Categorias
Matéria

Vereadora denuncia que gestão de Allyson perdeu R$ 1,8 milhão em recursos da cultura: “incompetência”

A vereadora Marleide Cunha (PT) revelou nas redes sociais que a gestão do prefeito Allyson Bezerra (União) perdeu R$ 1,8 milhão em recursos federais para cultura dentro da Política Nacional Aldir Blanc (PNAB).

O prefeito tinha 180 dias para fazer a adequação orçamentária e o prazo se encerrou no dia 2 de junho.

“Mossoró pode ficar sem receber recursos para a cultura pelos próximos 5 anos”, alertou. “Prejudica os artistas, a cultura, a execução de projetos culturais e a população, que perde a oportunidade de ter acesso à arte feita em nosso município!”, escreveu na legenda do Instagram.

No vídeo, Marleide afirma que foi incompetência do prefeito e sua equipe.

Confira o vídeo:

Categorias
Matéria

Marleide lembra que Allyson negou doação de terreno para construção do IERN e afirma que cidade é uma “fábrica de mentiras” na atual gestão

Ao celebrar a inauguração da primeira unidade do Instituto Estadual de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação (IERN), ocorrida ontem (20), em Natal, a vereadora Marleide Cunha (PT) questionou os motivos que levaram o prefeito Allyson Bezerra (União Brasil) a não doar um terreno do município ao Estado para construção da unidade educacional em Mossoró.

Na tribuna da Câmara Municipal, nesta terça-feira (21), a parlamentar mencionou que, dos dez IERNs que estão sendo construídos, todas as unidades tiveram colaboração dos gestores municipais. Segundo ela, as obras em Campo Grande, Alexandria e Jardim de Piranhas estão avançadas, e devem ser entregues em breve.

“Era importante que Mossoró tivesse um IERN, que a juventude de Mossoró tivesse um instituto desse para fortalecer o ensino médio aqui. Mas, diferentemente dos dez prefeitos, em Mossoró não está sendo construído porque o Prefeito não doou o terreno para o Governo construir o IERN”, lamentou Marleide.

Segundo ela, com a falta de espírito público ao negar doação do terreno, a Prefeitura criou empecilhos para que o município tivesse uma unidade educacional que fomenta o desenvolvimento econômico e profissional, exaltando a potencialidade de cada local.

“É isso que significa abrir uma escola em tempo integral, e aqui em Mossoró tivemos esse problema lamentavelmente. Enquanto isso, em outros municípios do Estado, esses IERNs estão sendo entregues”, frisou.

‘Fábrica de mentiras’

Enquanto isso, segundo Marleide, “Mossoró vive uma fábrica de mentiras, onde se assina ordem de serviço todos os dias, se coloca placas, e não se tem obras”. Entretanto, a parlamentar disse que, após o ato formal de assinatura, a empresa deve iniciar as obras em até cinco dias.

 “Por que aqui em Mossoró se faz uma festa toda, gastam absurdos com palcos, se faz uma divulgação ampla e não tem as obras sendo iniciadas? Estamos vendo as Areninhas Potiguares com recursos que entraram no município em dezembro, e cadê as Areninhas sendo construídas?”, questionou.

Categorias
Matéria

Allyson faz mobilização na mídia parceira para corroer imagem de Lawrence e jogar Marleide contra Isolda

O prefeito Allyson Bezerra (União) está incomodado com a possibilidade de uma candidatura robusta de oposição e já se movimentou para ativar a imprensa aliada para gerar desgaste para cima do presidente da Câmara Municipal Lawrence Amorim (PSDB), que caminha para construir um palanque unificado.

Outra estratégia é provocar uma crise interna no PT entre as duas principais lideranças do partido na cidade: a deputada estadual e presidente do partido Isolda Dantas e a vereadora Marleide Cunha.

Em relação a Lawrence a estratégia consiste em colar na imagem dele a pecha de incompetente por causa da crise financeira no legislativo causada pela redução dos repasses do duodécimo. Gente da mídia que até bem pouco tempo era só elogios ao tucano agora passa demonizá-lo sem qualquer constrangimento. Além disso, há em paralelo a tentativa de colar no presidente da Câmara a fama de “traidor”.

Já com o PT, tenta-se forjar a partir do noticiário palaciano a ideia de que Marleide terá a reeleição prejudicada pelo fato de a tendência interna de Isolda ter uma candidata, no caso Plúvia Oliveira.

A análise força a barra no sentido de vender a ideia de que Marleide vai ser minada. No entanto, a vereadora tem uma base eleitoral ligada a educação e ao Sindserpum onde Plúvia não entra nem se mexe neste sentido. A eleição de Plúvia está sendo mobilizada dentro dos movimentos sociais, cultura e amplia o alcance de votos através de apoios dos vereadores Pablo Aires (PV) e Carmem Júlia (MDB) que não vão disputar a reeleição.

Eleger Plúvia não “deselege” Marleide.

A reação da mídia palaciana é uma sinalização de que Allyson está preocupado com a capacidade de se formar uma frente de oposição mais competitiva do que o que vinha se desenhando até o mês passado.

 

Categorias
Matéria

Vereadora propõe Conselho da Igualdade Racial

Tramita nas comissões da Câmara Municipal de Mossoró o Projeto de Lei 124/2023, de autoria da vereadora Marleide Cunha (PT), que autoriza a criação e implantação do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir) em Mossoró.

Apresentada em 21 de novembro de 2023, a proposta estabelece que o Conselho será ser um órgão de caráter permanente, colegiado, consultivo, propositivo e fiscalizador.

O objetivo, segundo Marleide Cunha, é participar do planejamento e execução das políticas institucionais de reparação das desigualdades raciais, bem como da promoção social, econômica, política e cultural da população negra.

“Esse Conselho terá por finalidade propor políticas voltadas à promoção da igualdade racial, combate ao racismo, efetivação de ações afirmativas e demais ações que contribuam para a valorização e ao reconhecimento da participação histórica das populações negras e outras etnias vulneráveis às discriminações, reconhecendo-as como agentes sociais de produção de conhecimento e estimulando a preservação de suas manifestações”, informa a vereadora.

Ela considera o Conselho necessário, em razão das desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil, expressas em números oficiais (IBGE), evidenciando que a população negra possui os menores salários, maior taxa de desemprego e menor formação acadêmica, mesmo com as ações afirmativas e política de cotas.

“Assim, apresentamos o Projeto de Lei à Câmara Municipal, na expectativa de que, após regular tramitação, seja ao final aprovado”, conclui Marleide Cunha.

Categorias
Matéria

Marleide avalia que justificativa de Allyson para negar empréstimo de tomógrafo demonstra sentimento de que um objeto vale mais que a vida de uma pessoa

Ao refletir sobre o poder da fala, em pronunciamento na Câmara Municipal de Mossoró, hoje (19), a vereadora Marleide Cunha (PT) lembrou ser bíblica a assertiva segundo a qual, quando se fala, significa que o coração está cheio.

A parlamentar acrescentou que, muitas vezes, pessoas tentam esconder o que está por trás de discursos previamente elaborados. Porém, alertou que chega o momento no qual a fala representa o que a pessoa pensa e o que ela é realmente.

“Trago essa temática, porque fiquei chocada com a fala do gestor maior do município, o prefeito Allyson Bezerra, na semana passada, sobre a situação do tomógrafo entre Hospital Regional Tarcísio Maia e a Prefeitura de Mossoró”, justifica.

Segundo Marleide Cunha, “ao dizer que não cedeu ao HRTM o tomógrafo da Prefeitura, encaixotado há um ano e quatro meses, não cedeu porque o equipamento não duraria uma semana, essa fala representa aquilo que o prefeito é de verdade, o que ele pensa: que o objeto vale mais que a vida de uma pessoa”.

