Categorias
Matéria

Especialistas alertam para os riscos de sangramentos no nariz e dores de garganta provocados por tempo seco em Mossoró

Foto: cedida

Mossoró está em estado de atenção devido à baixa umidade relativa do ar. Os índices variam entre 20% e 30%, no período mais quente do dia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o percentual ideal deve ser superior a 60%. O tempo seco tem efeito direto na saúde da população, e especialistas alertam para os riscos de sangramentos no nariz e dores de garganta. Consultórios médicos locais já registram aumento de casos, especialmente entre crianças.

A médica otorrinolaringologista Anna Caroline Rodrigues explica que a situação ocorre porque a exposição à baixa umidade, caracterizada pelo tempo seco, provoca o ressecamento das mucosas do nariz e da garganta. Segundo ela, nessas condições, o corpo fica mais exposto à atuação de vírus e bactérias.

“O efeito disso é aquela sensação de nariz ressecado, que pode vir com sangramentos. Também são muito comuns dores de garganta e rouquidão. Além disso, ao ressecar, a mucosa deixa de cumprir uma de suas principais missões, que é servir de barreira para a entrada de vírus e bactérias, deixando o corpo mais vulnerável à entrada de substâncias nocivas à saúde”, detalha.

De acordo com o meteorologista José Espínola, tais condições do tempo devem prevalecer até dezembro, especialmente, entre 14h e 15h. “Entramos na época mais quente, e isso faz com que a umidade relativa do ar caia, principalmente no período mais quente do dia, entre 14h e 15h, quando os termômetros registram até 37° graus e os índices da umidade não ultrapassam 30%. Isso é muito perigoso”, alerta.

Prevenção

Para conviver com níveis tão baixos da umidade do ar e evitar problemas de saúde, Anna Caroline recomenda medidas preventivas, que vão desde uma simples hidratação até a lavagem do nariz, com soro fisiológico.

“É imprescindível ingerir muito líquido nesse período, isso vai hidratar as mucosas. Também deve-se evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, umidificar ambientes com baldes de água e toalhas molhadas e, principalmente, fazer a lavagem nasal com soro fisiológico, diariamente, que manterá hidratação da via aérea superior”, indica.

Categorias
Matéria

Hospital do Câncer anuncia retomada de serviços após pagamento de parte dos débitos do Governo

Hospital ainda aguarda pagamento do plus de junho (Foto: cedida)

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) anunciou que o Governo do Estado pagou a conta em aberto referente à produção do mês de junho.

A instituição informa que o pagamento do plus de junho ainda não saiu.

Confira:

COMUNICADO

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer informa que, após reunião realizada na última segunda-feira (13) com representantes do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Prefeitura Municipal de Mossoró e demais prestadores de serviços, ficou definido que na data de hoje (17) o Governo do Estado iria repassar o valor referente ao Plus do mês de junho de 2021. Na tarde de ontem (16) aconteceu uma nova reunião para acertar alguns detalhes e concluir esta negociação.

No dia de hoje (17 de setembro de 2021) a Liga Mossoroense recebeu o repasse dos valores da produção do mês de julho de 2021. Com isso, é possível quitar parte dos débitos com fornecedores e retomar os serviços de quimioterapia e Diagnóstico por Imagem na próxima segunda-feira (20).

Até às 14h30min desta sexta-feira (17) ainda não foram repassados os valores referentes ao Plus de junho de 2021, conforme acordado em reunião.

A Liga Mossoroense espera sensibilidade deste Poder Executivo, para que não seja necessário paralisar novamente os serviços, prejudicando inúmeros pacientes.

Nossa Instituição é referência no tratamento oncológico em Mossoró e região, atendendo cerca de 64 municípios, com fluxo diário de aproximadamente 500 pacientes, tendo mais de 20 anos de serviços prestados à população.

Paulo Henrique Lima do Monte

Presidente da Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer

Mossoró-RN, 17 de setembro de 2021.

 

Categorias
Matéria

Após acordo Liga Contra o Câncer anuncia retomada de serviços que estavam suspensos

Hospital do Câncer tem promessa do Governo do Estado de pagamento na sexta (Foto: cedida)

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) anunciou por meio de comunicado que chegou a um acordo com o Governo do Estado e que o pagamento do plus referente ao mês de junho está acertado para sair na sexta-feira.

Confira o anuncio:

COMUNICADO

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer informa que, após reunião realizada ontem (13) com representantes do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Prefeitura Municipal de Mossoró e demais prestadores de serviços, ficou definido que na próxima sexta-feira (17) o Governo do Estado vai repassar o valor referente ao Plus do mês de junho de 2021. Assim, isto ocorrendo, retornaremos nossos serviços de Quimioterapia e Diagnóstico por Imagem na próxima segunda-feira (20).

Além disso, o Governo do Estado se prontificou em avaliar a proposta feita pelos prestadores de serviços para quitação de todo o montante devido, inclusive por gestões anteriores. A Liga Mossoroense espera sensibilidade deste Poder Executivo, para que não precise mais suspender nenhum de seus serviços oncológicos.

Nossa Instituição é referência no tratamento oncológico em Mossoró e região, atendendo cerca de 64 municípios, com fluxo diário de aproximadamente 500 pacientes, tendo mais de 20 anos de serviços prestados à população.

Paulo Henrique Lima do Monte

Presidente da Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer

Mossoró-RN, 14 de setembro de 2021.

Categorias
Matéria

IMT/UFRN identifica variante delta em Mossoró

Foto: Anastácia Vaz

O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) identificou a variante delta do novo coronavírus em quatro amostras coletadas entre os dias 27 e 30 de agosto, na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Como a unidade acadêmica já havia comprovado a nova variante no município de Natal, em agosto, a diretora do IMT-UFRN, Selma Jerônimo, alerta para o indicativo de que a variante está circulando pelo estado.

De um total de oito amostras coletadas, quatro confirmaram a presença da variante delta em Mossoró. O resultado final do sequenciamento foi realizado no dia 12 de setembro, cujo trabalho foi desenvolvido pelo IMT-UFRN com recursos de projeto de pesquisa e colaboração com o Getúlio Sales Diagnósticos. Atualmente, a unidade sequenciou 64 genomas do SARS-CoV-2 provenientes de amostras do Rio Grande do Norte e prevê realizar a análise de mais 96 amostras.

“A confirmação da delta em Mossoró demonstra a capacidade de transmissão da variante”, avalia Selma Jerônimo, considerando que a identificação de novas variantes é frequente, em virtude da fácil mutação do RNA do vírus. Nessa perspectiva, a cientista reforça que é preciso manter os cuidados na prevenção, como o uso de máscara, distanciamento social e a higiene das mãos, bem como cumprir com o esquema de vacinação contra a covid-19.

A UFRN já realizou 177.303 mil testes RT-PCR, sendo 151.803 mil pelo IMT-UFRN e 12 mil pela Faculdade de Ciências da Saúde (Facisa-UFRN), além de 13.500 mil testes sorológicos. O Instituto de Medicina Tropical também realiza um estudo de soroprevalência em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS), para avaliar a quantidade de pessoas com resposta de defesa ao vírus, entre vacinadas e as que tiveram infecção natural pela covid-19.

Fonte: UFRN

Categorias
Matéria

Liga de Combate ao Câncer anuncia suspensão dos serviços de quimioterapia e diagnóstico por imagem por atrasos do Governo

Foto: cedida

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) anunciou que está suspendendo os serviços de quimioterapia e diagnóstico por imagem por atrasos do Governo do Estado que totalizam R$ 15 milhões referentes ao período de 2017 a 2021.

COMUNICADO

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) comunica a sociedade Potiguar que, em razão da falta de repasse financeiro da Produção Plus por parte do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, referente aos anos de 2017 a 2021, a Instituição irá paralisar seus serviços de quimioterapia e Diagnóstico por Imagem a partir do próximo dia 13 de Setembro por tempo indeterminado.

Somados todos os débitos dos valores do Plus do Governo do Estado do Rio Grande do Norte para com a Liga Mossoroense, dos anos de 2017 a 2021, a dívida com a Instituição ultrapassa os R$ 15 milhões de reais.

A Liga Mossoroense já buscou por inúmeras vezes, nesta e em outras Gestões, participar de reuniões, bem como propôs acordo, por meio do parcelamento da dívida com o Governo do Estado, a fim de não ser obrigada a paralisar seus serviços e prejudicar os pacientes oncológicos de Mossoró e região.

Por último, em reunião realizada no último dia 19 de agosto com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP) foi firmado um compromisso de parcelamento do montante, com início do pagamento previsto para o dia 30 de agosto e posteriores parcelas nos dias 30 de cada mês subsequente. No entanto, a primeira parcela não foi repassada na data firmada em acordo. Com isso, diante da falta de insumos, a Instituição não vê outra alternativa a não ser a paralisação de parte dos seus serviços.

A Liga Mossoroense é referência no tratamento oncológico em Mossoró e região, atendendo cerca de 64 municípios, compreendendo as II, IV e VI regiões das Unidades Regionais de Saúde Pública (URSAP), com um fluxo de aproximadamente 500 pacientes/dia em suas Duas Unidades Hospitalares.

Atenciosamente,

Paulo Henrique Lima do Monte

Presidente da Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC)

Mossoró-RN, 09 de setembro de 2021.

Categorias
Matéria

Levantamento aponta que 47,2% dos potiguares com mais de 60 anos sofrem de catarata

Os últimos resultados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, divulgada pelo IBGE, mostram que 47,2% dos potiguares com mais de 60 anos haviam recebido diagnóstico de catarata em algum momento de suas vidas. Isso representa um total de 254 mil pessoas que receberam o diagnóstico da doença em um ou ambos os olhos.

A pesquisa indica que essa proporção está acima da média do Nordeste (39,3%) e do Brasil (34,6%), sendo uma das três maiores do país entre as unidades da federação, e que o diagnóstico é proporcionalmente mais comum quanto maior o grau de instrução e o rendimento familiar per capita das pessoas. Entretanto, embora tenha elevada taxa da doença, o Rio Grande do Norte fica próximo da média nacional (74,2%) em número de pessoas que realizam a cirurgia para correção visual: 70,6% daqueles que recebem indicação de cirurgia.

O levantamento apontou também que, entre aquelas que optam por realizar a cirurgia, cerca de 80% das pessoas sem instrução formal a realizam pelo SUS, enquanto 39% das que têm ao menos o fundamental completo utilizam a rede pública de saúde.

Causada pelo envelhecimento do cristalino (parte do olho que funciona como uma lente), a catarata é uma doença que impede a visão e pode levar à cegueira. A cirurgia para retirada da catarata pode ser feita na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) e consiste em trocar o cristalino por uma lente (novo cristalino artificial), como se fosse uma prótese no olho.

No RN, o uso contínuo de medicamentos é mais comum entre mulheres

A PNS 2019 mostrou ainda que 70,4% dos cidadãos do RN com mais de 60 anos fazem uso contínuo de remédios receitados por médico. Enquanto entre as mulheres esse percentual é de 77%, entre os homens é de  61%. Aqueles com maior grau de instrução e maior renda familiar per capita também têm maiores médias de uso contínuo de medicamentos que aqueles com menor instrução e rendimento.

SUS é responsável por 58% dos cuidados em reabilitação regular

A pesquisa identificou no RN cerca de 300 mil pessoas de dois anos ou mais que possuíam deficiência em alguma função vital. Considerou-se pessoa com deficiência aquela relata apresentar muita dificuldade ou não conseguir de modo algum enxergar, ouvir, se locomover, mexer os membros superiores ou realizar tarefas habituais por limitações mentais ou intelectuais. Observou-se que a deficiência física é maior quanto maior a idade e que, por outro lado, sua incidência é menor conforme aumenta o nível de instrução.

Além disso, a PNS mostrou que 58% das pessoas com alguma dificuldade ou deficiência física que receberam reabilitação de forma regular utilizaram o SUS, número próximo da média da região Nordeste (58,2%).

Categorias
Matéria

Mossoró antecipa intervalo entre as doses das vacinas da Pzifer e AstraZeneca

Foto: Célio Duarte

A Secretaria Municipal de Saúde, sob respaldo de norma técnica emitida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP/RN), iniciou na tarde desta quinta-feira (2), a antecipação do período entre doses autorizada pelo Ministério da Saúde e válida para os imunizantes da Pzifer e AstraZeneca.

Para estas vacinas o prazo entre a primeira e a segunda doses foi reduzido de 12 para 8 semanas. De modo que quem tomou a D1 (primeira dose) de uma dessas vacinas até 8 de julho, poderá antecipar a D2 (segunda dose) a partir de agora.

“Estamos com o adiantamento da segunda dose. Quem tomou a segunda dose da Pfizer ou da AstraZeneca até 8 de julho pode procurar o Ginásio do SESI nesta sexta-feira. Lembramos também que doses da AstraZeneca nós disponibilizamos dentro das UBSs (Unidades Básicas de Sáude). Então, convocamos essas pessoas que já estão com 8 semanas pós primeira dose para que o ciclo de imunização delas possa ser encerrado”, convocou Morgana Dantas, secretária municipal de Saúde.

Grupo de grávidas e puérperas de 12 anos +

“As gestantes são orientadas a procurarem o Ginásio do SESI o mais rápido possível para a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19. À medida que nós formos avançando e alcançando o público-alvo nós iremos avançar na faixa etária e agora ficarão os grupos de 12 a 17 anos, Acreditamos que o próximo grupo seja por comorbidade e aí será por faixa etária”, disse a titular da pasta da Saúde municipal, Morgana Dantas.

Fonte: Secom/PMM

Categorias
Matéria

Quase 3 mil são vacinados em Mossoró

Foto: Allan Phablo

A campanha Mossoró Vacina do último final de semana foi encerrada com 2.906 doses aplicadas. No sábado e domingo (21 e 22), as equipes de vacinação trabalharam também atendendo a um chamado estadual para reforçar a aplicação da segunda dose (D2) nas pessoas que estão em situação vacinal em atraso.

Trata-se de um mutirão realizado nos dois dias, no entanto, o Dia D foi o sábado. “Buscamos incentivar as pessoas que não tomaram a segunda dose e que precisam concluir o ciclo de imunização. O Estado convocou esse mutirão e pediu o engajamento dos municípios. Logo, Mossoró não poderia ficar de fora porque queremos a nossa população vacinada”, disse Etevaldo Lima, coordenador de Imunizações do município.

No sábado e domingo o trabalho dos vacinadores aconteceu no Centro de Vacinação do Ginásio de Esporte Pedro Ciarlini. A vacinação no sábado ocorreu apenas no Ginásio do Sesi. Foram aplicadas 1.518 D1 (primeira dose), 1.378 D2 (segunda dose) e 10 doses únicas (Janssen).

A vacinação contra a Covid-19 segue durante a semana, atendendo jovens de 18 anos ou mais sem comorbidades. O município recebeu na noite de sábado 3.616 doses de imunizantes. 2.316 doses da Pfizer e 1.300 doses da Coronavac. Todas as doses são para D1.

Fonte:  Secom/PMM

Categorias
Matéria

Mais de 5 mil são vacinados em Mossoró no final de semana

Foto: Wilson Moreno/Secom/PMM

Mobilizando cinco Unidades Básicas de Saúde, além do ginásio do SESI, a campanha Mossoró Vacina aplicou no fim de semana que passou, dias 24 e 25 de julho, 5.378 doses contra a Covid-19.

Na sexta-feira (23), Mossoró vacinava pessoas com 32 ou mais, sem comorbidades. O fim de semana, porém, começou com a baixa na faixa etária. No sábado (24) pela manhã já estavam sendo vacinadas pessoas com 31 ou mais. Ainda no sábado, no período da tarde, nova redução, agora para 30 anos ou mais, faixa que seguiu no domingo (25).

De acordo com o setor imunizações do Município, departamento ligado a Secretaria Municipal de Saúde, a fase foi concluída com 3.333 doses aplicadas no sábado (24) e 2.045 doses no domingo (25).

Do total das doses aplicadas, 4.273 foram da primeira dose, enquanto 1.080 para segunda dose. Ainda foi registrada a aplicação de 25 doses únicas do imunizante da Janssen.

Esse foi o segundo maior volume de doses aplicadas em um fim de semana, dentro da campanha Mossoró Vacina. O recorde atual é de 5.793 aplicadas, números registrados nos dias 17 e 18 passados.

De acordo com Etevaldo Lima, coordenador de imunizações, o Município utilizou todo o estoque de vacinas do último lote enviado pelo Governo do Estado, na quinta-feira (21), num total de 7.961 doses.

Confira o detalhamento dos números de aplicação da vacina deste fim de semana:

No sábado dia 24/07/2021

Doses aplicadas:

Primeira Dose: 2.765 doses

Segunda Dose: 543 doses

Dose Única: 25 doses

Total de doses aplicadas:

3.333 doses

No domingo dia 25/07/2021

Doses aplicadas:

Primeira Dose: 1.508 doses

Segunda Dose: 537 doses

Total de doses aplicadas:

2.045 doses

Dose Única: 25 doses;

Primeira dose: 4.273 doses;

Segunda dose: 1.080 doses.

Total de doses aplicadas no final de semana 24 e 25 de Julho 2021:

5.378 doses (Números registrados no Portal RN Mais Vacina).

Fonte: Secom/PMM

Categorias
Matéria

Governo libera emenda de Kelps para Mossoró

Kelps entregou ofício a Allyson (Foto: cedida)

O deputado estadual Kelps Lima (SD) entregou ao prefeito Alysson Bezerra (SD) ofício com a liberação de emenda do orçamento do Governo do Estado no valor de R$ 350 mil reais para a saúde de Mossoró. Estes recursos serão utilizados no custeio da saúde para população de baixa renda da cidade.

Os recursos equivalem a praticamente metade do valor destinado em duas emendas neste primeiro semestre para cidade de Mossoró.

O Prefeito Alysson agradeceu a Kelps e enfatizou a importância da emenda e das necessidades da saúde de Mossoró.