Categorias
Matéria

Mais de três mil cirurgias vasculares foram realizadas em 18 meses pelo Governo do RN

Lançado no fim de novembro de 2022, o programa de cirurgias vasculares da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) ultrapassou os três mil procedimentos realizados. Nestes 18 meses de funcionamento, a secretaria investiu R$ 13,7 milhões no programa, beneficiando milhares de potiguares e modificando a realidade do atendimento vascular no Rio Grande do Norte.

Toda a ação do programa consistiu na criação de uma linha de cuidado para os pacientes com problemas vasculares. Para isso, a Sesap criou, em parceria com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do RN (LAIS-UFRN), o sistema Regula Vascular. A plataforma organiza e gerencia todo o programa, dando transparência e acesso à informação tanto aos pacientes, como à gestão da Sesap e aos hospitais.

Por meio dessa organização e investimento, a Sesap passou de uma fila com 425 pessoas esperando por um procedimento vascular no início do programa para um quantitativo de 15 pessoas aguardando avaliação de especialista para entrar na linha de cuidado neste dia 22 de maio.

Até essa quarta-feira (22), foram feitos 3032 procedimentos, sendo 1183 em moradores de Natal, município que lidera o ranking, seguido de Mossoró (270), Parnamirim (130), São José de Mipibu (107) e Pau dos Ferros (82). Por região de saúde, as três com mais procedimentos realizados são a Metropolitana (1503), Agreste/Litoral Sul (378) e Oeste (369).

A criação do programa é fruto de uma articulação da Sesap junto a Ministério Público estadual, Ministério Público Federal e Justiça Federal, que findou em um acordo para a contratação de hospitais privados, que hoje atuam em rede com hospitais público. Assim, a rede passou a contar com seis hospitais em Natal e Mossoró – três públicos e três privados – para procedimentos: Central Coronel Pedro Germano (Hospital da Polícia), Dr. José Pedro Bezerra (Santa Catarina), Geral João Machado, Rio Grande, São Luiz e Wilson Rosado. E na fase de preparo para cirurgia, somam-se os hospitais regionais Hélio Morais Marinho (Apodi), Cleodon Carlos de Andrade (Pau dos Ferros) e Nelson Inácio dos Santos (Assu) e o Rafael Fernandes (Mossoró).

Para o programa funcionar, a Sesap também estruturou o fluxo de atendimentos para os pacientes com um protocolo de acesso aos cuidados vasculares. Assim, o paciente passou a ser regulado dentro do sistema desde a sua primeira entrada, incluindo nestes processos, além de uma eventual cirurgia, os pedidos de acesso a leitos, realização de exames e procedimentos, preparo para cirurgia e o processo pós-operatório, dando um panorama geral do paciente aos serviços de saúde.

Categorias
Matéria

Quantidade de transplantes de córneas cresce 74% no RN

De janeiro a abril deste ano o Rio Grande do Norte registrou um aumento de 30,7% no número total de transplantes de órgãos realizados, se comparado ao 1º quadrimestre de 2023. O maior percentual de aumento foi o de córneas com 74%, seguido de medula óssea com 23%.

De acordo com a Subcoordenadoria de Transplantes de Órgãos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), no 1º quadrimestre de 2024 foram realizados 136 transplantes de órgãos no RN, sendo 15 transplantes renais, 68 de córneas e 53 transplantes de medula óssea. No mesmo período, em 2023, foram realizados 103 transplantes no estado (18 renais, 39 de córneas, 03 cardíacos e 43 de medula óssea).

“Este ano houve um aumento nas doações de órgãos provenientes de outros estados. Além disso conseguimos mais captações, através da conscientização da população para a doação e das constantes capacitações que fazemos com as equipes das Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes”, explicou a coordenadora da Central de Transplantes do RN, Rogéria Medeiros.

O número de doações de órgãos no RN também aumentou no primeiro quadrimestre de 2024, sendo 13 doadores de múltiplos órgãos e 33 doações de córneas; um aumento de 30% e 26%, respectivamente. Em 2023 foram 10 doações de múltiplos órgãos e 26 de córneas.

Rogéria explicou que o número de transplantes realizados não está relacionado com o número de captações que acontece no estado, pois existem órgãos e tecidos advindos de outros estados.  “Por isso, muitas vezes existe discrepância entre os dados das tabelas de transplantes realizados se comparados ao número de doações”, pontuou.

Lista de espera

No Rio Grande do Norte a lista de espera para transplantes, até o final de abril deste ano, era de: 595 pacientes para transplante de córneas, 330 para transplante renal, 16 pacientes para medula óssea e 1 paciente para transplante cardíaco.

Ainda para 2024 a equipe da Central de Transplantes espera expandir ainda mais os serviços. “Planejamos para este ano credenciar o serviço de transplante de pele no RN, aumentar o número de Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT)  ativas e continuarmos com nosso projeto de educação continuada pelos hospitais do estado”, finalizou Rogéria Medeiros.

Categorias
Matéria

Sesap bate recorde de cirurgias em dez anos

O Rio Grande do Norte viu em 2023 a maior quantidade de cirurgias eletivas realizadas em um período de dez anos. Sob a gestão direta da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) foram feitos 11.864 mil procedimentos entre janeiro e novembro. O total do ano será ainda maior, pois os dados de dezembro ainda serão consolidados.

O quantitativo recorde, que representa um aumento de 18% em relação a 2022, se deu a partir da soma de dois programas operados pela Sesap. O primeiro é o Mais Cirurgias, Mais Saúde, em funcionamento desde 2020 e financiado pelo próprio estado. O complemento veio do Programa Nacional de Redução de Filas, lançado pelo Ministério da Saúde em abril passado, com 5.566 procedimentos realizados no RN até novembro, englobando 42 tipos de cirurgias feitas em 47 locais espalhados pelo estado. Destes, cerca de 1,7 mil foram cirurgias de catarata, sob responsabilidade dos municípios, o que eleva o total de cirurgias dentro dos dois programas para mais de 13 mil procedimentos.

Com esses números de procedimentos apurados, o RN já alcançou 75% da meta estipulada no programa nacional, que foi acrescida em 11% durante a execução dos trabalhos. O dado deixa o estado acima da média do Brasil, que está em 70% de cumprimento da meta geral.

A análise dos dados das cirurgias eletivas feitas pelas gestões municipais também aponta para um acréscimo positivo. Assim como aconteceu nos procedimentos de gestão estadual, os municípios também bateram recorde em comparação com o período de 2014 a 2023. Somando as produções estadual e municipais, o RN ultrapassou os 69 mil procedimentos realizados entre janeiro e novembro de 2023.

Anteriormente, o maior número de cirurgias eletivas realizadas no RN pela gestão estadual foi de 10.044 procedimentos, em 2022. Excluídos 2020 e 2021, anos atingidos diretamente pela pandemia de Covid-19, o pico anterior tinha sido em 2018, com 5.284 cirurgias, reforçando assim a magnitude do patamar de procedimentos realizados ao longo de 2023.

A marca do ano passado foi alcançada a partir de um investimento operado pela Sesap que foi superior aos R$ 75 milhões, sendo pouco mais de R$ 34 milhões do Orçamento Geral do Estado, outros R$ 12 milhões de emendas parlamentares e demais recursos vindos de diferentes fontes do Ministério da Saúde, incluindo o novo programa nacional de cirurgias.

Além do investimento direto na realização dos procedimentos, a Sesap também aplicou recursos na qualificação da gestão das cirurgias. Ao longo de 2023, a pasta consolidou o funcionamento do Regula Cirurgia. Desenvolvida pela própria Sesap, através da Unidade de Gestão de Tecnologia e Sistemas de Informação e Comunicação, a plataforma passou a fazer o gerenciamento da toda a fila de cirurgias a nível estadual, ampliando o acesso, unificando informações e dando mais transparência a quem necessita do serviço.

Para este ano, o planejamento da Sesap é ampliar a capacidade de realização de procedimentos, além de reforçar as parcerias com os municípios e os hospitais privados, como já vem fazendo nos anos recentes. Sobre a continuidade do financiamento, o Ministério da Saúde já garantiu R$ 20 milhões para o plano de redução de filas, o dobro do valor que foi encaminhado ao estado em 2023. Para isso, a Sesap já abriu a chamada de seleção de municípios, empresas e hospitais filantrópicos para participarem da segunda etapa do plano no estado.

