Categorias
Matéria

Agência de turismo mossoreoense abrirá filial em Fortaleza

Com 12 anos de atuação em Mossoró, o CEO da CGX, Carlos Gregório, abrirá a primeira filial da empresa na capital cearense, Fortaleza.

Localizada no bairro Aldeota, a agência terá horário de funcionamento de domingo a domingo e ingressa no mercado alencarino como parte do plano de expansão das suas atividades.

 “É mais um sonho tornando realidade. Comecei há mais de dez anos neste mercado percorrendo pela cidade de Mossoró e buscando tornar possível não só as minhas viagens, mas os sonhos de todos os nossos clientes. É um passo importante para nossa empresa. Estudamos, avaliamos e estamos levando o nosso orgulho potiguar para a cidade de Fortaleza”, afirma Carlos Gregório.

A empresa conseguiu avançar mesmo em um cenário de pandemia da covid-19.

Gregório explica que escolheu Fortaleza por questões técnicas e de logística. “Mossoró tem uma forte ligação com o Ceará. A maioria dos nossos passageiros embarcam por lá, dessa forma, temos conhecimento e expertise na malha aérea cearense. Voltar a Fortaleza, nessa nova fase, é uma sensação maravilhosa”, afirmou o empresário.

A expansão da empresa marca uma nova etapa institucional, com novo logo e marca, o acréscimo do X -, agora CGX Viagens – representa a multiplicação de sonhos e crescimento. Para além de diárias, rotas, trajetos, check-in e check-out, a CGX Viagens atua com vários diferenciais: plantão 24h de segunda a segunda à disposição para os clientes; personalização de passeios e rotas; facilidade na comunicação com os fornecedores contratados; seguro viagem; cruzeiros e passagens aéreas.

Mossoró

Rua Francisco Neves Freitas, 77, Nova Betânia. Próxima ao Estádio Nogueirão. (@cgxviagens)

Horário de Funcionamento: Segunda – Sexta (8h – 18h) e Sábado (8h – 13h)

Fortaleza

Avenida Santos Dumont, 1169, Loja 14, Aldeota. (@CGXviagens.for)

Horário de Funcionamento: Segunda – Sábado (9h – 21h) e Domingo (14h – 20h)

Com informações da CGX Viagens

Categorias
Artigo

Zion

 

Por Vander Lima Jurista*

Zion, o mais antigo dos cinco Parques Nacionais de Utah, herdou seu nome de uma antiga palavra hebraica que significa “santuário”, por 50 milhões de anos de erosão, suas formações rochosas excepcionais, a infinidade de trilhas selvagens e fauna e flora sem igual são um chamariz para quem busca isolar-se e inspirar-se. Os vários desfiladeiros, comunidades animais e sítios histórico culturais dentro do parque podem ser explorados em qualquer estação, embora primavera e outono ofereçam o melhor clima e as floras mais espetaculares. O parque impressiona por sua fotogenia e sua variedade de cores. Alguns paredões têm tantos tons de vermelho que parecem ter sido pintados por um MarkRothko Ancestral. Angels Landing é uma das montanhas mais famosas dentre os parques nacionais americanos. Seu cume revela uma vista completa e vertiginosa do cânion, a 450 metros do chão (O Pão de Açúcar RJ tem 395 metros). Mais pé no chão, mas não menos aventureiro, é o passeio mais famoso de Zion, The Narrows, esse sim para a família toda, trata-se de um corredor por onde corre o Rio Virgin ladeado por rochas de até 50 metros de altura que se estendem por 25 quilômetros. Em alguns trechos a largura entre as paredes alcança a marca dos 5,5 metros. Para chegar ao início da trilha, é preciso embarcar em um ônibus no centro de visitantes, descer no ponto Temple of Sinawava e andar 1,5 quilômetro por um caminho pavimentado que termina na água. Não há um ponto de chegada no passeio pelos Narrows, então a qualquer momento é possível dar meia-volta, volver. A maioria dos andarilhos gosta de seguir pelo menos até o trecho conhecido por WallStreet, estreito e sinuoso. Por ser o passeio mais famoso e família de Zion, lota, principalmente a partir das 12 horas. Eu indico o vislumbrar do nascer do sol saboreando um delicioso cappuccino ao som de um virtuoso jazz na leitura do livro O Mistério de Warburg.  *É jurista, escritor e músico.

