Categorias
Matéria

Caern informa que abastecimento de água será suspenso em Mossoró e Assú nesta terça-feira

A Caern realiza nesta terça-feira (11), manutenção em equipamentos do sistema adutor Jerônimo Rosado. A partir das 6h da manhã, o serviço será iniciado e o envio de água para Mossoró e Assú será suspenso. A adutora reforça o abastecimento de parte de Mossoró e a totalidade de Assú.

Os bairros mais afetados em Mossoró são: Dom Jaime Câmara, Costa e Silva, Sumaré, Liberdade I e II, Planalto 13 de Maio, Ilha de Santa Luzia, Centro, Paredões, Bom Jardim, parte do Santo Antônio, Abolição III e IV, Nova Betânia e Santa Delmira.

Para Mossoró a previsão é que o serviço seja concluído durante à noite da terça-feira (11), quando o sistema será religado. Após o funcionamento do mesmo são necessárias 48 horas para normalização.

ASSÚ

Em Assú, a religação está prevista para ocorrer durante a tarde de terça-feira (11), por volta das 14h. Após religar são necessárias 48 horas para normalização.

Categorias
Matéria

Mossoró vira destaque nacional no Dia de Finados

Reportagem do TAB UOL assinada pelo jornalista Valcidney Soares abordou o culto aos restos mortais do cangaceiro Jararaca no Cemitério São Sebastião em Mossoró.

O material abordou o culto ao cangaceiro, morto na resistência ao bando Lampião em junho de 1927, que se tornou um santo popular dos católicos da cidade.

O material aborda relatos de milagres e a visitação ao túmulo do cangaceiro, redimido como santo, no Dia de Finados.

Uma das fontes ouvidas para explicar a figura histórica de Jararaca foi o professor Tales Augusto.

A reportagem, que você pode ler AQUI, está na capa do UOL.

 

Categorias
Matéria

Reforma da Praça da Convivência custará quase R$ 1,3 milhão

Reforma será realizada pela empresa AMV Projetos e Construções Eireli (Foto: Marcos Elias de Oliveira Júnior)

A Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) homologou, no dia 09/08/2021, o resultado do processo licitatório para contratação de empresa que realizará as reformas na Praça de Convivência de Mossoró. A Empresa vencedora da licitação foi a AMV Projetos e Construções Eireli (CNPJ: 10.480.822/0001-70) e o valor da obra será de R$ 1.293.992,76.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Franklin Filgueira, explicou que as obras na Praça são urgentes e que a estrutura defasada do ponto turístico tem, inclusive, afastado o público do corredor cultural.

“Podemos dizer que a Praça estava abandonada. Há muitos anos sem uma reforma substancial. Em alguns pontos tínhamos uma situação de penúria: bancos quebrados, banheiros inutilizáveis, paredes caindo, pintura descascando…Tudo isso desestimula as pessoas a utilizar a praça e consequentemente enfraquece o potencial econômico do local. Agora vamos fazer uma reforma completa na estrutura desse equipamento e garantir que ele volte a ser atrativo para comerciantes, turistas e a população de Mossoró” destacou o Secretário.

Frankiln informou  que as datas para início e término da obra serão divulgadas em breve e que a apresentação de como se darão as obras também será divulga em breve pela equipe técnica da PMM.

“Vamos analisar junto à empresa qual será o prazo para a entrega da obra e tudo isso será amplamente divulgado. De cara penso que a Praça terá de ficar fechada enquanto realizamos as obras uma vez que são muitos os reparos que tem de ser realizado, muita coisa estrutural será mexida, mas é só depois do diálogo com a empresa vencedora da licitação que poderemos definir isso”, afirmou o Secretário

Categorias
Artigo

Perspectivas para um projeto de desenvolvimento regional

Mossoró tem grande potencial para ser a locomotiva econômica do estado do Rio Grande do Norte (Foto: Canindé Soares)

Por Gutemberg Dias*

A Região Imediata de Mossoró tem uma potencialidade econômica invejável. Mas, o que falta para ela realmente ser a locomotiva econômica do estado do Rio Grande do Norte? Essa é uma pergunta que merece uma resposta bem criteriosa, pois não adianta apenas dizer que temos petróleo, sal, fruticultura, vento e sol, seria insuficiente usar essa retórica eleitoreira para responder.

Essa região, como disse, dispõe de potenciais naturais que podem ser aproveitados de inúmeras formas, sejam individualizados ou conectados, garantindo uma grande sinergia econômica. Um exemplo claro disso é a produção de petróleo, sal e cal de alta pureza que juntos são a base para a indústria de PVC. Ainda podemos citar o polo cimenteiro que já começou a ser estruturado, temos duas fábricas em operação e novos projetos em andamento.