A vereadora avalia que essa fala não pode ser minimizada, ao indagar: “O que significa essa fala? Que há negligência dos técnicos do Hospital Tarcísio Maia, que operam o tomógrafo sem zelo? Por mais que não passasse uma semana, nesta uma semana não estaria salvando dezenas de vida?”.

Marleide Cunha continuou, advertindo que são muitas as pessoas internadas, com necessidade de tomografia pelo SUS. Exames esses, segundo ela, que são  feitos, de segunda a sexta-feira, na Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) e, nos finais de semana e feriados, no Hospital São Luís.

“Mas sabemos que isso não é suficiente. E foi enviado ofício da Sesap (Secretaria Estadual de Saúde), solicitando o empréstimo do tomógrafo, mas o prefeito nem se dignou de responder. Melhor instalado por uma semana salvando vidas, do que guardado há um ano e quatro meses, encaixotado”, concluiu.

Categorias
Matéria

Lawrence, Marleide e Plúvia são os mais citados em enquete. Gilmar Dantas e Bruno do Munck são as novidades na enquete do Blog do Barreto

O Blog do Barreto perguntou quem seria o seu candidato a vereador em Mossoró se as eleições fossem hoje e cinco nomes se destacaram: os vereadores Lawrencem Amorim (SD) e Marleide Cunha (PT), além de Plúvia Oliveira (PT) que vai para a segunda eleição no próximo ano.

As novidades na lista são o auditor fiscal Gilmar Dantas, irmão do ex-vereador Chico da Prefeitura, e uma pessoa identificada como Bruno do Munck.

Confira os cinco mais citados na enquete:

Lawrence Amorim (SD): 11%

Marleide Cunha (PT): 10%

Plúvia Oliveira (PT): 6%

Bruno do Munck (Rede): 5%

Gilmar Dantas (sem partido): 4%

A enquete durou dez dias e teve mais de 2.100 votos.

Confira a votação geral AQUI.

Categorias
Matéria

Luta contra o racismo é tema do III Seminário Vidas Negras

A Câmara Municipal de Mossoró realizou a III edição do Seminário Vidas Negras, na sexta-feira, 24 de novembro. O evento foi incluído no calendário oficial da Câmara Municipal de Mossoró pela Resolução nº 08 de 2021, de autoria da vereadora Marleide Cunha (PT) e tem como objetivo destacar a luta antirracista através de palestras, valorização da cultura negra com apresentações culturais e homenagens a personalidades que se destacam na luta contra o racismo.

Também, durante o evento, cinco personalidades que se destacam na temática de combate ao racismo receberam o Troféu Vidas Negras como reconhecimento das contribuições pela causa.

No Seminário, estiveram presentes representantes de entidades educacionais, ONGs e movimentos antirracistas, além da deputada estadual do PT, Divaneide Basílio e dos vereadores Marleide Cunha (PT), Ozaniel Mesquita (União Brasil), Paulo Igo (SD) e Omar Nogueira (Patriota).

Para a vereadora Marleide Cunha, o reconhecimento da luta antirracista deve ser constante. “Aprovamos resolução para que o Troféu Vidas Negras possa ser dado em reconhecimento, em qualquer solenidade desta Casa, por vereadores que queiram homenagear mulheres e homens que se dedicam à luta contra o racismo”, afirmou.

Homenageados

As cinco pessoas que receberam Troféu Vidas Negras durante a solenidade foram: Gracy Karen, formada em administração de empresas, é empreendedora trancista e militante do movimento negro. Paulo Cunha , secretário municipal de juventude do PT e diretor de negros e negras da União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Norte. Luane Fernandes, formada em comunicação social com habilitação em jornalismo pela UERN, participou de projetos voltados para o cinema negro e de mulheres, levando filmes e conhecimento para as comunidades de Mossoró. Larissa Galvão, poeta de slam e artista plástica, participou de campeonatos renomados no Brasil da poesia no estilo slam. E Luh Vieira, a primeira travestir a presidir a União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Norte, integrou a construção do Plano de Igualdade Racial do Rio Grande do Norte.