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

 

Categorias
Artigo

Cultura do caranguejo

Cultura do caranguejo é o turismo de sol e mar (Foto: divulgação)

Por Carlos Eduardo*
Para brasileiros e estrangeiros o Nordeste do Brasil sempre foi um poderoso atrativo turístico por suas belezas naturais, por seu povo acolhedor, por sua cultura e culinária e ainda por suas excepcionais condições climáticas. Mas quando se compara o fluxo turístico da região, é fácil perceber que estamos muito atrás de Bahia, Pernambuco e Ceará, que desenvolveram outras formas turísticas além do uso do litoral, isto é, deixaram de lado a velha e nefasta cultura do caranguejo baseada no clássico sol, mar e doce far niente na orla. Enquanto isso, nossos empresários e autoridades continuaram ignorando muitos outros potenciais turísticos, que aliás temos de sobra.
Refiro-me ao ecoturismo, ao turismo de aventura, ao turismo religioso e histórico, ao turismo cultural, ao turismo de eventos e de negócios, ao turismo de alto luxo e até mesmo ao turismo de cruzeiro. Sei bem que a pandemia que ora enfrentamos foi impiedosa com o setor, prejudicando uma cadeia extensa de atividades, que vai da hospedagem, alimentação, comércio em geral, artesanato, rede de transportes, atividades recreativas, culturais e esportivas e até mesmo a atividades informais.
Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN analisou o impacto da covid-19 no trabalhador do turismo no RN, ouvindo 209 pessoas (72% homens e 28% mulheres) em Natal, Extremoz e Tibau do Sul (litoral), envolvendo trabalhadores formais e informais. O estudo aponta uma queda drástica e abrupta da renda desses trabalhadores. Entre os informais, 57,3% ficaram sem nenhum ganho. Entre os formais (com carteira assinada), dos 78,9% que ganhavam acima de um salário mínimo, o contingente foi reduzido a 32,7%. A pesquisa atestou que 56% dos trabalhadores afastados do trabalho no RN não recebiam qualquer espécie de remuneração. Na estimativa dos economistas, o setor do turismo deve retomar suas atividades de forma mais lenta do que outros setores, como a indústria, por exemplo.
O Plano Estratégico de Desenvolvimento Econômico do RN, elaborado pela FIERN, nos aponta os melhores caminhos para sairmos dessa estagnação. Dentre eles, reelaborar um vigoroso calendário de feiras, congressos, simpósios, eventos, encontros profissionais e de negócios, aproveitando melhor nossa rede hoteleira e os centros de convenção, além da vasta cadeia do negócio.
No interior, podemos explorar melhor grutas e cachoeiras, açudes e represas, trilhas ecológicas, locais para trekking e rapel, fortalecendo o turismo de aventura e de esportes radicais. Podemos estudar também as possibilidades do turismo rural e os segmentos da pecuária e da pesca. Podemos ainda aproveitar melhor o programa federal Viaja Mais Melhor Idade, estimulando o turismo da terceira idade na baixa temporada. Outra ideia é ampliar os festivais gastronômicos amparados em nossa rica culinária. Da mesma forma, podemos desenvolver mais ainda o chamado polo serrano com suas atividades de inverno. E por aí vai.
Como se vê, são múltiplos os novos caminhos que podemos traçar para desenvolver efetivamente o nosso turismo, a nossa indústria não poluente e que tanto retorno traz à economia da toda a região. O fato é que não podemos ficar nesse compasso de espera. Os empresários esperam pelo governo e o governo espera pelos investimento privados. Vamos todos nos unir em prol da melhor e mais imediata ação para levar o nosso turismo ao patamar que lhe cabe na ordem econômica.

*É ex-Prefeito de Natal.

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

Categorias
Matéria

Governadora cumpre agenda com ministro do turismo

Foto: Sandro Menezes

A governadora Fátima Bezerra realiza visita técnica e apresenta o Complexo Cultural da Rampa ao ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, nesta segunda-feira (12). A visita ao complexo, que fica no bairro de Santos Reis, acontece às 10h.

 Os prédios que vão abrigar o Museu da Rampa e o Memorial do Aviador, pas-sam por ajustes e retoques finais.

Em seguida, a governadora, acompanhada do ministro do Turismo seguem para uma visita às obras do Forte dos Reis Magos.

Categorias
Reportagem

Voos semanais entre Mossoró e Natal animam setor de turismo

Turismo começa a se animar com novo trecho divulgado pela Azul (Foto: Divulgação)

Foi notícia durante a semana que a partir de 23 de agosto a cidade de Mossoró ganha uma nova conexão operada pela Azul Linhas aéreas, desta vez com a capital do estado, Natal. Com três frequências semanais – às segundas, quartas e sextas-feiras – os clientes voarão a bordo de aeronaves modelo ATR 72-600, com 70 assentos. As passagens custarão a partir de R$129, 63, podendo variar a depender do dia e época do ano. (Veja mais sobre isso AQUI)

A notícia repercutiu nas redes sociais e animou os mossoroenses, uma vez os valores estipulados como base para as viagens não são tão altos e as reclamações sobrea BR-304, principal via de ligação entre Mossoró e Natal, são recorrentes. Outro fator muito lembrando é o preço da gasolina, que torna as viagens de carro mais caras.

Um segmento que particularmente recebeu com muita euforia a notícia foi o do turismo que, durante a pandemia de covid-19, enfrentou momentos muito difíceis e enxerga na iniciativa da Azul um canal para ampliação da venda de pacotes para mossoroenses e também para quem deseja conhecer a capital do Oeste potiguar.

O agente de turismo e diretor da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV) Carlos Gregório, relembra que no auge da pandemia o setor de turismo chegou a sofrer uma redução de 95% em seu faturamento e que a notícia da conexão Mossoró – Natal  alinhada ao aumento gradativo do número de pessoas imunizadas contra a covid-19 é vista com muita felicidade pelo segmento.

“Vemos essas notícias com muito alívio. Os preços de passagens apresentadas pela Azul estão dentro da realidade de mercado e vão ajudar a fortalecer o turismo na região. Tanto para pessoas que vão à Natal e outros destinos a partir de lá quanto para as pessoas que vem a Mossoró, conhecer nossa cidade ou seguir para municípios vizinhos”, avaliou Carlos que ainda lembrou que com passagens aéreas a partir de R$ 129,00 pode ser vantajoso inclusive deixar o carro na garagem e ir a Natal de avião.

A empresária do ramo de turismo Giovanna Rangel comenta que o cenário para o segmento ainda não é o ideal, mas que já é melhor do que o vivido em 2020 e no início de 2021 durante o auge da pandemia. Ela afirma que o novo trecho de viagem anunciado pela Azul é visto com bons olhos, uma vez que os valores acessíveis fazem frente inclusive aos taxistas, que levam centenas de mossoroenses todos os dias a Natal

“Com o avanço do calendário de vacinação, aos poucos, a população tem voltado a pesquisar novamente viagens, bem como planeja-las. Porém, não podemos afirmar ainda que as coisas voltaram à normalidade. Os voos de Mossoró/Natal e vice versa ainda não aqueceram as vendas,  mas existe uma grande promessa, visto que os voos iniciam suas vendas com valor de R$ 120,00 o trecho sem bagagem despachada, esse valor é o mesmo cobrado por alguns taxistas hoje para fazer a mesma rota” avaliou a empresária.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de Mossoró, Franklin Filgueira,  comemorou a nova “ponte aérea” entre Natal e Mossoró. Ele destacou que a novidade vai ajudar a recuperar o setor de turismo nas duas cidades e fortalecer a economia no oeste potiguar.

“Essa é uma notícia espetacular. Essa ponte aérea, além de garantir o maior fluxo de empreendedores, homens e mulheres interessados em investir em Mossoró, também vai beneficiar o segmento do turismo, que depende muito do conforto, da segurança e da rapidez que viagens como essa trazem”, concluiu o secretário.

Categorias
Matéria

Emenda parlamentar garante recursos para videomonitoramento na praia de Pipa

Pipa terá Câmeras de seguranças (Foto: reprodução)

O videomonitoramento da Praia de Pipa avança. Esta semana, a Secretaria Municipal de Turismo de Tibau do Sul anunciou entendimento com a Secretaria de Estado da Segurança Pública sobre a instalação de 12 novas câmeras de videomonitoramento.

Os equipamentos serão adquiridos com recursos destinados, via emenda parlamentar, pelo deputado federal Rafael Motta (PSB), para garantir a segurança de moradores e turistas.

Hoje, o destino conta com 14 câmeras, que passarão por manutenção e melhorias, além da instalação de 12 novos equipamentos.

A expectativa é que a empresa ganhadora da licitação execute os serviços em aproximadamente 60 dias.

“A preocupação com segurança é permanente no nosso mandato e com esse investimento, poderemos trazer resultados concretos, sobretudo com a queda nos índices de criminalidade”, disse Rafael Motta.

Categorias
Matéria

Secretário de tributação apresenta lista de incentivos fiscais do Governo ao turismo no RN

Carlos Eduardo Xavier explica ações do Governo para socorrer o setor do turismo (Foto: divulgação)

O secretário estadual de tributação Carlos Eduardo Xavier usou as redes sociais para mostrar as ações do Governo do Estado para minimizar a crise do turismo em Natal.

Ele listou as medidas. Confira:

1 –  redução do ICMS do querosene de aviação para companhias aéreas mediante metas de incremento de voos;

2 – redução de ICMS da energia elétrica para hotéis e pousadas até 12/21;

3 – prorrogação do ICMS Normal de abril por 90 dias para Bares e Restaurantes;

4 – prorrogação do IPVA para empresas do setor de turismo em geral, inclusive eventos;

5 – desburocratização de linha de crédito especificamente para bares e restaurantes;

6 – Campanhas nacionais como Band Verão e a realização do Rally dos Sertões;

7 – criação do Turismo Cidadão que visa estimular o turismo regional no período de retomada;

8 – concessão de isenção da tarifa de água para bares e restaurantes por 3 meses;

9 – Super Refis para parcelamento de débitos tributários com o Governo do Estado.

Sobre as medidas o secretário comentou:

“Isso pode não resolver o problema mas é muito distinto de somente discurso. O Governo do RN trata o turismo como prioridade desde que a governadora Fatima Bezerra assumiu a gestão estadual, no entanto é preciso entender que a pandemia em TODO O MUNDO atinge este setor de forma brutal”.

Ele disse ainda que as medidas de restrição serão flexibilizadas na medida em que os números melhorem. “O Governo do RN seguirá agindo com prudência, visando salvar o maior número de vidas possíveis, e mitigando dentro das suas possibilidades os efeitos econômicos e sociais desta doença. Seguiremos evoluindo nas flexibilizações de forma gradual sempre que os indicadores permitirem”, comentou.

Ontem foi divulgado um estudo da Universidade de São Paulo (USP) apontando que em Natal 39% das demissões em 2020 foram no setor de turismo.

Categorias
Informe Publicitário

Ministro do Turismo diz que Brasil receberá US$ 30 bi quando legalizar cassinos

Diante a uma persistente crise econômica que já atinge muito tempo, que foi potencializada e agravada com todos os problemas ocasionados pela pandemia, a regulamentação dos cassinos apresenta uma possibilidade positiva de investimento estrangeiro para diversos setores que atualmente estão prejudicados.

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou sobre os aspectos positivos que a aprovação de um dos projetos que tramita no Congresso agrada do ponto de vista financeiro: “Tem vários projetos no Congresso Nacional. Um deles é o do Senador Irajá Abreu, muito semelhante ao dos americanos. Agora, a hora que o Brasil abrir para isso, nós temos já dados que vão vir mais de US$ 30 bilhões para serem investidos no Brasil assim… automaticamente”.

Este projeto que o ministro se refere prevê a implementação de cassino associados à resorts, com uma estrutura voltada para o turismo, um modelo que já existe nos Estados Unidos com resultados positivos, como, por exemplo, o The Venetian, do grupo Las Vegas Sands, que foi citado por Machado durante a entrevista: “Eles têm um centro de convenções que roda por semana 180 mil pessoas. No hotelzinho dele não cabe porque só tem onze mil quartos. Mas ele lota todos os hotéis no entorno. Fora isso, há mais de 200 lojas, restaurantes e dois teatros que fazem shows ao mesmo tempo. Quando a gente estava lá, tinha dois shows, ao mesmo tempo, do Willie Nelson e do Rod Stewart na mesma hora e todos os dois lotados. Sem contar as piscinas… E tem a parte dos resorts dos cassinos, que representa 24% do faturamento de um resort integrado”.

Relacionado a preocupação de boa parte dos que são contra a regulamentação dos cassinos no Brasil, sob o argumento da possibilidade do vício em jogos se alastrar, o ministro voltou a citar o exemplo do The Venetian: “Aquele que é viciado em jogo não consegue jogar lá. Eles identificam e o tiram. Então se montarem um cassino aqui ou na Argentina e fizerem uma coisa errada aqui, ele perde a concessão lá por causa do compliance. Ele montou cassino em Cingapura e o governo americano fiscaliza o mundo todo essa parte”.

Um dos questionamentos ao ministro foi sobre a possibilidade de seguir o exemplo de Las Vegas, onde uma região pobre e desértica foi transformada em um dos maiores polos turísticos do mundo, devido ao atrativo gerado pelas estruturas dos cassinos, algo que muitos acreditam que seria benéfico para as regiões mais pobres do Brasil.

No entanto, segundo Gilson Machado, o principal entrave para essa transformação seria o tempo necessário para o retorno do investimento: “A região hoje que os donos dos cassinos escolheriam seria aqui em São Paulo e no Rio de Janeiro porque estão perto de aeroportos. Las Vegas passou 90 anos para virar “Las Vegas”. Não é você chegar hoje em uma região pobre do Brasil, como no Nordeste, que não tem estrutura e não tem nada. Você vai demorar 20 anos pelo menos para poder construir um aeroporto e construir tudo”.

É importante salientar que diversas empresas consolidadas em outros mercados internacionais já demonstraram interesse em explorar o setor de jogos no Brasil, como a Melbet, fundada em 2012 como uma subsidiária do gigante conglomerado cypriota 1X Corp N.V., que possui atividades em 134 países.

Categorias
Matéria

Governo e Azul discutem retomada de voos comerciais em Mossoró

CEO da Azul John Rodgerson recebe equipe do Governo do RN (Foto: Guia Dantas)

O Governo do Estado e a Azul Azul Linhas Aéreas firmaram um compromisso de realizar uma força-tarefa com o objetivo de solucionar os entraves para possibilitar a retomada brevemente dos voos comerciais a partir do Aeroporto Dix-sept Rosado.

A governadora Fátima Bezerra (PT) em reunião com os dirigentes da empresa pleiteou a criação de uma nova rota ligando Mossoró, Natal e Recife.

Ela foi recebida pelo CEO da companhia, John Rodgerson, que anunciou o incremento na oferta de voos para o Rio Grande do Norte.

A Azul Linha Aéreas anunciou o retorno de voos regulares para o Aeroporto Aluízio Alves vindos de Campinas-SP e Belo Horizonte-MG, que são dois grandes polos emissores de turistas para o Estado, além de melhorar substancialmente a conectividade com as regiões Sul e Sudeste. A governadora Fátima reforçou junto à diretoria da companhia, a importância da manutenção dessas operações após o período de alta temporada, devido ao papel estratégico que  representam para o turismo. Também foi confirmado o aumento da frequência com o aeroporto de Recife-PE que atingirá o número de cinco voos diários, a partir de novembro.

“O turismo é uma das principais atividades econômicas do RN. E notícias como essa que recebemos da Azul, que vai aumentar o número de voos para o nosso estado, nos deixa satisfeitos enquanto Governo. Não medimos esforços para criar medidas para mitigar os impactos causados pela pandemia e estamos aqui dialogando com as empresas para trilharmos juntos um caminho seguro nesta retomada”, destacou Fátima.

A Azul representa, hoje, 16% da oferta de assentos no Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves.

Estiveram na reunião os secretários Estado Carlos Eduardo Xavier (Tributação), Ana Maria Costa (turismo), Guia Dantas (Comunicação), Bruno Reis (diretor-presidente da Emprotur), a assessora especial do Gabinete Civil, Luciana Daltro e o gerente de negócios Aéreos da Inframerica, Roberto de Oliveira Luiz.

Categorias
Matéria

Malha aérea do RN cresce 169% entre julho e outubro

Movimento no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante sobe (Foto: Rayane Mainara)

O turismo no Rio Grande do Norte apresenta sinais positivos de retomada. De acordo com dados da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), a malha aérea do estado apresenta um crescimento de 169%, analisando os meses de julho a outubro. A oferta atual de voos potiguar já corresponde a 63% da malha aérea planejada pré-pandemia para o mês de outubro, considerando apenas os voos domésticos. Os números apresentam um aumento expressivo para o setor e mostram que o Rio Grande do Norte se consolida como destino seguro, em resposta ao trabalho realizado desde o início da pandemia, com a criação do Plano de Retomada do Turismo, os protocolos de biossegurança e aquisição do Selo Safe Travel, chancela internacional do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC).

