Categorias
Matéria

Consuni confirma decisão da comunidade acadêmica com Rodrigo Codes na cabeça da lista tríplice

Em Assembleia Extraordinária realizada na tarde desta sexta-feira, 19, o Conselho Superior da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Consuni/Ufersa), elegeu por meio de votação, os nomes que vão compor a Lista Tríplice, para a gestão 2024-2028, da Ufersa.

O resultado manteve em primeira colocação os nomes dos professores Rodrigues Nogueira Codes, para o cargo de reitor e, Nildo Dias, para o cargo de vice-reitor. O futuro reitor teve 22 votos, dos 23 assentos no Conselho Universitário. Um conselheiro não se fez presente na Assembleia Extraordinária.

A votação também manteve o nome da professora Ludimilla Oliveira e da professora Monique Lessa, na segunda colocação e, do professor Jean Berg e Manoel Quirino, na terceira colocação. A partir de agora, o Consuni tem 5 dias uteis para enviar  a Lista Tríplice ao Ministério da Educação.

“Momento histórico e de agradecimento pela prevalência da democracia na Universidade”, afirmou o reitor eleito. Na oportunidade, o professor Rodrigo Codes lembrou a consulta e eleição de 2020, quando saiu vitorioso, mas não assumiu a reitoria. O professor também agradeceu os votos recebidos na consulta. “Espero uma transição tranquila e harmoniosa, pois estamos muito motivados para trabalhar pela Universidade”, afirmou o professor e futuro reitor da Ufersa, professor Rodrigues, Codes, confiante na nomeação pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: Ufersa

Categorias
Matéria

Relatório descarta comprometimento da eleição em “denúncia” usada por reitora para golpear a eleição da Ufersa

O relatório da Superintendência de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal Rural do Semiárido (Sutic/Ufersa) descartou qualquer dano ao processo eleitoral ao averiguar denúncia de que houve matrículas de alunos tornados a votar durante o processo eleitoral da instituição no dia 4 de abril.

A denúncia encaminhada pela reitora não reeleita Ludmilla Oliveira teve descarte da possibilidade de dano. Segundo consta foram feitas seis matrículas todas devidamente autorizadas e ainda que fossem ilegais teria impacto insignificante no processo eleitoral.

Tendo em vista os dados levantados, pode-se responder aos quesitos levantados anteriormente. Para o quesito “Houve a ocorrências de outras matrículas durante a janela de execução da votação?”, a resposta é SIM, houve um total de 6 matrículas, realizadas por 4 servidores da UFERSA com permissões para tal. Para o quesito “Há impacto significativo de uma ou mais matrículas ou situações similares, supondo que todos votaram?”, a resposta é que NÃO, o impacto é ínfimo, de aproximadamente 0,005 pontos por matrícula/voto na diferença entre o argumento normalizado dos candidatos e não interfere nos resultados na votação. Impactos somente seriam percebidos com centenas de matrículas no dia e com todos os votos decorrentes destas indo para apenas uma das chapas”, explicou.

A denúncia foi usada pela reitora derrotada no dia 4 para adiar a reunião do Conselho Universitário (Consuni) que vai homologar a ordem da lista tríplice de onde o presidente Lula vai escolher o próximo reitor da Ufersa.

Categorias
Matéria

Ao estilo Bolsonaro, reitora tenta golpear eleição da Ufersa e se defende de críticas atacando jornalistas

A reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) Ludmilla Oliveira decidiu tumultuar o processo eleitoral da instituição ao adiar a reunião do Conselho Universitário (Consuni) da instituição que vai homologar a lista tríplice a ser enviada ao presidente Lula (PT).

A reitora alegou existir denúncias contra o processo eleitoral envolvendo a inclusão de mulher que não é professora da instituição na lista de docentes aptos a votar, inclusão de alunos especiais da pós-graduação na lista de votantes e a existência de um aluno matriculado no dia da eleição que alega direito a voto.

Ludmilla alegou que como reitora não poderia deixar de apurar as denúncias e para isso acionou a Polícia Federal. “Agora, como gestora, como servidora pública não posso fazer diferente, essa é a verdade! Há tempo suficiente, para a formação da LISTA TRÍPLICE e até agora, não entendi que desespero é esse, que não se pode aguardar a finalização dessas denúncias , até porque pelo próprio relatório da SUTIC, não temos hoje como obter lista de votantes do dia da votação e a quantidade de matrículas pode ter sido mais que uma, pois o SIGELEIÇÃO, não tem como fazer esse controle. Então, se fomos oficialmente provocados temos que responder”, alegou.

A atitude provocou forte reação negativa no meio acadêmico e várias críticas de jornalistas de Mossoró como o editor desta página, Saulo Vale e Magnos Alves.

A reitora, reagiu bem ao estilo Jair Bolsonaro, que a exemplo dela também tentou melar as eleições, atacando os jornalistas.

“Primeiro para não cair no ridículo como @blogsaulovale, não passar vergonha como @magnos.alves, e invocar o Leão da Tribo de Judá como fez @blogdobarreto de maneira desvairada. Além, do comportamento desprezível de pessoas, querendo falar em derrota e golpe, enfim, preciso respeitar o analfabetismo funcional de quem não quer saber a verdade. Teve até Deputada Estadual, deixando suas ocupações para se promover com o assunto. Respeitem à Reitora, ela só cumpre o seu papel, como servidora pública”, disparou nas redes sociais.

Essa é a terceira derrota de Ludmilla em disputas pela reitoria da Ufersa. Em 2020, ela ficou em terceiro lugar e só foi nomeada porque Bolsonaro não aceitou a vitória de Rodrigo Codes, que este ano mais uma vez venceu a eleição.

Nota do Blog: a reação da reitora não vai ficar sem resposta.

Confira o Relatrio_Pericial

Confira o ofício da Reitora adiando a reunião do Consuni 

Categorias
Análise

Vitória de Rodrigo Codes devolve estabilidade a Ufersa

A Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) voltará a ter na Reitoria alguém respaldado pelo voto da comunidade acadêmica. A decisão foi de fazer uma reparação histórica a quem há quatro anos venceu o pleito e foi impedido de assumir o cargo graças a um entulho autoritário em forma de lei que permite ao presidente da República escolher os comandos das instituições de ensino superior da União a partir de uma lista tríplice.

Descompromissado com as regras não escritas da democracia, Jair Bolsonaro viu em Rodrigo Codes um esquerdista e nomeou a terceira colocada Ludmilla Oliveira gerando quatro anos de instabilidade na Ufersa.

Agora esta instabilidade está com os dias contados por que o vencedor de 2024 foi o mesmo de 2020. Codes venceu entre os técnicos e os professores uma eleição dura, mas fazendo uma campanha limpa contra duas fortes estruturas de seus adversários.

Ludmilla, a despeito de todo o desgaste ainda conseguiu um segundo lugar sobretudo pela força da máquina. Uma eventual vitória dela traria consigo o peso dos atuais quatro anos em que ela pode se beneficiar das vantagens de estar no cargo de reitora nomeando apoiadores para funções gratificadas e atraindo o apoio de estudantes através de políticas públicas.

A continuidade de Ludmilla manteria a instabilidade. A vitória de quem ganhou e não pode assumir, no caso Codes, devolve a Ufersa a marca da estabilidade necessária para avançar como instituição de ensino superior.

Codes terá ao seu lado o vice-reitor eleito Nildo Dias. É uma dupla de pesquisadores renomados que trarão a Reitoria o perfil acadêmico perdido com Ludmilla, que protagonizou situações patéticas nas redes sociais.

Com Lula presidente não resta dúvida que a vontade da comunidade acadêmica será respeitada. A Ufersa voltará a ter paz.

 

Categorias
Matéria

Liderança: Rodrigo Codes é o candidato a reitor da Ufersa com maior engajamento no Instagram

Na ausência de uma pesquisa sobre a eleição de reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), um bom parâmetro para medir a popularidade dos candidatos são as redes sociais.

O Blog do Barreto fez um levantamento cruzando dados em vídeos do Instagram em três situações parecidas envolvendo Rodrigo Codes, Ludmilla Oliveira e Jean Berg.

Os números demonstram que Rodrigo Codes está em vantagem em termos de engajamento tanto no vídeo do lançamento da campanha, como no recorte de trecho de entrevista e na postagem de um trecho do debate.

Quem mais se aproxima dele é Ludmilla, a reitora que ficou em terceiro lugar na última eleição e foi nomeada pelo então presidente Jair Bolsonaro. Jean Berg tem apresentado um engajamento bem abaixo dos oponentes.

Rodrigo Codes chegou a esta campanha respaldado por ter vencido a eleição de 2020 em todos os segmentos e com discurso da reparação histórica pelo que sofreu há quatro anos.

