Bancada governista impõe derrota a Rosalba

Enquanto Marleide discursava servidores exibiam cartazes nas galerias (Foto: cedida)

A bancada governista iniciou o ano legislativo aprontando para cima da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) ao aprovar em massa a permissão para que a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Mossoró (SINDSERPUM), Marleide Cunha usasse a Tribuna Popular mesmo sem prévia inscrição como prevê o Regimento Interno.

Com a palavra dada, Marleide não poupou Rosalba. “Ela é a prior prefeita que já tivemos para o servidor público”, disparou.

As galerias do parlamento municipal estavam lotadas de servidores e a iniciativa é parte de um protesto contra a atual gestão.

Há meses a presidente do Sindserpum tenta uma audiência com a prefeita de Mossoró.

Compartilhe:

Uma gestão fechada

A gestão da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) é uma das mais fechadas que já vi. Até mesmo para os próprios padrões. Pouco se sabe sobre o que acontece nos bastidores, poucos conhecem os planos da administração.

É uma administração que pouco gera assuntos relevantes e presa ao mais do mesmo. Tudo que se sabe é o que chega via relises da assessoria de comunicação e o relacionamento do secretariado é distante da imprensa.

Um fato que só agora vem à tona graças ao Blog aconteceu em maio do ano passado quando um grupo de procuradores do município pediu uma audiência com a prefeita para apresentar um projeto visando melhorar a arrecadação.

Até hoje eles não foram recebidos.

Há meses a presidente do Sindserpum Marleide Cunha tenta uma audiência com a prefeita e não consegue.

A gestão Rosalba é fechada ao diálogo, indiferente com a mídia e intolerante a sugestões.

Compartilhe:

Rosalba tenta se promover mais uma vez “pegando carona”

Rosalba tenta puxar para si mérito por geração de empregos (Foto: autor não identificado)

Blog Tio Colorau

MENOS, PREFEITA, MENOS– Nesta semana, num dos seus programas diários, a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) informou que no ano passado, em Mossoró, a quantidade de contratações com carteira assinada no comércio superou o número de demissões, consoante dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Segundo o órgão, o saldo em Mossoró ficou positivo em 206 postos. Foram 4.888 demissões e 5.094 contratações. O melhor índice dos últimos quatro anos, lembrando que em 2015 e 2016 o saldo foi negativo; e em 2017 foi positivo em 77 postos.

Não resta dúvida de que se trata de uma boa notícia, o problema está no motivo alegado pela prefeita para termos este saldo positivo.

No programa, ela vincula tal feito ao pagamento em dia do funcionalismo público. Como é, prefeita? Quer dizer que nossos comerciantes estão contratando mais porque a prefeitura está, segundo a senhora, pagando em dia? Pelas caridade…

Não resta dúvida de que o pagamento em dia favorece o comércio, mas numa parcela bem inferior ao que a prefeita quis parecer. Mossoró é uma cidade polo, com milhares de moradores de cidades próximas vindos para cá diariamente, além da atividade empresarial. Nem de longe podemos vincular o crescimento do comércio ao pagamento em dia do funcionalismo público.

SERVIÇOS – Quem conhece bem a cidade sabe que a maioria destes postos de trabalho está ligada às áreas de alimentação e lazer. Não abriu nenhuma grande loja em Mossoró nos últimos dois anos, o que aumentou consideravelmente foi o número de restaurantes e afins, sobretudo os que fornecem refeições via delivery, isso porque cada vez mais as famílias optam por não preparar suas refeições, preferindo fazê-las fora de casa ou pedir a domicílio.

PARADO – O comércio tradicional, de sapatos, bolsas, camisas, móveis, eletroeletrônicos etc, está “parado de tudo”, como costumam dizer os próprios comerciantes. Vendedores passam o dia “olhando para o tempo”.

CARROS – O comércio de veículos é outro que enfrenta dias difíceis. Tem pequeno comerciante que está há seis meses sem negociar nenhum automóvel.

Nota do Blog: até quando a prefeita vai seguir forçando a barra para se promover com ações cujo mérito não é dela?

Compartilhe:

Ministra do STF arquiva investigação contra Ex-governadores e deputado

Por Luiz Felipe Barbiéri,

G1/Brasília

 

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber mandou arquivar uma investigação envolvendo o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), seu pai, o ex-governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria, e a atual prefeita de Mossoró (PSD), Rosalba Ciarlini (PP). A decisão é deste quinta-feira (14).

Em novembro de 2018, a ministra havia mandado arquivar outra apuração sobre o deputado, atual terceiro secretário da Câmara dos Deputados, por supostamente ter deixado de declarar valores recebidos da J&F na campanha eleitoral de 2014.

Na oportunidade, Rosa enviou as suspeitas sobre Robinson Faria, então governador do Rio Grande do Norte, para análise do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O inquérito arquivado por Rosa nesta quinta apurava suposto caixa 2 praticado pelos três investigados na campanha de 2010. O procedimento foi aberto com base em delações de executivos da Odebrecht.

Segundo os delatores, a doação não oficial aos referidos políticos se daria em troca de apoio a projetos empresariais futuros da Odebrecht Ambiental nas áreas de saneamento básico e infraestrutura no Estado do Rio Grande do Norte, via parcerias público-privadas.

Ainda de acordo com os colaboradores, as doações teriam sido realizadas pelo setor responsável pelo pagamento de propina na empresa.

Na decisão em que determinou o arquivamento, a ministra atendeu a pedido da Procuradoria Geral da República. Conforme o órgão, embora haja “fortes indícios” da prática de caixa 2 nas eleições de 2010, “não há elementos suficientes para o oferecimento de denúncia, bem como mostra-se inviável a continuidade das investigações”.

“Nessa esteira, estando, na espécie, a Procuradora-Geral da República a sustentar a inexistência de elementos que permitam impulsionar as investigações, impõe-se o arquivamento requerido, inexistindo excepcionalidade que justifique sindicalizar a opinio delicti do titular da ação penal”, decidiu Rosa, relatora do inquérito.

Compartilhe:

Confusões da Câmara camuflam dificuldades da gestão de Rosalba

Rosalba vai ao contato popular sem ser incomodada pela oposição (Foto: assessoria/PMM)

Quem mais ganha com a crise que se arrasta há meses na Câmara Municipal de Mossoró é a prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Enquanto os vereadores se engalfinham por causa de penduricalhos como verba de gabinete e cota de gasolina, os problemas da cidade vão ficando em segundo plano no noticiário local.

A oposição que bater cabeça por falta de liderança e organização também contribui para isso.

Os adversários da prefeita não conseguem pautar o noticiário.

Esse ambiente é ótimo para a prefeita Rosalba não ter a falta de paz que marcou a gestão de seu antecessor, Francisco José Junior.

Silenciosamente, ela trabalha na surrada e ainda eficiente estratégia do contato direto com o eleitor sem ter ninguém com coragem para filmar um “tranca” como o já clássico “o senhor é uma das sete pragas do Egito” dita por um popular no Mercado do Vuco-vuco contra Francisco José Junior.

O recado das urnas foi duro para a prefeita em outubro e ela escolheu reverter o desgaste indo às comunidades apostando no carisma pessoal.

Não ser notada pela imprensa é um trunfo para Rosalba. A oposição colabora muito para isso e a cortina de fumaça provocada pela crise na Câmara Municipal é a cereja no bolo para um governo desgastado que tenta se recuperar mesmo sem ter ações marcantes.

Compartilhe:

Rosalba faz leitura da mensagem anual no dia 19

Prefeita fará leitura da mensagem anual no dia 19 (Foto: Edilberto Barros/CMM)

A Câmara Municipal de Mossoró realizará Sessão Inaugural do Ano Legislativo 2019, terça-feira (19), às 9h, quando será lida a mensagem anual do Poder Executivo pela prefeita Rosalba Ciarlini.

A data obedece ao Regimento Interno, que estabelece a sessão de abertura na primeira terça-feira, subsequente ao dia 15 de fevereiro. A solenidade será exclusiva à mensagem.

As sessões ordinárias recomeçarão no dia seguinte, quarta-feira (20), às 9h, oportunidade em que haverá pronunciamentos dos vereadores, debate e votação de matérias legislativas.

Sessão Inaugural do Ano Legislativo 2019 é aberta ao público, que poderá acompanhá-la das galerias do plenário, ou ao vivo pela TV Câmara Mossoró e pelo site www.mossoro.rn.leg.br.

Compartilhe:

Ex-candidato a prefeito endossa alerta feito pelo Blog

O ex-candidato a prefeito de Mossoró Gutemberg Dias (PC do B) usou o Twitter para reforçar o alerta feito pelo Blog do Barreto (ver AQUI) a respeito da falta de foco e liderança da oposição que poderia favorecer uma reeleição da prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

“Vendo o cenário político com vistas às eleições de 2020 a cada dia fica claro que a oposição ao governo Rosalba, da qual faço parte, terá vários candidatos a prefeito é isso viabilizará sua reeleição”.

Na sequência ele acrescenta: “É imprescindível que a oposição faça um alinhamento em Mossoró. Se nomes quiserem apenas disputar para marcar terreno contribuirão muito fortemente para que a atual gestão seja renovada por mais 4 anos. Vou trabalhar, obviamente dentro das minhas limitações políticas, para que o projeto oposicionista seja unificado. Sei que não será fácil, mas também não é impossível”, declarou.

Em outra postagem ele traz à tona outra tese já defendida pelo Blog no passado. A de que o anti-rosalbismo é insuficiente para derrotar a atual prefeita (ver AQUI). “Acredito que não é preciso trabalhar com a ideia do anti-Rosalba ou Rosado. Esse discurso já foi derrotado inúmeras vezes. É hora de ficar na cidade, nos seus problemas e nas possíveis resoluções. Vale destacar que não se pode criar falsas expectativas”, frisou.

Compartilhe:

Oposição mossoroense está morta e sem liderança

Oposição mossoroense traz tranquilidade a prefeita (Foto: cedida)

A oposição é uma aliada importante da prefeita Rosalba Ciarlini (PP). Morta e sem liderança, nada poderia ser melhor para uma gestão enrolada com problemas que se acumulam a cada dia.

Não faltam assuntos para a oposição abordar. Problemas para quitar a folha de pagamento dos servidores dentro do mês trabalhado, terceirizados recebendo atrasado, má iluminação, saúde em crise, filas para matrículas de alunos da rede municipal, etc.

A oposição não dorme no ponto. Ela está morta. Aqui não se trata do discurso da “oposição responsável” porque responsabilidade não se pode confundir omissão.

Numa roda de conversa sobre política escutei uma avaliação interessante: “A bancada de oposição se divide entre os que querem aderir a Rosalba e os que se deixam liderar por Izabel Montenegro (presidente da Câmara)”.

Faz sentido.

A bancada de oposição está desunida, de fato. Houve um episódio deprimente entre os vereadores Raério Araújo (PRB) e Alex do Frango (PMB) que certamente deixará sequelas para entendimentos futuro.

Oposição dividida e sem coesão não consegue pautar o noticiário nem instigar mais cobranças ao executivo. Esse papel foi delegado a escassos setores da mídia local e alguns cidadãos indignados nas redes sociais.

Mesmo assim, a prefeita não deixou de ser tragada pela impopularidade.

Nenhum grupo político fora da órbita do rosalbismo se habilitou para liderar a oposição. Tião Couto (PR) e Jorge do Rosário (PR) afundaram junto com o fracasso eleitoral de 7 de outubro. Gutemberg Dias (PC do B) vive situação idêntica.

Os ex-prefeitos Francisco José Junior e Fafá Rosado não existem mais politicamente.

Restam os deputados estaduais Allyson Bezerra (SD) e Isolda Dantas (PT) que viverão um distanciamento político nos próximos anos por causa dos embates dentro da Assembleia Legislativa.

O primeiro é muito jovem, mas está em um partido organizado. A segunda é mais experiente e também está numa agremiação organizada, mas profundamente desgastada. Além disso, a petista depende do desempenho de Fátima Bezerra (PT) como governadora para se impor candidata viável.

Só o tempo dirá se ambos são nomes competitivos.

Derrotar uma lenda da política como Rosalba exige organização, liderança, discurso e capacidade de mobilização nas redes sociais e ruas.

Não é o que acontece agora permitindo que Rosalba governe mal, mas sem alguma alternativa de poder capaz de lhe fazer frente.

Será difícil unir a oposição em 2020. Não há sinais de alguém que assuma com propriedade a função de antirosalbista-mor na cidade. Isso é muito bom para a prefeita que pode conseguir um feito raro nas ciências políticas: ser reeleita mesmo fazendo um governo impopular.

O fato de Mossoró ter menos de 200 mil eleitores e por consequência não ter previsão de segundo turno permite que a prefeita tenha êxito com o capital político que ainda lhe resta.

Rosalba não pode reclamar da oposição.

Compartilhe:

Primeiro encontro entre Fátima e Rosalba é marcado por discussão sobre saúde

O primeiro encontro entre a governadora Fátima Bezerra (PT) e a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) foi marcado por uma discussão sobre a saúde.

A reunião também contou com a presença do prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB).

A governadora propôs a regionalização da saúde e um plano emergencial de curto prazo. “Estamos tratando de vidas. É nossa obrigação mudar este quadro. Apenas com união, seriedade, determinação, planejamento integrado e muito trabalho, vamos conseguir solucionar a crise da saúde pública no Rio Grande do Norte. É hora de darmos às mãos”, frisou Fátima.

INDÚSTRIA SALINEIRA

Segundo a assessoria da prefeita Rosalba Ciarlini ela também provocou uma discussão sobre o embate entre Ministério Público Federal e indústria salineira. “Reconhecemos a importância da preservação do meio ambiente, mas, precisamos encontrar um ponto de equilíbrio para preservarmos os empregos e nossa principal atividade econômica”, disse Rosalba.

 

Compartilhe: