Categorias
Matéria

A história da cidade que deixou de receber Bolsonaro após o prefeito dizer que não abriria mãos dos protocolos sanitários

Apodi leva o nome do ramal que vai receber as águas do Rio São Francisco (Foto: reprodução)

O prefeito de Apodi Alan Silveira (MDB) foi procurado pelo cerimonial do Palácio do Planalto para que a cidade recebesse o presidente Jair Bolsonaro para a solenidade de assinatura da ordem de serviço das obras do ramal Apodi das obras de transposição das águas do Rio São Francisco.

A consulta se deu cerca de dez dias antes da agenda.

Alan contou ao Blog do Barreto que na conversa deixou bem claro que a cidade teria condições de receber Bolsonaro desde que os protocolos sanitários fossem respeitados.

Depois disso não houve mais contato e ele soube pela imprensa que a agenda seria em Pau dos Ferros. “Terminei até indo porque era um assunto de interesse dos apodienses, mas resguardei o distanciamento necessário”, relatou ao Blog.

Bolsonaro já foi multado em São Paulo e no Maranhão por descumprimento de protocolos sanitários. No entanto, o prefeito de Apodi não soube precisar se esse seria o motivo da mudança de agenda para Apodi. “Talvez tenha sido por Marianna (Almeida, prefeita de Pau dos Ferros) ser do partido do ministro Fábio Faria. É difícil avaliar”, disse.

A agenda em Pau dos Ferros foi marcada pelo gesto do presidente tirar a máscara de uma criança e pelo protesto silencioso da prefeita Marianna Almeida (PSD) que usou preto em homenagem as vítimas da pandemia e manteve-se de máscara o tempo todo.