A indústria do petróleo, mesmo em declínio, ainda tem muita perspectiva com esse novo cenário de produção. A expertise adquirida durante anos precisa ser melhor aproveitada e a atração de indústrias de bens e materiais para uso na cadeia pode ser uma oportunidade a ser estruturada. Temos uma boa logística e estrategicamente a região está bem-posicionada geograficamente para atender todo o onshore brasileiro.

O turismo, também, tem muita perspectiva. Essa região e em seu entorno tem praias belíssimas, serras, complexos cársticos (cavernas), salinas entre outras atrações que precisam ser mais bem aproveitadas. Estruturar políticas de fomento a essa cadeia precisa ser um dos pilares dos governos estadual e municipais levando em consideração duas perspectivas: a interiorização do turismo e a geração de emprego e renda.

Essas potencialidades podem ser trabalhadas de forma múltiplas na perspectiva de turbinar a econômica regional. Mas, como disse, não adianta apenas ter o recurso natural, se não houver planejamento voltado ao desenvolvimento econômico ele continuará sem o valor agregado que é o grande diferencial competitivo.

Particularmente, sinto que falta planejamento por parte dos entes federados no tocante ao desenvolvimento econômico regional. Os grandes projetos que se assentam na região não têm assinatura dos governos municipais e estadual, geralmente são oportunidades visualizadas por grupos empresariais a partir de estudos próprios. Agora imagine essa região, com todas suas potencialidades, dotada de um projeto de desenvolvimento econômico encadeado, certamente atrairíamos vultuosos investimentos.

Acredito que Mossoró, por ser a cidade polo, deve encabeçar uma discussão a despeito de um projeto regional de desenvolvimento, haja vista que será extremamente beneficiada já que congrega a melhor infraestrutura da região e, naturalmente, receberá os principais investimentos.

Eu não tenho dúvida nenhuma que se houver, sobretudo, vontade política para elaboração desse projeto de desenvolvimento regional e sua implantação, essa região será a locomotiva econômica do estado. Pode anotar!

*É professor universitário.

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

 

Categorias
Matéria

Mossoró inicia vacinação de pessoas com 49 anos ou mais

Para se vacinar é necessário apresentar documento oficial com foto e comprovante de residência – cópias e originais (FOTO:Célio Duarte – Secom/PMM)

Mossoró iniciou nesta segunda-feira (14), a vacinação de uma nova faixa etária. Desta vez, as pessoas com 49 anos ou mais sem comorbidades têm a oportunidade de receber o imunizante.

As pessoas que se encaixam na faixa etária devem procurar o Ginásio do Sesi para realizar a vacinação contra a Covid-19.

É necessário apresentar documento oficial com foto e comprovante de residência – cópias e originais.

No fim de semana, 10 unidades básicas de saúde, além do Sesi no sábado (11), foram abertas para vacinação. Ao todo, no sábado e domingo, 4.667 doses de vacina foram aplicadas.

Categorias
Matéria

Quase 5 mil doses contra a Covid-19 foram aplicadas em Mossoró no último final de semana

Em um final de semana quase 5 mil pessoas receberam doses da vacina (Foto: Célio Duarte/PMM)

A vacinação contra a Covid-19 em Mossoró no último final de semana foi bastante movimentada. De acordo com informações da Secretaria de Saúde, foram aplicadas 4.919 doses entre o sábado e o domingo (05 e 06 de junho).

No sábado foram aplicadas 1.414 doses, dentre as quais 73 eram segunda dose. Ainda foi ampliado o grupo dos trabalhadores da educação que podem receber a vacina, agora contemplando os profissionais do ensino fundamental. 

No domingo, Mossoró iniciou a imunização das pessoas com 55 anos ou mais sem comorbidades. Foram aplicadas 3.505 doses, sendo 20 da segunda dose. A capital do Oeste potiguar é a primeira das cidades do estado a iniciar a vacinação das pessoas sem comorbidade.

“Nossa intenção é promover a vacinação de uma forma organizada respeitando um planejamento prévio. Sempre que temos a disponibilidade das doses fazemos um estudo para saber se é possível avançar para não ficarmos com vacinas paradas nas geladeiras diante de um cenário que ainda é preocupante nos nossos hospitais”, disse a secretária municipal de Saúde, Morgana Dantas.

Dados da vacinação – De acordo com os dados apresentados pela Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM),  a cidade já está em sua terceira fase de vacinação contra a Covid-19. Até o momento foram 123. 415 doses recebidas da vacina e 119.062 doses aplicadas. Mossoró já possui 37.746 pessoas totalmente vacinadas, ou seja, que receberam as duas doses da vacina e que estão imunizadas contra o coronavírus. O município acumula 19. 741 pessoas curadas da doença e 522 óbitos. 

Categorias
Matéria

Lançamento do MCJ 2021 será realizado durante a live do Pingo da Mei Dia

MCJ 2021 será realizado todo de maneira virtual (Foto: Allan Phablo/PMM)

O lançamento do Mossoró Cidade Junina (MCJ) 2021 será realizado no dia 12 de junho, sábado, durante a live do Pingo da Mei Dia, evento que tradicionalmente marca o início das comemorações juninas em Mossoró. Durante o lançamento serão apresentadas todas as datas, polos e atrações que estarão presentes nos festejos.  As atividades poderão ser conferidas nos canais de comunicação da Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM).

A alteração na data do lançamento dos festejos juninos, que inicialmente aconteceria no dia 10 de junho, foi motivada pela prorrogação dos prazos de inscrição para artistas e bandas que desejam se apresentar no evento. De acordo com a Secretaria de Cultura de Mossoró, neste ano as inscrições para se apresentar no MCJ foram realizadas de maneira virtual, o que provocou dificuldades e a necessidade de ampliação do prazo. Confira abaixo o comunicado da PMM

Lançamento do MCJ será realizado durante “live do Pingo” (Foto: Reprodução Facebook PMM)

Em 2021 o MCJ será realizado de forma completamente virtual. Segundo informações da Secretaria de Cultura serão mais de 80 atrações se apresentando nos diferentes polos da festa e tudo poderá ser conferido de casa, através dos canais de comunicação da PMM, sem exposição aos riscos de contaminação pela COVID-19.

Outra novidade é que em 2021 todos os artistas que se apresentaram no evento são de Mossoró, fortalecendo e ajudando os profissionais da cultura local, que lutam para garantir a sobrevivência em meio à crise financeira imposta pela pandemia.

Categorias
Matéria

Pessoas com mais de 55 anos sem comorbidade já poderão se vacinar a partir do domingo (06)

Mossoró terá vacinação contra a COVID-19 durante todo o fim de semana (Foto: Igor do Vale/Estadão Conteúdo)

A vacinação contra a Covid-19 em Mossoró não para durante o fim de semana. Amanhã a vacinação é voltada para profissionais da educação do nível fundamental. No domingo (06), podem se vacinar todas as pessoas com mais de 55 anos sem comorbidades.

De acordo com informações da Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM), sábado será possível se vacinar no Ginásio do Sesi, principal ponto de vacinação contra a Covid-19 na cidade. No sábado e domingo  também é possível se vacinar em  10 Unidades Básicas de Saúde (UBS’S). Confira a lista de UBS’s

  • UBS Vereador Lahyre Rosado – Alto do Sumaré
  • UBS Maria Soares da Costa – Alto de São Manoel
  • UBS Dr. Francisco Nazareno Gurgel – Bom Pastor
  • UBS Dr. Lucas Benjemim – Abolição 3
  • UBS Dr. José Leão – Alto da Conceição
  • UBS Ildone Cavalcante de Freitas – Barrocas
  • UBS Dr. Moisés Costa Lopes – Redenção
  • UBS Marcos Raimundo Costa – Belo Horizonte
  • UBS Dr. Epitácio da Costa Carvalho – Pintos
  • UBS Chico Costa – Santo Antônio

A Secretária de Saúde de Mossoró, Morgana Dantas,  destaca que nos últimos dias foi registrada uma alta na procura pela vacina, em muito impulsionada pelos educadores e educadoras, que agora compõem o grupo prioritário de vacinação.

Ela relembra que a vacinação tem sido feita com celeridade em Mossoró, buscando atingir o maior público possível em menor tempo e destaca  que é indispensável que as pessoas que fazem parte de um grupo que já foi contemplado com a vacinação mas ainda não tomaram a primeira dose procurem urgentemente se vacinar.

“Infelizmente não temos como aguardar que todas as faixas de idade e prioridade atinjam 100% no número de vacinados. Precisamos vacinar o máximo de pessoas no menor tempo possível para garantir que menos gente contraia a doença e acabe parando em uma UTI. Isso não significa que quem ainda não tomou a primeira dose esteja impedido de tomar. Se você faz parte de um grupo que já foi contemplado pela vacinação e por algum motivo não se vacinou, procure imediatamente os pontos de vacinação em Mossoró”, ressaltou a Secretária.

Categorias
Matéria

População de Parnamirim poderá ser maior que a de Mossoró até 2033

A última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que Mossoró em breve será ultrapassada por Parnamirim em termos populacionais. Em um ano o número de habitantes da capital do Oeste potiguar cresceu metade do registrado para a cidade da região metropolitana de Natal.

O crescimento populacional de Mossoró entre 2019 e 2020 foi de 1,09% enquanto em Parnamirim foi de 2,13%. Em termos numéricos a capital do Oeste ganhou 3.240 novos moradores enquanto a cidade “Trampolim da Vitória” recebeu 6.358.

A se manter esta tendência a população de Parnamirim deverá superar Mossoró em 2033 de acordo com cálculo feito a pedido do Blog do Barreto pelo professor Prof. Dr. Mademerson Costa do Departamento de Matemática e Estatística da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

O quadro impressiona ainda mais quando comparamos que a evolução populacional das duas cidades nos últimos 29 anos. Em 1991, Parnamirim possuía 63.312 habitantes enquanto que Mossoró tinha mais que o triplo de moradores com 192.267 (ver quadro abaixo)

Observe que Parnamirim praticamente dobrou de tamanho duas vezes nos anos 1990 e 2000 enquanto Mossoró aumentava seu quantitativo de habitantes de forma mais modesta.

O chefe da unidade estadual do IBGE no Rio Grande do Norte Damião Ernane explica que essa situação passa e pelo fato de Parnamirim atrair moradores de Natal. “Parnamirim, com ampla expansão imobiliária e apresentação de movimentos sazonais diários para o trabalho na capital, o que é conhecido popularmente como cidade dormitório”, destacou.

Outro aspecto está relacionado ao crescimento econômico (ver gráfico abaixo).

“Embora Mossoró não tenha apresentado crescimento percentual similar a Parnamirim, as duas cidades de maior porte populacional depois da Capital, o maior município do Oeste Potiguar também pode ter seu crescimento explicado por fenômenos relacionados a aspectos econômicos, melhor estrutura de serviços da região, se constituindo como centro de influência e atração populacional. Conforme pode ser observado na Figura 1 (ver acima), o número de empresas nos dois municípios apresentou crescimento de 2006 a 2018, que em alguma escala pode ter contribuído pelo crescimento populacional de ambos”, acrescenta Damião Ernane.

Nova Realidade

O quadro de saída da Petrobras do Rio Grande do Norte impacta diretamente em Mossoró que perderá parte de seus habitantes atraídos pela indústria do petróleo que passará ao controle da iniciativa privada que por natureza contrata menos funcionários.

Categorias
Artigo

Mossoró para as pessoas: economia e geração de empregos por uma vida melhor

Mossoró tem desafios para retomada do desenvolvimento (Foto: Canindé Soares)

Por Isolda Dantas*

Esse é o nosso terceiro artigo da série Mossoró para as pessoas com base nas discussões que realizamos através dos seminários on line Mossoró que o povo quer. Estes seminários são a plataforma em que oferecemos discussões e recebemos sugestões sobre a gestão moderna para uma cidade, para que ela possa ser abraçada por todos. Desta forma, vamos falar hoje sobre a economia e a geração de emprego, tema de fundamental importância e que diz respeito a todos os mosssoroenses. Muito do que conseguimos captar em torno desta temática foi o resultado do debate no seminário que está disponível no canal do Partido dos Trabalhadores no Youtube, recebendo contribuições valorosas do senador Jean Paul Prates, Larissa Dantas da Potigás e Wellington Rodrigues do CDL Mossoró e gostaríamos de trazer aqui algumas delas.

Para começar e especialmente neste período de pandemia, o setor econômico de todo país foi afetado com recessão, desemprego e aprofundou a precarização do trabalho. Em Mossoró, o cenário não foi diferente: empresas de pequeno e médio porte tiveram uma quebra de investimentos e milhares de trabalhadores foram demitidos. E se formos pensar em Mossoró na pandemia e no panorama do pós-petróleo, temos um ingrediente a mais para nos preocuparmos. Gestões anteriores não prepararam a economia local para a saída da Petrobras de nossa cidade. Isso afetou a todos, do trabalhador direto ao comerciante no bairro. O dinheiro parou de circular e isso prejudicou o desenvolvimento e a qualidade de vida das pessoas.

Assim, no aspecto da pandemia, já ressaltamos aqui que não separamos economia e a defesa da vida. Para uma economia viva precisamos de gente viva. O distanciamento social foi fundamental para evitar inúmeras mortes de mossoroenses. Muito mais mortes poderiam ter sido evitadas caso a prefeitura tivesse seguido à risca os decretos estaduais e tivesse investido na saúde pública de Mossoró, mas esta conversa fica para outro momento. Agora vivemos a reabertura do comércio e a volta de investimentos. E Mossoró precisa estar preparada para retomar uma economia que gere sustentabilidade para a cidade e emprego para o povo.

A economia de Mossoró chegou a viver um “boom” econômico motivado por um crescimento do PIB mais elevado da região Nordeste, em torno de 6%, nos governos Lula, e por fatores econômicos como fruticultura irrigada, indústria salineira e indústria extrativa – setor do petróleo da própria cidade, como ressaltado acima. O que proporcionou uma efervescência de massa salarial elevada devido aos altos padrões e salários que eram oferecidos na cidade por empresas como Petrobrás e suas subsidiárias e terceirizadas que atraiam pessoas de todos os lugares. Com isso, a cidade começou a crescer do ponto de vista econômico quanto demográfico, e consequentemente, começou a proporcionar novas oportunidades e possibilidades.

Como apontamos neste texto, gestores passados não se prepararam para esse momento pós-petróleo. A cidade foi resumida a praças, eventos, marketing e propaganda com objetivos vaidosos e nababescos, escoando os recursos que poderiam ser destinados a projetos de fortalecimento econômico, sem afetar a dinâmica da infra-estrutura e dos espetáculos locais que fomentam o turismo. O que queremos apontar é o não planejamento a longo prazo de um projeto econômico capaz de ser sustentável. Ou seja, capaz de se retroalimentar, movendo todas as estruturas deste setor, como trabalhadores, empresas e pequenos negócios. Após a saída da Petrobrás tentou-se uma remediação que veio através de uma empresa de telemarketing, ofertando números de empregos bem menores, alta rotatividade e nível salarial inferior, tentando preencher a lacuna deixada pela crise do petróleo. Embora importante, a massa salarial foi seriamente comprometida, portanto reduzindo o dinheiro circulante na nossa cidade.

A atual gestão de Mossoró nem sequer se manifesta pela permanência da Petrobras ou se move para atrair investimentos que possam proporcionar uma melhoria de vida para o povo. Parece que não há importância, que nada pode ser feito. Fala-se em “negócios da China”, promessas e maquetes. Quem não se lembra da fila imensa nas portas da Porcelanatti? A arrecadação do município segue estável. Mas o povo perece sem emprego e sem perspectivas. E não podemos permitir que seja retirado do nosso povo o que ainda resta diante de tanto descaso: a esperança. Pelo contrário, faz-se urgente a necessidade de retomarmos nossa auto-estima.

Mossoró tem potencial, todos sabemos disso. E acreditamos neste potencial. Além do petróleo que resta, a cidade tem o sal, a fruticultura, o vento, o sol, uma localização estratégica, as universidades – estadual e federal, também particular, dessa forma, o desenvolvimento econômico alternativo pode atuar nessas frentes, como também, o setor de serviço e comércio. O comércio mossoroense é o mais dinâmico da Região Oeste do RN, o que entre outros fatores, torna Mossoró cidade referência entre os municípios que compõe essa região. Tudo isso são elementos que podem ser trabalhados e potencializados. Já imaginou o que poderíamos fazer diante de tanta riqueza, com a disposição que o mossoroense tem para trabalhar?

É preciso alimentar o que temos de melhor e criar um novo ambiente, novas possibilidades e expectativas para o setor permanecer de forma produtiva com os profissionais que se formam aqui em uma interrelação com universidades, entidades, sindicatos e associações de tecnologia na busca de alternativas para o desenvolvimento econômico.

Estas alternativas também são atravessadas pelo talento do mossoroense, a sua força de trabalho importantíssima para fazer a roda da economia local girar. Parafraseando a tão conhecida expressão, o melhor de Mossoró é o mossoroense, aquele resistente e sempre disposto a crescer com orgulho da sua terra. Cada um de nós temos um talento, uma habilidade, um pendor para algo que somente nós podemos fazer. É isso que precisamos: do talento de cada um para que todos possam ter uma vida melhor. Cada um construindo a economia da cidade com o seu potencial. Isso sim é construir uma Mossoró de toda gente juntos.

*É Deputada Estadual e pré candidata a prefeita de Mossoró.

Este artigo não representa a mesma opinião do blog. Se não concordar, faça um rebatendo que publique como uma segunda opinião sobre o tema.