Categorias
Matéria

Sesap anuncia compra de novo Tomógrafo do Hospital Tarcísio e novo equipamento deve começar a funcionar até o fim do mês

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informou que o Governo do Estado do Rio Grande do Norte já adquiriu um novo tomógrafo que deve substituir o aparelho que operava no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) até outubro deste ano.

Ainda segundo a Sesap, a previsão é de que o equipamento seja entregue até o fim deste mês de dezembro. Em paralelo, a secretaria está conduzindo as providências para desmontagem do atual tomógrafo para a montagem da nova aparelhagem.

Tomografias mantidas

Mesmo com a quebra do tomógrafo no Hospital Regional Tarcísio Maia, a população que precisou da realização do procedimento em Mossoró e região não ficou desassistida. O Governo do Estado agiu com rapidez e firmou convênios com o Hospital São Luiz e a Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer, garantindo a continuidade dos serviços.

Também foi reforçado o serviço de translado de pacientes 24 horas entre o HRTM e as unidades hospitalares conveniadas. Somente entre os meses de outubro e novembro foram realizadas 950 tomografias.

Diariamente estão disponíveis a ambulância própria do HRTM, além de uma ambulância de transporte avançado para pacientes críticos, tendo em vista que a ambulância do SAMU/Mossoró não pode atender esta demanda. As ambulâncias do Hospital da Mulher e do Hospital Rafael Fernandes também dão suporte aos atendimentos.

De segunda a sexta, durante o dia, os procedimentos acontecem na Liga; aos finais de semana, durante a noite e durante feriados, o Hospital São Luiz é responsável por receber pacientes do Tarcísio Maia.

Categorias
Matéria

Sesap trata de liberação de R$ 85 milhões no Ministério da Saúde para procedimentos de média e alta complexidade no RN

O repasse de novas verbas para a saúde pública do Rio Grande do Norte foi o principal assunto tratado pela equipe da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) em reunião com o Ministério da Saúde na tarde desta terça-feira (28). O pedido feito pelo estado, representando também os municípios potiguares, é de aproximadamente R$ 85 milhões.

Esse pedido diz respeito ao aumento do teto financeiro de procedimentos de média e alta complexidade, sendo cerca de R$ 40 milhões a serem destinados para Natal. O montante requisitado pela Sesap poderá solucionar a questão da dificuldade financeira do município com pagamentos para os procedimentos cardiológicos, por exemplo. A situação foi apresentada durante a reunião, reforçando a necessidade de urgência dos repasses.

“Esse pedido é feito pela Sesap desde maio. A reunião foi muito positiva e saímos muito esperançosos de que a resposta deve sair dentro dos próximos dias e várias questões podem ser solucionadas em breve, como essa do município de Natal relacionada aos procedimentos cardiológicos. Estamos aqui para trabalhar sempre pelo melhor para a população potiguar”, destacou a secretária de Estado da Saúde Pública, Lyane Ramalho.

A portaria de liberação da verba já está sob análise do ministério e, de acordo com as negociações mantidas na reunião, deve ser publicada no início de dezembro, com a confirmação dos repasses e dos valores, de acordo com a disponibilidade orçamentária do órgão federal.

Categorias
Matéria

Servidores terceirizados do Hospital Tarcísio Maia marcam greve para sexta-feira após novo atraso da JMT

Os servidores terceirizados do Hospital Regional Tarcísio Maia voltaram a sofrer com atrasos salariais a exemplo do que aconteceu no ano passado.

A responsável pelo pagamento é a empresa JMT Service.

“Mais uma vez como tem sido todos os meses a JMT não vem cumprindo com as obrigações, mais uma vez Salário atrasado, dessa vez cartão alimentação atrasado, as férias não foram resolvidos”, afirma Adjakson Bezerra, dirigente regional do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Particular de Mossoró (SINTRAHPAM).

A dívida é extensiva ao cartão alimentação, obrigando quem está de plantão a comprar o alimento do próprio bolso.