A partir de outubro, o Rio Grande do Norte estará conectado aos principais aeroportos do sudeste, centro-oeste e nordeste do Brasil, com ligações diretas de Fortaleza, Salvador, Recife, Rio de Janeiro (Galeão), São Paulo (Guarulhos) e Brasília. As principais companhias aéreas nacionais (GOL, LATAM e AZUL) retornaram e ampliaram as operações no estado. O Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves também volta a receber o voo Natal/Lisboa/Natal, com aproximadamente 50% da malha programada, para este período, antes a pandemia.

Para a secretária de turismo do Estado, Ana Maria da Costa, este é o momento de investir em promoção do destino. “Destinar recursos para a divulgação do Rio Grande do Norte é fundamental, no governo da professora Fátima Bezerra, foi possível incluir o turismo no orçamento estadual. Estamos confiantes na retomada deste setor que movimenta uma cadeia de 52 segmentos e emprega milhares de pessoas”, ressaltou.

Ações de promoção

O Governo do Estado por meio da secretaria de Turismo (Setur) e da Empresa de Promoção Turística Potiguar (Emprotur) lançaram nesta terça-feira (22) a campanha Visite o Rio Grande do Norte, voltada para o fortalecimento do turismo regional. A ação de marketing abrange onze estados: RN, PB, PE, CE, AL, BA, SE (RJ, SP, MG e DF). Pesquisas apontam que a atividade turística, neste momento de retomada, ocorrerá primeiramente em viagens curtas, feitas de carro, com uma média de até 600 km de distância da residência, principalmente aos finais de semana e feriados.

Os meios de hospedagem dos principais destinos turísticos do Rio Grande do Norte, também apresentam números positivos de ocupação. De acordo com o Departamento de Inteligência e Pesquisas da Emprotur, o estado registrou 91%, a taxa de ocupação média, durante o último feriado prolongado (07 de setembro). Foram analisados hotéis das cidades de Natal, Mossoró, Tibau do Sul/Pipa, São Miguel do Gostoso, Galinhos, Touros, Maxaranguape, Baía Formosa e Martins.

O turista local é predominante, seguido dos estados de Pernambuco, Paraíba e Ceará, com tempo médio de dois dias de permanência. Esse movimento confirma algumas expectativas sobre a retomada do turismo, itinerários mais curtos (distância e permanência) e mercados de proximidade. Outro fator positivo na pesquisa é a presença de turistas de São Paulo e Minas Gerais, que mesmo em menor volume, indicam que o turismo nacional dá sinais de retomada.

Entre as ações de promoção e marketing planejadas para o último trimestre de 2020 e para 2021, destacam-se ações promocionais com companhias aéreas, campanhas nos canais de vendas das maiores operadoras do país, participação em feiras de turismo, captação de voos charters, ações promocionais nos shoppings das cidades de Mossoró/RN e Campina Grande/PB. Está prevista ainda a vinda de jornalistas, fotógrafos e influenciadores nacionais para viverem a experiência potiguar. E para fomentar o mercado de eventos, outro importante segmento dentro da cadeia do turismo, a Setur preparou um tarifário promocional de comercialização do Centro de Convenções de Natal com até 40% de desconto.

Eventos

Mais um impulso à economia e ao turismo potiguar, foi o anúncio da retomada gradual para o setor de eventos corporativos e de convenções, autorizado pelo Governo do Estado a partir desta terça-feira (22). A portaria publicada em edição extraordinária do Diário Oficial do Estado, na segunda-feira (21), estabelece um cronograma com cinco fases para a retomada.

A primeira fase libera uma frequência máxima simultânea de até 100 pessoas nos eventos. A fase seguinte permite, a partir de 06 de outubro, que os eventos possam ter até 400 pessoas; a fase três, no dia 20 de outubro, permite até 700 pessoas. Já no dia 03 de novembro, a fase quatro alcança até mil pessoas. E a última fase do cronograma, no dia 17 de novembro, permitirá até três mil pessoas, mas apenas para eventos em ambientes abertos.

O cumprimento do cronograma de retomada está condicionado aos indicadores da pandemia do coronavírus no RN. Caso a Secretaria de Saúde detecte uma tendência de crescimento da doença, após a liberação das atividades, as fases podem ser adiadas ou reestabelecidas fases anteriores.