A vantagem no engajamento reflete recall da eleição anterior e dá um sinal de que ele tem atraído mais atenção da comunidade acadêmica.

Confira os números:

Vídeo de lançamento da campanha

Rodrigo Codes: 30,2 mil visualizações

Jean Berg: 11,7 mil

Ludmilla Oliveira: 28 mil

Recorte da entrevista

Rodrigo Codes: 7.390

Jean Berg: 4.948

Ludmilla Oliveira: 4.248

Recorte do debate

Rodrigo Codes: 10 mil visualizações

Jean Berg: 3.772

Ludmilla Oliveira: não postou

Categorias
Matéria

TRF 5 mantém liminar que suspende efeitos da cassação do título de doutora da reitora da Ufersa

Blog Saulo Vale

A 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, com sede em Recife (PE), confirmou nesta quinta-feira, à unanimidade, a liminar do desembargador federal Edvaldo Batista da Silva Júnior que mandou a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) devolver o título de doutora à reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), professora Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira.

A decisão do colegiado ainda não foi publicada, mas a assessoria de comunicação da Corte confirmou ao Blog Saulo Vale, por meio de nota.

Prezado Saulo,

O processo foi julgado na 1ª Turma de Julgamento do TRF5 e o colegiado deu provimento ao agravo, suspendendo a decisão administrativa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), bem como todos os atos administrativos decorrentes dela, mantendo o título de doutora de Ludimilla Serafim Carvalho de Oliveira.

Atenciosamente, Débora Lôbo.

Divisão de Comunicação Social do TRF5

Em suma, a decisão desta quinta-feira confirmou a liminar que devolveu o título a Ludimilla até que todos os recursos judiciais sejam julgados em todas as instâncias, para que não “prejuízo irrecuperável” à reitora.

Entenda

Em 3 de junho de 2023, a UFRN cassou o título de doutora de Ludimilla ao aceitar uma denúncia de plágio, feita em 2020, na sua tese de doutorado. Ela entrou com recursos administrativos, que foram todos negados pela instituição e recorreu à Justiça.

Enquanto isso, em 31 de julho, o Conselho Universitário (Consuni), onde a oposição tem maioria, aprovou a destituição da reitora alegando que o estatuto da Ufersa só permite doutores no cargo mais alto da instituição.

O caso foi enviado para o ministro da Educação Camilo Santana, que não chegou a tomar uma decisão, porque em 24 de agosto houve a decisão monocrática do TRF que retomou o título a Ludimilla de forma imediata, até que todos os recursos fossem exauridos. A liminar, consequentemente, derrubou a votação do Consuni.

Categorias
Matéria

Prefeito assina ordem de serviço para construção de policlínica

O prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, assinou nesta quarta-feira (20), a ordem de serviço que autorizando o início da construção da Policlínica de Mossoró. O terreno onde está sendo construído o novo equipamento de saúde foi cedido pela Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), localizado em frente à BR-110, na avenida Francisco Mota.

O equipamento de saúde irá beneficiar a população de toda região do Alto de São Manoel, e de toda cidade, desafogando assim os atendimentos no PAM do Bom Jardim, oferecendo atendimento médico de qualidade e contribuindo para a melhoria dos serviços de saúde no município.

“Uma obra impactante para a saúde pública de Mossoró, será um equipamento moderno, com especialistas de diversas áreas, exames especializados, um benefício para a população que nós temos a satisfação de realizar,” disse Allyson.

“Nós estamos muito felizes em fazer parte desse momento, aqui será um espaço de desenvolvimento social, não só para atender uma demanda estudantil, no qual a UFERSA tem o prazer de contribuir, mas principalmente de poder continuar transformando e melhorando a qualidade de vida das pessoas,” disse José Rodrigues, Coordenador do curso de Medicina da Ufersa.

A Policlínica terá mais de 1.500 metros quadrados de área construída, com um investimento de mais de 10 milhões de reais para obra e equipamentos, e também faz parte do programa “Mossoró Realiza”.

Categorias
Reportagem

Eleição da Ufersa começa com marcas deixadas pelo impedimento candidato vencedor de tomar posse em 2020

A disputa pela Reitoria da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) começa no rescaldo dos traumas causados em 2020 quando Rodrigo Codes venceu em todos os três segmentos, mas foi impedido de tomar posse graças a um entulho autoritário que permite ao presidente da República nomear qualquer um dos três primeiros colocados.

Para azar da instituição, o presidente era Jair Bolsonaro que escolheu a terceira colocada Ludmilla Oliveira. Ela assumiu o cargo e sem se dar conta da falta de legitimidade política e do impacto da quebra de uma regra não escrita da democracia (a de sempre nomear o mais votado) mergulhando a Ufersa num caos institucional.

Foram quatro anos de turbulências dentro da instituição que ficou com a imagem arranhada.

Na eleição deste ano os três primeiros colocados de 2020 serão os concorrentes. Codes, o vencedor que não levou, a reitora que ficou em terceiro, e Jean Berg, que ficou em segundo lugar.

A história de 2020 será um dos motes da eleição da Ufersa e a retomada da legitimidade do voto na escolha do próximo reitor(a) será uma virada de página de uma crise que parecia não ter fim.

Categorias
Matéria

Chapa Rodrigo Codes/Nildo Dias registra chapa na disputa pela Reitoria da Ufersa

Os professores Rodrigo Codes e Nildo Dias fizeram a inscrição da chapa para concorrer à Reitoria da UFERSA, na tarde de ontem (11/03), na sede da ADUFERSA. A inscrição da chapa conhecida carinhosamente pela comunidade como a ‘chapa das patentes’ contou com a presença de apoiadores. Na ocasião os professores  entregaram o Plano de Gestão da chapa para a universidade, elaborado em conjunto com todas as categorias da instituição.

A campanha eleitoral será oficialmente iniciada no dia 16 de março, com a consulta marcada para o dia 04 de abril. Rodrigo Codes e Nildo Dias defendem uma gestão transparente e participativa, com foco na valorização das pessoas, no desenvolvimento e excelência acadêmica da UFERSA, no Ensino, Pesquisa, Extensão e acrescentando ainda um quarto campo, a Inovação.

A partir desta semana, a comunidade acadêmica está convidada a conhecer, debater e acompanhar as propostas da chapa Rodrigo Codes e Nildo Dias, para o futuro da universidade.

Categorias
Matéria

Rodrigo Codes reforça pré-candidatura à Reitoria da Ufersa

O professor Rodrigo Codes tem marcado presença destacando-se na mídia de Mossoró e Região nos últimos dias, divulgando a conquista das duas últimas cartas patente alcançadas pelo grupo em que integra na Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) e também, falando sobre a política institucional com a aproximação do processo eleitoral junto à comunidade acadêmica para a reitoria da instituição.

Rodrigo Codes venceu em 2020 para reitor da Universidade, sendo o mais votado nas três categorias – servidores docentes, técnico-administrativos e discentes – porém, o então presidente Jair Bolsonaro não considerou o processo democrático realizado na instituição e não o escolheu, dando início a uma crise interna pelo não reconhecimento da decisão tomada pela comunidade universitária.

Em entrevista concedida esta semana para o jornalista Saulo Vale, da rádio Rural de Mossoró e blog Saulo Vale, o professor Rodrigo Codes reforçou sua pré-candidatura à reitoria da UFERSA e apresentou o perfil do professor Nildo Dias, pré-candidato a vice-reitor, que irá compor a chapa com ele, formando assim, o que já carinhosamente vem sendo chamada pela comunidade ufersiana de #chapadaspatentes.

“O professor Nildo da Silva Dias do Centro de Ciências Agrárias é um grande pesquisador renomado nacional e internacionalmente, um nome de peso que irá somar na perspectiva de crescimento e avanços que almejamos realizar na nossa universidade”, destaca Rodrigo Codes.

Além disso, o professor Codes falou sobre os eixos norteadores de suas propostas, que incluem ações já dialogadas com as três categorias da universidade no Ensino, Pesquisa, Extensão e agora incluindo também a Inovação, com atenção especial para a busca de parcerias e investimentos que incluam o desenvolvimento de parques tecnológicos.

“Temos um ecossistema de inovação, chamado também de tríplice hélice – Universidade, governo e empresas e a Universidade precisa avançar muito nesse aspecto. A importância da conquista das cartas patente que nosso grupo conquistou, mostram a importância da pesquisa científica voltada para a solução de problemas que chegarão à sociedade. Assim, precisamos de políticas de empreendedorismo e inovação. É preciso fazer a articulação com todos os setores para que a universidade possa seguir esse caminho da inovação”, complementa Codes.

Nos próximos dias a comunidade ufersiana conhecerá o período de campanha para a escolha dos representantes à reitoria da universidade e acompanhará mais de perto as atividades e propostas dos professores Rodrigo Codes e Nildo Dias, para a UFERSA.