Câmara Municipal deve acumular pelo menos oito mudanças partidárias até o fim do ano

É uma questão de sobrevivência política. Sem coligações proporcionais e em partidos esvaziados, os vereadores de Mossoró devem deixar seus partidos nos próximos dias.

Uns, como João Gentil (que trocou o PV pelo Patriotas) e Aline Couto (que trocou o PHS pelo Avante), já estão em novas agremiações após um período longo com o status de “sem partido”.

Outros como Genilson Alves (PMN), Raério Araújo (PRB) e Alex do Frango (PMB) se articulam para mudar de siglas mediante liberação dos dirigentes partidários.

Genilson tem destino incerto. Já Raério e Alex devem ir respectivamente para PSD e PV com a missão de organizar suas respectivas nominatas.

O trio do PSD Emílio Ferreira, Maria das Malhas e Toni Cabelos vai migrar para um partido (juntos ou não) da base de apoio da prefeita Rolsalba Ciarlini (PP).

A lista pode aumentar por causa da quantidade de parlamentares em agremiações esvaziadas.

Compartilhe:

Uma ótima ideia ilegal

 

O vereador Genilson Alves (PMN) deu a sugestão do ano na Câmara Municipal: converter as multas de trânsito em recursos para reabertura das Bases Integradas Cidadãs (BICs), um projeto iniciado na curta gestão de Cláudia Regina (DEM), mantido por Francisco José Junior e encerrado sem maiores justificativas pela atual prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

A ideia consistia em usar os recursos das multas para pagar as diárias operacionais dos policiais militares em dias de folga.

No entanto, não há respaldo legal porque o dinheiro das multas é carimbado para obras de sinalização, educação no trânsito, engenharia de tráfego, policiamento, fiscalização e destinação de 5% do valor total para o Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito (Funset).

Qualquer destinação fora destes itens desrespeita a lei 9.503.

Nota do Blog: o projeto das BICs foi menos bem-sucedido que a propaganda da época, mas onde foi colocado continha a violência. No entanto, a criminalidade migrava para outro local. A prefeita errou por acabar com o projeto sem sugerir outra alternativa.

Compartilhe:

Para vereador há uma oposição na Câmara descolada das alternativas de poder em Mossoró

Em entrevista ao Meio-Dia Mossoró da 95 FM o vereador Alex do Frango, que está trocando o PMB pelo PV, fez uma interessante análise de conjuntura sobre o quadro político da oposição em Mossoró.

De acordo com Alex do Frango as alternativas de poder no campo da oposição não estão dialogando como deveriam com os vereadores oposicionistas. “Temos uma oposição na Câmara Municipal e outra fora dela. Desde o início não estamos atrelados aos líderes que existem fora da Câmara. Hoje entendi que não dá para esperar que os possíveis candidatos nos procurem e passei a buscar esse diálogo”, frisou.

Ele relatou que tomou a iniciativa de conversar com quadros da oposição que são alternativas para as eleições do ano que vem. “Já conversei com Allyson, Jorge e Gutemberg Dias”, relatou.

Hoje no campo de oposição as principais alternativas de poder são os deputados estaduais Isolda Dantas (PT) e Allyson Bezerra (SD) e o empresário Jorge do Rosário (PL). Ainda tem o médico Daniel Sampaio (PSL) pelo campo do bolsonarismo.

PV

Alex do Frango ainda explicou a situação dele no PMB. “Ajudei no que pude, inclusive sendo candidato, mas o partido não atingiu a clausula de barreira. Vou resolver a questão com o presidente estadual do partido”, explicou.

Ele admitiu que não será fácil organizar uma nominata na condição de vereador candidato à reeleição. “Mesmo assim estamos sendo procurados”, completou.

Compartilhe:

MP recomenda que Câmara de Mossoró suspenda contrato

Câmara é alvo do MP (Foto: autor não identificado)

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) requer que a Câmara Municipal de Mossoró rescinda imediatamente o contrato celebrado com uma empresa de contabilidade, interrompendo inclusive qualquer tipo de pagamento. A medida foi recomendada à presidenta da Casa Legislativa e publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (25).