Nem a Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP) nem a JMT deram previsão do pagamento de julho. Amanhã completa dez dias de atraso.

Categorias
Matéria

Sesap admite atraso, empresa evita abordar crise e funcionários dos hospitais podem entrar em greve amanhã

A greve dos servidores da JMT Service que trabalham nos hospitais Tarcísio Maia e Rafael Fernandes aprovada há uma semana pode ser deflagrada amanhã caso o salário de abril não seja pago amanhã.

Em breve contato com o Blog do Barreto a comunicação da Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP) admitiu que o atraso existe, mas não soube informar se a JMT Service enviou a documentação necessária para o pagamento da dívida.

O Blog também contatou a JMT. Em conversa com uma administradora da empresa ela pediu o contato desta página para enviar para assessoria de imprensa da empresa dar um retorno, o que não aconteceu ao longo do dia de hoje.

Em conversa com o Blog do Barreto o delegado de Mossoró do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Particular de Mossoró/RN (SINTRAHPAM) Adjackson Carvalho disse que os mais de 100 funcionários aguardam até amanhã para iniciar a greve.

“Os servidores da JMT que prestam serviços aos hospitais do estado do Rio Grande do Norte já estão respaldados de forma legal para fazerem greve geral por tempo indeterminado, a situação está se agravando vai chegar um momento que os servidores não terão condições financeiras e nem psicológica para trabalhar”, argumentou.

“Recebemos a informação que foi nos repassado pelo sindicato que os servidores dos hospitais que Prestam serviços a JMT estão dispostos a paralisação por tempo indeterminado, os servidores deram o prazo até amanhã que seja resolvido, caso o contrário realmente vai haver a paralisação”, complementou.

O SINTRAHPAM não tem tido sucesso nos contatos com a JMT e a Sesap.

Categorias
Matéria

RN tem o menor tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento contra o câncer de mama

O estado do Rio Grande do Norte apresentou o melhor desempenho do Brasil no tempo entre o recebimento do diagnóstico do câncer de mama e início do tratamento: 120 dias. Em segundo lugar estão Goiás com tempo médio de 125 dias e Piauí com tempo médio de 135 dias.

Os dados estão no “Panorama da Atenção ao Câncer de Mama no Sistema Único de Saúde”, um relatório elaborado pelo Departamento de Pesquisa da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia – Abrale/Instituto Avon/Observatório de Oncologia, em setembro de 2022. O documento pretende caracterizar a produção do Sistema Único de Saúde (SUS) para o rastreamento, diagnóstico e tratamento do câncer de mama, no período de 2015 a 2021, trazendo informações relevantes que apoiem a formulação de políticas públicas de saúde voltadas ao controle do câncer de mama.

Segundo o relatório, de acordo com a base de dados dos Registros Hospitalares de Câncer (RHC) do INCA, para aqueles pacientes com informação preenchida, o tempo médio entre o recebimento do diagnóstico do câncer de mama e início do tratamento, para o período de 2015 a 2020 no Brasil, foi de 174 dias e cerca de 62% dos pacientes diagnosticados levaram mais de 60 dias para iniciar seu tratamento no SUS.

No Rio Grande do Norte, este tempo é de 120 dias, sendo o menor do Brasil, de acordo com relatório. “Sabemos que ainda temos dificuldade no acesso às mamografias, mas temos trabalhado dia-a-dia para melhorar esse acesso em todo o estado”, disse a secretária adjunta da saúde, Lyane Ramalho.

Os estados com o pior desempenho no tempo entre o recebimento do diagnóstico do câncer de mama e início do tratamento foram: Sergipe com tempo médio de 273 dias; Rondônia com tempo médio de 245 dias e Mato Grosso com tempo médio de 233 dias. Para cálculo do tempo entre recebimento do diagnóstico e início do tratamento foram utilizados os registros de data de diagnóstico e data do início do tratamento.

Mutirão de mamografias

Nos dias 31 de outubro e 01, 03 e 04 de novembro o Governo do Estado realiza um mutirão de mamografias gratuitas, no estacionamento da Escola de Governo, para mulheres com idade entre 40 e 75 anos, através de uma parceria com o Grupo Reviver.

A ação vai ser realizada das 7h às 13h para a comunidade e das 13h às 17h para servidoras estaduais. O exame leva entre 10 e 15 minutos para ser concluído e os resultados serão entregues na Escola de Governo, cerca de 30 dias após sua realização. É necessário levar Carteira do SUS Natal, Carteira de Identidade e Comprovante de Residência.

Categorias
Matéria

Sesap abre mais de 100 leitos em três dias

A estrutura para tratamento da Covid-19 no Rio Grande do Norte ultrapassou os 400 leitos, somando unidades de UTI e clínicos, nesta sexta-feira (28). O trabalho coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), em parceria com municípios, possibilitou a abertura de mais de 100 leitos em três dias, passando de 313 no dia 25 para 418 leitos no fim da manhã desta sexta.

De acordo com a plataforma Regula RN, desses 418 leitos destinados ao tratamento da Covid-19, 161 são críticos e 257 clínicos. Assim, foram 26 leitos críticos e 69 clínicos disponibilizados na rede em três dias.

Desde o início do trabalho de expansão, há pouco mais de uma semana, já foram abertos 169 leitos, sendo 132 clínicos e 37 críticos. Os leitos se encontram espalhados em dez unidades de saúde, em seis municípios de cinco regiões do RN. O plano de ampliação ainda prevê mais 83 novos leitos, dos quais 47 clínicos e 36 críticos. A Sesap segue com um monitoramento constante dos dados para eventuais mudanças de rota no trabalho de manejo dos leitos Covid.

O esforço para a abertura e reversão de leitos se dá devido à nova onda de casos, puxada pela disseminação da variante Ômicron. Por isso, a Sesap reforça a necessidade da vacinação para diminuir a disseminação do vírus, evitar o agravamento de casos e a ocorrência de óbitos.

Um estudo do Comitê de Especialistas da Sesap apontou que a comparação entre as taxas de letalidade do atual momento da pandemia no RN e a primeira onda em 2020, sem a vacinação, mostrou uma queda de 4,7 vezes nesta onda. Caso as taxas fossem iguais, 505 pessoas a mais teriam sido vítimas da Covid-19 este ano. O levantamento concluiu também que se a terceira onda estivesse ocorrendo nas mesmas condições da segunda (março a julho de 2021), quando a imunização estava longe da ideal, o total de óbitos seria de 267 pessoas a mais que o atual patamar.

Categorias
Sem categoria

Com 207 mil pessoas com a segunda dose atrasada no RN, Sesap resiste em retirar obrigatoriedade do uso de máscaras

A Secretaria de Estado de Saúde Pública divulgou nota em que informa ser cedo para revogar a obrigatoriedade da máscara em locais públicos.

O argumento é que 207 mil potiguares com atrasos na segunda dose.

Confira a nota:

A Secretaria de Estado de Saúde Pública reforça que o atual momento da pandemia da Covid-19 é de manutenção dos cuidados sanitários, inclusive para os relacionados ao uso da máscara, principalmente em ambientes fechados e a lavagem das mãos e uso frequente do álcool gel.

É evidente como divulgado no dia de ontem e na retomada da Operação Pacto pela Vida, que existe hoje um visível aumento do número de casos em todo o estado, assim como da taxa de ocupação de leitos Covid.

Assim, ressaltamos a necessidade de que as pessoas completem o esquema vacinal com a segunda dose, visto que o estado tem 207 mil pessoas com a dose em atraso.

Por esses motivos, ainda é cedo para pensar em flexibilização do uso da máscara.

É importante ressaltar que o Pacto pela Vida que foi reafirmado com nota conjunta assinada por órgãos como Ministério Público, Defensoria Pública do Estado, Cosems, Femurn, entre outros, vem alertar a sociedade para o momento atual e se manterá em atividade com estratégias regionais e locais, conjuntas, de fiscalização, monitoramento de notificações, educação e comunicação de risco, em busca de um enfrentamento coletivo e rápido para um problema que deveremos aprender a conviver juntos, por muito tempo. 

Sem mais, reforçar a continuidade do uso da máscara.

Governo do Estado do Rio Grande do Norte

Secretaria de Estado de Saúde Pública