Categorias
Matéria

Câmara debate implantação do Piso Salarial da Enfermagem

A audiência pública sobre a implantação e execução do Piso Salarial da Enfermagem, hoje (23), na Câmara Municipal de Mossoró, discutiu o destrave do repasse financeiro aos profissionais municipais da categoria. A discussão foi proposta pela vereadora Marleide Cunha (PT), em parceria com o vereador Ozaniel Mesquita (União).

Segundo Marleide Cunha, a audiência foi um espaço de escuta, ideias e informações, para, assim, propor encaminhamentos que garantam o direito conquistado pelos profissionais de saúde. “Que esse direito chegue ao bolso do profissional”, cobrou.

Também servidor na área da enfermagem, Ozaniel Mesquita observou que, apesar de ter sido iniciado em maio, alguns servidores sequer receberam as remunerações a que têm direito. “É necessário que a Prefeitura preencha adequadamente os dados desses profissionais no sistema do Ministério da Saúde (InvestSUS). Essas pessoas precisam de respostas, a situação precisa ser ajustada”, cobrou o parlamentar.

Valorização da Enfermagem

Entidades representativas da categoria também marcaram presença no debate na Câmara Municipal. É o caso do presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Norte (Coren/RN), Manoel Egídio Jr, e da diretora do Sindicato dos Servidores de Saúde de Mossoró (Sindssam), Talita Cavalcante.

De acordo com o representante do Coren, o piso salarial foi pensado para reconhecer e valorizar os profissionais “que se dedicam a salvar vidas 24 horas por dia”. Entretanto, segundo ele, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a legislação aprovada pelo Congresso foi “destruída”.

“Precisamos encontrar mecanismos para que as Casas Legislativas possam restabelecer aquilo que lei se propôs a trazer para a categoria”, defendeu.

Pelo Sindssam, Talita Cavalcante relatou que atrasos e inconsistências no pagamento provocam angústia nos servidores. Além disso, trouxe para a discussão a sugestão da equiparação salarial entre auxiliares de enfermagem e técnicos de enfermagem. “O Estado já fez isso e valorizou os servidores. Porque Mossoró não faz?”, questionou.

Garantia

Presente na reunião, o coordenador de Políticas Remuneratórias da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Fábio Maia, anunciou que, em 2024, o Ministério da Saúde (MS) fará qualificações com servidores que alimentam o InvestSUS para que o repasse seja facilitado, inclusive com a correção dos cálculos.

“A gente tem que entender que existe a separação dos poderes, existe a gestão municipal, estadual e da união. Temos todo o interesse em que se receba a assistência complementar financeira. Temos R$ 7,3 bilhões para executá-la, mas temos limites, e isso se dá de acordo com informações que recebemos”, frisou.

Já a secretária municipal de Saúde, Morgana Dantas, garantiu que os dados dos servidores que ainda não receberam estão sendo corrigidos, e em breve todos receberão o complemento, inclusive aqueles da iniciativa privada.

Referente à equiparação salarial de auxiliares e técnicos, Morgana citou precedente do STF que impossibilita o município de promover tal iniciativa. “Só podemos fazer se tivermos amparo na legislação”, complementou.

Após as discussões, encaminhou-se à Secretaria de Municipal de Saúde a proposta de criação de uma comissão para acompanhar o processo de pagamento das verbas, inclusive com instrumentos para ampliar a transparência com relação ao piso salarial.

Representatividade

Também participaram da reunião os vereadores Lucas das Malhas (MDB), Paulo Igo (Solidariedade) e Tony Fernandes (Solidariedade). Ainda contribuíram com o debate o superintendente estadual do Ministério da Saúde, Jalmir Simões; o vice-presidente do sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum), Luiz Costa; o representante do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Privada de Mossoró (Sintrapham), Luiz Avelino; a representante da OAB, advogada Renata Ribeiro, e ativistas da enfermagem.

Categorias
Matéria

Marleide questiona ausência de divulgação a respeito de mais de R$ 150 milhões que a Prefeitura vai receber através de ação judicial

Na sessão ordinária de hoje, 21, a vereadora Marleide Cunha (PT) questionou a falta de publicidade, por parte da Prefeitura, sobre recursos recebidos pelo município de Mossoró através de sentença judicial. A vereadora explicou que gestão passada entrou com ação na justiça e que o município foi vitorioso. Agora, a Agência Nacional de Petróleo está realizando pagamentos mensais à cidade. “Questiono o porquê dessa informação não ter sido divulgada na época pela Prefeitura de Mossoró. Nem os vereadores sabiam”, afirmou.

Para a vereadora, é essencial que haja transparência nos recursos recebidos e utilizados pelo Poder Executivo do município. “Precisamos saber o que entra, para poder cobrar obras e projetos. Mossoró está arrecadando um montante superior ao esperado e esse dinheiro precisa ser utilizado em obras”, afirmou.

Marleide explica que a Agência Nacional de Petróleo efetuará o pagamento ao município, totalizando R$ 153.793.955 divididos em 24 parcelas mensais. Aproximadamente R$ 5 milhões já estão sendo recebidos mensalmente, com honorários advocatícios totalizando R$ 1.281.000 por mês. “No entanto, surpreendentemente, a administração municipal optou por não informar à população sobre esse ganho significativo”, disse. A parlamentar cobrou transparência na utilização dos recursos.

Audiência pública

Também em pronunciamento, a parlamentar anunciou que na quinta-feira, 23/11, às 9h, a Câmara Municipal de Mossoró vai realizar uma audiência pública abordando o piso salarial da enfermagem. “O evento contará com a presença de representantes do Ministério da Saúde e da Coordenação do Setor Financeiro”, explicou Marleide. A audiência é uma iniciativa da vereadora em parceria com o vereador Ozaniel Mesquita (União Brasil).

Seminário

No dia seguinte, sexta-feira 24 de novembro, às 9h, está programado o III Seminário Vidas Negras, uma iniciativa voltada para a discussão sobre a juventude negra, abrangendo temas relevantes para a comunidade. O Seminário faz parte de uma lei de autoria da vereadora Marleide Cunha. As duas programações serão transmitidas ao vivo pela TV Câmara Mossoró (23.2 TCM).

Categorias
Matéria

Câmara Municipal de Mossoró realiza III Seminário Vidas negras na próxima sexta-feira

A Câmara Municipal de Mossoró vai realizar o III Seminário Vidas negras, na sexta-feira, 24. O evento surgiu através de um projeto de lei de autoria da vereadora Marleide Cunha (PT) em 2021 e tem como objetivo criar espaço de debate, reflexão e sugestão de políticas públicas que produzam mudanças de atitudes na sociedade e na vida dos negros e negras.

Pela lei aprovada, o Seminário deve ocorrer anualmente na semana do dia 20 de novembro, considerado o Dia da Consciência Negra. Além dos debates, o evento também faz homenagem a personalidades negras que contribuem na construção de uma sociedade sem racismo.

“Reconhecendo que vivemos em uma sociedade estruturalmente racista, o Seminário visa criar um espaço de debate sobre temas relacionados ao cotidiano da população negra. E tem a missão de discutir políticas públicas que busquem diminuir os problemas sociais enfrentados por mulheres e homens negros, e os impactos das desigualdades sociais, de gênero, raça e classe. Problemas esses que interferem diretamente no acesso à educação, saúde, segurança e na marginalização da cultura negra”, explica a vereadora Marleide Cunha.

O evento será transmitido ao vivo pela TV Câmara Mossoró e pelo site www.mossoro.rn.leg.br.