Em investigações realizadas pela 11ª Promotoria de Justiça de Mossoró, pertinentes a um inquérito civil, foi constatado que a Câmara Municipal da cidade contratou a empresa para realização de serviços na Fundação Vereador Aldenor Nogueira.

Porém, se a Câmara precisa de contador, o procedimento regular para a contratação deve ser via concurso público, inclusive diante da existência de vaga para referido cargo, conforme determina a legislação e a Constituição Federal de 1988.

O descumprimento ao que foi recomendado pode implicar na adoção das medidas legais necessárias a fim de assegurar a sua implementação, inclusive por meio de ajuizamento da ação civil pública de responsabilização pela prática do ato de improbidade administrativa, em face dos gestores responsáveis pelos atos supostamente ilícitos.

Compartilhe:

Prefeitura e Câmara decretam luto oficial por morte de vereador

A Prefeitura de Mossoró e a Câmara Municipal de Mossoró decretaram luto oficial de três dias pela morte do ex-presidente da Câmara Municipal Chico Borges, ocorrida ontem.

A prefeita Rosalba Ciarlini (PP) lamentou a morte de Chico. “A nossa cidade lamenta a morte de uma personalidade que muito contribuiu para a história política local. Eu lamento, sobretudo, a perda de um grande amigo, pessoa de grande estima para mim e minha família. Manifesto meus votos de solidariedade aos seus familiares e a sua esposa, Zuíla e aos filhos, Amanda, Joaquim Borges e Júnior”, disse.

A Câmara Municipal emitiu uma nota de pesar e decretou luto. “No exercício dos mandatos parlamentares e da Presidência da Câmara, Chico Borges trabalhou com denodo em prol do povo mossoroense, e imprimiu marca de espírito público e abnegação pelo município”, diz a nota.

 

Compartilhe:

Instabilidade: bancada de oposição tem quinto líder em dois anos

Tudo bem. A alegação é de rodízio. Mas não deixa de ser um sintoma da falta de foco e liderança da oposição em Mossoró.

Não entendeu? Explico: a bancada oposicionista acabou de escolher o quinto líder da bancada em dois anos e meio de legislatura.

Já lideraram a bancada Isolda Dantas (PT), Genilson Alves (PMN), Ozaniel Mesquita (PL) e Gilberto Diógenes (PT).

Agora Raério Cabeção (PRB) assume a missão de comandar uma bancada heterogênea e desarticulada em votações chave como a que retirou o desconto em contracheque da contribuição sindical dos servidores municipais.

Enquanto isso, a bancada governista caminha com o mesmo líder desde o início: Alex Moacir (MDB).

Falta a oposição foco e liderança de fato. Sem isso a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) seguirá se dando ao luxo de fazer uma administração pífia sem ser incomodada.

Compartilhe:

Mais uma carta de intenções envolvendo Mossoró e petróleo

 

Mais um conjunto de promessas (Foto: Edilberto Barros/CMM)

Quinta-feira a Câmara Municipal de Mossoró realizou audiência pública para debater a retomada dos investimentos da indústria petrolífera na capital do Oeste.

Foi assinada uma carta de intenções entre representantes políticos e da Petrorecôncavo que adquiriu 34 campos de petróleo no Rio Grande do Norte.

Vejo com ceticismo essas cartas de intenções. Mossoró já caiu nessas conversas no passado e o resultado foi frustração.

Que a sociedade fique de olho e a classe política cumpra a missão de fiscalizar as promessas.

Ainda que tudo seja cumprido nada será como antes.

 

Compartilhe:

Licitação da publicidade da Câmara Municipal é dada como fracassada e pode terminar em guerra judicial

A presidente da Câmara Municipal de Mossoró Izabel Montenegro (MDB) assinou documento que dá como fracassada a licitação para contratar agência de publicidade para prestar serviços ao legislativo.

O documento foi assinado no último dia 9, segunda-feira.

Nenhuma das agências que concorreram conseguiu cumprir as exigências de acordo com a avaliação da Comissão de Licitação.

Algumas das concorrentes cogitam questionar os critérios na justiça.

Veja o comunicado AQUI

Compartilhe: