbulo: é a estrutura de madeira colocada em local aberto para executar condenados a forca.

Compartilhe:

Beto Rosado nega fechamento de aliança com Carlos Eduardo

BETO-ROSADO

Em contato com o Blog do Barreto, o deputado federal Beto Rosado (PP) negou que o PP tenha fechado apoio ao ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT).

Segundo ele o PP deve se definir até o final da semana. “Tivemos uma conversa com Carlos Eduardo que sinalizou uma coligação proporcional. Vamos aguardar”, explicou Beto.

Na noite de ontem setores da mídia natalense deram como fechada a aliança do PP com o PDT de Carlos Eduardo com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) indicando o filho Cadu Ciarlini como vice.

No entanto, Beto reforça que não há acordo fechado. Uma aliança com o governador Robinson Faria (PSD) ainda não está descartada.

Compartilhe:

Rosalbismo entre a palavra “empenhada” e a conveniência

O objetivo do rosalbismo em 2018 é muito claro: é eleger Kadu Ciarlini deputado estadual e reeleger Beto Rosado. O resto é mera alegoria, inclusive a indicação do vice em alguma chapa.

A questão é que o entendimento com o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) estava avançado a ponto de o senador José Agripino (DEM) deixar de ser um entrave (ver AQUI) para o entendimento.

No entanto, uma ponta segue solta: a chapa proporcional. O agrupamento de Carlos Eduardo (PDT) não tem esteiras e não oferece as melhores condições para eleger Kadu e Beto. O que pesa a favor do pedetista é sua maior viabilidade eleitoral.

Aí entra em cena o governador Robinson Faria (PSD) que está tentando atrair o rosalbismo. O trunfo dele é dar as melhores condições a Beto e Kadu e é nesse sentido que as conversas prosseguem.

Não tenham dúvidas: o rosalbismo vai para onde for melhor para garantir seus espaços de sempre. Indicar vice é um plus nas negociações.

Compartilhe:

Chapa proporcional vira “nó” para principais candidatos ao Governo

WhatsApp Image 2018-06-24 at 13.47.31

Os pré-candidatos ao Governo do Estado e ao Senado Federal estão também preocupados com as chapas proporcionais que serão decisivas para atraírem as melhores alianças majoritárias. O famoso quociente eleitoral é o fator decisivo para cada deputado, seja estadual ou federal. Uma coligação ou partido terá que ter cerca de 70 mil votos para eleger a primeira vaga na Assembleia Legislativa. Já para a deputado federal o cálculo é estimado em 200 mil votos para cada uma das oito vagas em questão.

Lembrando que esse ano tem um fator novo. As sobras eleitorais beneficiarão partidos que não atingiram o quociente eleitoral. A medida, neste caso, beneficia pequenos partidos.

Somando a votação de todos os candidatos por coligação, aí gera quanto cada aliança fará para a Assembleia Legislativa e a Câmara dos Deputados. A Justiça Eleitoral não considera eleito para deputado, quem tem mais votos, mas sim a soma dos votos de todos os candidatos por coligação. Em 2014, por exemplo, Vivaldo Costa, Larissa Rosado, Adan Eridan, Major Fernandes, Bispo Francisco de Assis, Amazan e Leonardo Nogueira tiveram mais votos que os deputados Souza Neto (PHS) e Carlos Augusto Maia (PCdoB), que conseguiram pouco mais de 20 mil votos em alianças menores.

A “chapa fechada” Carlos Eduardo (Governo), Garibaldi Filho e José Agripino (Senado) estão enfrentando problemas na questão das nominatas do PDT, MDB e DEM. É que baseados em pesquisas e comparando o resultado de 2014, só tem medalhões para concorrer a Assembleia Legislativa: Hermano Morais, Adjuto Dias e Nelter Queiroz pelo MDB, além do deputado Getúlio Rego no DEM, que almejam mais de 50 mil votos. Álvaro Dias foi o menos votado do MDB com 34 mil votos, mas quando assumiu a Prefeitura do Natal em abril decidiu lançar o filho, Adjuto Dias, que tem perspectiva, graças a máquina pública municipal, para sair somente da capital com 20 mil votos, segundo analistas eleitorais. O PDT de Carlos Eduardo só tem a vereadora Nina Souza como postulante a Assembleia Legislativa.

O PSB do vice-governador Fábio Dantas só tem o deputado Ricardo Motta e analisa lançar a ex-prefeita de Mossoró, Fafá Rosado. Alguns nomes menores foram incentivados como o jovem empresário Artur Maynard, de Caicó e o vereador Franklin Capistrano em Natal, mas juntos não conseguem 20 mil votos em todo Estado. Existe a possibilidade de lançar Fábio Dantas a estadual e tentar emplacar a deputada Cristiane Dantas do PPL como vice-governadora na chapa de Fátima Bezerra, do PT. Falta só convencer o PT aceitar uma aliança do PSB de Ricardo Motta, com o PHS de Souza Neto e o PCdoB de Carlos Augusto Maia.

O PT da senadora Fátima Bezerra tem nominata própria, mas não aceita aliança com o PHS do deputado Souza Neto e talvez faça com o PCdoB do deputado Carlos Augusto Maia. Os nomes do ex-prefeito de Parelhas, Francisco Medeiros, da vereadora Isolda Dantas (Mossoró), do vereador de São Gonçalo, Eraldo Paiva, da jovem Mada Maia, filha da deputada federal Zenaide Maia, além do vereador de São Paulo do Potengi, João Cabral, entre outros estão sendo mobilizados em cada região do Estado.

Já o PSD do governador Robinson Faria, tem uma chapa reforçada na proporcional. Os deputados Galeno Torquato, que atua no Alto Oeste, Vivaldo Costa no Seridó, Dison Lisboa no Agreste Potiguar e  Jacó Jácome em Natal e no segmento evangélico são postulantes à reeleição. Ederlinda Dias que parte com o apoio do prefeito de Macaíba, Fernando Cunha, e os ex-prefeitos Ivan Júnior (Assu) e Wellinson Ribeiro (Canguaretama), além de Raimundo Costa, ex-secretário estadual de Assuntos Fundiários e Reforma Agrária, também serão postulantes.

O PSB de Fábio Dantas, o PDT de Carlos Eduardo e o PSD de Robinson Faria devem ter a melhor chapa proporcional para desembarcar o PSDB que tem nove deputados, o PR de João Maia e o PP de Rosalba Ciarlini, que prioriza a reeleição do deputado federal Beto Rosado e a candidatura do publicitário Kadu Ciarlini a estadual.

Compartilhe:

Beto Rosado afirma que CPI é para moralizar a Lava Jato

Beto_Comissão

O deputado federal Beto Rosado (PP) fez contato com o Blog do Barreto para informar que ao contrário do que a mídia nacional tem informado, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) tem foco na moralização da Operação Lava Jato.

De acordo com Beto, o objetivo é investigar a existência de irregularidades nos acordos de delação premiada e vazamento de informações.

Ele também garantiu que não vai retirar assinaturas como seis deputados já fizeram.

Compartilhe: