Categorias
Sem categoria

MP Eleitoral denuncia Kelps e Fábio Dantas por propaganda antecipada

O MP Eleitoral apresentou representação na Justiça Eleitoral contra os pré-candidatos Fábio Dantas, Kelps Lima e Luiz Eduardo Bento da Silva por propaganda eleitoral antecipada. Além dos três, é alvo da representação o marceneiro Francisco Wellington Lopes Paraguai, que expôs o material publicitário dos pré-candidatos em seu veículo.

No automóvel do marceneiro foram flagrados adesivos de Fábio Dantas, pré-candidato a governador; Kelps Lima, pré-candidato a deputado federal; e Luiz Eduardo Bento, pré-candidato a deputado estadual, nos quais a condição de pré-candidatos é praticamente imperceptível. Em depoimento ao MP, Francisco Wellington confirmou que obteve os materiais de pessoas diretamente ligadas aos outros três representados.

Para o procurador regional Eleitoral, Rodrigo Telles, a irregularidade se confirma exatamente pelos adesivos induzirem quem os vê a acreditar que as candidaturas já são oficiais e que a campanha já teve início. Apesar de precedentes jurídicos não considerarem que a colocação de adesivos em veículos no período pré-eleitoral caracterize, necessariamente, propaganda antecipada, tal modalidade de publicidade só deve ser aceita quando se tratarem de mensagens genéricas, “sem levar o eleitor a uma certeza (irreal) de que este ou aquele pré-candidato já ostenta a condição formal de postulante a um determinado cargo eletivo”.

O desrespeito a esse limite, aponta o representante do MP, pode levar o eleitor à falsa percepção de que a campanha eleitoral já foi deflagrada. No caso da representação, os envolvidos veicularam adesivos cuja explicação de se tratarem de pré-candidaturas é apresentada em uma “faixa com tonalidade de cor e tamanho de letra” que torna a expressão pré-candidato imperceptível.

Padrão e gastos

“Não há dúvidas de que, diante do atual entendimento jurisprudencial, dever-se-ia considerar lícita a conduta dos ora representados na hipótese de tais adesivos conterem, de forma expressa e visível, o esclarecimento de que eles apenas e tão-somente são ‘pré-candidatos’ aos cargos (…), o que, contudo, não ocorreu, uma vez que, conforme já registrado, em uma evidente estratégia de marketing, apresentaram-se como se já fossem candidatos, antecipando, assim, de forma ilícita, a campanha eleitoral”, resume Rodrigo Telles.

Some-se a isso o fato de os adesivos seguirem o padrão típico dos utilizados nas campanhas, com destaque para o nome do candidato e o cargo almejado. “Isso equivale a um pedido explícito de voto”, compara o procurador. No caso dos de Kelps Lima e Luiz Eduardo, há até mesmo referência a slogans: “Um Federal para Natal” e “Um Estadual para Natal”, respectivamente.

O gasto com esses materiais, reforça o MP Eleitoral, não farão parte da contabilidade de campanha, uma vez que esta sequer se iniciou, e “certamente escaparão da fiscalização da Justiça Eleitoral”, podendo desequilibrar a disputa em prol dos futuros candidatos que possuam poder econômico para investir nesse tipo de publicidade antes mesmo do período regular de propaganda se iniciar, o que ocorrerá a partir de 16 de agosto.

Além disso, os três são filiados ao mesmo partido, Solidariedade (SD), “o que evidencia que o estratagema ilícito em referência foi utilizado pelos principais pré-candidatos de tal agremiação partidária como forma de antecipar indevidamente a campanha eleitoral em favor deles”.

Fonte: MPF

Categorias
Matéria

Deputado se licencia do cargo para se dedicar a eleição

O deputado estadual Kelps Lima (SD) está se licenciando do mandato para se dedicar a campanha eleitoral quando tentará uma das oito vagas do Rio Grande do Norte na Câmara Federal.

Por meio da assessoria o parlamentar informou que vai aproveitar o período para fazer exames médicos e ajudar na formulação da sua pré-campanha e nas estratégias do seu partido, o Solidariedade.

A licença será de 120 dias e não será remunerada.

Quem assume no lugar dele é o empresário José Michael Lucena Diniz, de 27 anos. Ele é o segundo suplente da coligação e tem atuação política com base em Parnamirim, terceiro maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte, onde já foi vereador.

Nas eleições de 2018 ele recebeu 7.773 votos.

Nota do Blog: apesar de coincidir com algumas derrotas políticas de Kelps, como a recuperação de 70% do dinheiro dos respiradores, o afastamento do deputado já estava previsto para esse mês.

Categorias
Análise

Narrativa de Kelps é derrotada pelos fatos

Esta semana caiu uma mentira amplamente propagada pelo deputado estadual Kelps Lima (SD): a de que houve má fé da governadora Fátima Bezerra (PT) na compra malsucedida dos respiradores.

Essa conversa já nasceu derrotada pelos fatos por causa do relatório do Ministério Público de Contas que descartou corrupção por parte do Governo do Estado.

A CPI de Kelps não descobriu nada e ele ficou insinuando corrupção citando documentos sigilosos de investigações da Polícia Federal.

Esta semana o Governo recuperou 70% dos R$ 4,9 milhões. Para não passar embaixo, o deputado ficou procurando chifre em cabeça de cavalo e recebeu como reposta a ida do procurador-geral do Estado Luiz Antonio Marinho pessoalmente a Assembleia para entregar os documentos.

Coisa de quem não tem nada a esconder.

Kelps seguirá esperneando para acalentar os corações bolsonaristas que estão alheios a realidade, mas ele foi derrotado pelos fatos.

 

Categorias
Análise

Girão e Kelps travam disputa pelo voto bolsonarista

A disputa entre o deputado federal General Girão (PL) e o deputado estadual Kelps Lima (SD) pela preferência do bolsonarismo potiguar tem tudo para ser um campeonato à parte nas eleições deste ano no Rio Grande do Norte.

Desde que foi humilhado nas urnas quando tentou pela terceira vez ser prefeito de Natal, Kelps elevou o tom dos ataques contra a governadora Fátima Bezerra (PT) e transformou a CPI da covid na Assembleia Legislativa em um palanque para atrair o engajadíssimo eleitor bolsonarista.

Kelps não tem medido esforços para atrair o eleitor bolsonarista num vale tudo em que a verdade é um mero detalhe. Ele, inclusive, correu riscos ao vazar informações sigilosas de investigações do MPF e Polícia Federal sobre a compra malsucedida dos respiradores pelo Consórcio Nordeste.

Apostou e ganhou que Ministério Público faria vista grossa a esse comportamento.

Mais recentemente ele associou falsamente uma operação da Polícia Federal a um suposto resultado da CPI, o que levou a ser criticado até por jornalistas de direita da mídia natalense.

Girão já percebeu a pirotecnia de Kelps foca no eleitor que o elegeu em 2018. Ele já criticou o deputado estadual por fazer da CPI da Assembleia um palanque eleitoreiro.

Girão aposta nas pautas mais caras ao bolsonarismo raiz como endossar as ameaças golpista do presidente Jair Bolsonaro (PL) e ataques as instituições enquanto Kelps se firma no antipetismo e moralismo.

Mais recentemente Girão chamou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, de vagabundo.

A briga entre Kelps e Girão pelo voto bolsonarista vai ser agitada até 2 de outubro.

Categorias
Análise

Oposição bolsonarista força barra tentando associar operação da PF à CPI

A Polícia Federal cumpriu mais cedo uma operação com mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, Distrito Federal, São Paulo e Bahia. O alvo é a investigação da compra malsucedida dos respiradores do Consórcio Nordeste.

Logo a oposição bolsonarista correu para as redes sociais para associar a operação à CPI da covid na Assembleia Legislativa.

O deputado estadual Kelps Lima (SD), presidente da CPI, logo associou a operação à CPI sem explicar qual a relação. “Isso é pra que m disse que a CPI da

@AssembleiaRN ia dar em Pizza. E acho que ainda vem mais coisa….”, gabou-se.

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) foi outro que seguiu na mesma linha. “Anunciei que a CPI da COVID não daria em pizza, o que realizamos foi um trabalho sério, de respeito a testemunhas e indiciamento a culpados. Parabéns Polícia Federal, a Assembleia do RN dando exemplo ao Brasil na fiscalização dos recursos públicos. Ganhamos todos!”, jactou-se.

Os dois mentiram escandalosamente. Nenhuma informação sobre a ação da Polícia Federal sugere que exista relação com a CPI da Assembleia Legislativa.

Além disso, quem acompanhou os trabalhos da CPI sabe que não foi descoberta qualquer novidade tanto que Kelps Lima passou meses vazando informações relacionadas a documentos sigilosos das investigações da PF e Ministério Público Federal.

O “se colar, colou” foi tão escandaloso que até jornalistas da direita criticaram. Gustavo Negreiros, crítico duríssimo do PT, classificou Kelps como “parlapatão” ao explorar o assunto.

Forçaram a barra.

Categorias
Análise

Na política de Natal compensa mais mentir do que se explicar

Por Daniel Menezes*

Políticos pensam em termos de custos e benefícios. Em Natal, tomada pelo bolsonarismo entre quem manda e forma opinião publicada, é mais racional mentir do que se explicar por um possível erro ou situação contraditória. Se explicar significa admitir. E como mentir não gera reprimenda, acaba saindo melhor.

O deputado estadual Kelps Lima mentiu sobre o modo como se deu o fim da CPI da Arena das Dunas. O que acontecerá com ele? Nada. Não será criticado nos principais jornais e blogs. No máximo a questão será posta como a sua versão versus a aquela que a contraria. A verdade não será buscada e nem cobrada. Em tempos normais, teria de se explicar sobre a contradição que representou dentro do poder legislativo que faz parte o tratamento diferenciado concedido a CPI da Covid e a da Arena das Dunas.

Até hoje as mentiras sobre a proteção contra covid por uso de vermífugo, ditas por membros da prefeitura do Natal e pelo próprio prefeito, passam impune na cidade. Nunca existiu, nem existirá, uma autocrítica. Sairá de graça a enganação e a irresponsabilidade.

*É professor da UFRN e editor de O Potiguar.

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

Categorias
Análise

Kelps acusa o golpe por análise do Blog do Barreto e mostra mais uma vez a própria incoerência

O Blog do Barreto na última terça-feira postou uma análise sobre o silêncio do deputado estadual Kelps Lima (SD) após o prefeito Allyson Bezerra (SD) encontrar dificuldades para pagar o piso nacional dos professores alegando questões jurídicas (ver AQUI).

Pois bem!

Após o prefeito entrar em acordo com os professores para pagar o piso de forma parcelada o deputado gravou um vídeo fazendo referência à postagem do Blog como “turma do PT”.

Kelps celebra um acordo que Allyson fez em condições semelhantes ao que a governadora Fátima Bezerra (PT) com parcelamento a perder de vista (ver AQUI).

Kelps sentiu o peso da contradição que pairou sobre seus ombros e o registro de seu silêncio.

Para confirmar o que escrevemos, ele voltou a falar após Allyson fazer o acordo.

Um diferencial, nas palavras de Kelps, é que a governadora encarou uma greve. Vale lembrar que os professores estavam com um indicativo de greve aprovado e que a categoria em Mossoró não sofre as mesmas pressões políticas em nível estadual.

Com um ar triunfante de quem acha que está saindo por cima, Kelps voltou a posar de paladino da moral citando o desempenho dele na CPI da pandemia na Assembleia Legislativa onde não fez nada além de pirotecnia e vazar informações sigilosas.

O Blog incomoda o deputado porque aponta suas contradições e incoerências.

A propósito: o deputado, que tem base eleitoral em Natal, tem o que dizer sobre o prefeito Álvaro Dias (PSDB) que não atualiza o piso dos professores desde 2020 e ainda não deu uma palavra sobre os 33,25%?

Diferente de Kelps essa pagina reconhece as dificuldades que envolvem pagar um reajuste dessa magnitude e parabeniza Allyson e Fátima por terem buscado e conseguido costurar um acordo com os professores.

Kelps escolhe ter dois pesos e duas medidas em sua incoerente cruzada em busca do voto bolsonarista.

Por fim deixo o vídeo em que Kelps elogia Allyson por ter feito algo parecido com o que Fátima fez. Pena que ele não teve a honestidade intelectual de registrar que o Blog noticiou o acordo (confira AQUI).

Categorias
Sem categoria

Problemas de Allyson calam Kelps

O prefeito Allyson Bezerra (SD) vem tendo dificuldades neste início de ano que colocam o seu partido contra a parede no papel de oposição a governadora Fátima Bezerra (PT).

Primeiro foi a reforma da previdência municipal que foi aprovada graças a um acordo envolvendo oposição e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindserpum).

Mas o bicho pega mesmo é no pagamento do piso dos professores. Enquanto o foco era só sobre a governadora o deputado estadual Kelps Lima, principal líder do Solidariedade no RN, manteve o estilo histriônico de combater o PT. Acusou a petista de trair os professores dentre e disparou outros impropérios enquanto Fátima negociava com a categoria.

Mas aí os deputados do Solidariedade Cristiane Dantas e Subtnente Eliabe entraram na onda e no dia 23 de fevereiro foram enquadrados pelo líder governista Francisco do PT (ver AQUI) que lembrou das dificuldades enfrentadas pelo prefeito de Mossoró que aquela altura do mês passado ainda não tinha sentado para conversar com os professores.

Kelps percebeu que era hora de dar um tempo na oposição histérica que vinha fazendo desde meados do ano passado, quando após um retumbante fracasso eleitoral nas eleições de 2020, decidiu radicalizar em busca do eleitorado bolsonarista.

O último ataque contra Fátima postado no feed do seu perfil no Instagram foi no dia 22 de fevereiro, um dia antes da enquadrada de Francisco nos deputados do Solidariedade. De lá em diante o assunto do piso dos professores foi deixado de lado e o foco foi no lançamento da pré-candidatura a deputado federal.

Para piorar a gestão de Allyson chegou a dizer na semana passada que os professores da rede municipal de Mossoró não tinham direito ao reajuste de 33,24%.

Kelps tomou chá de sumiço.

Categorias
Matéria

Partido de Kelps serve a pizza da CPI da Arena

O Solidariedade, liderado no Estado pelo deputado estadual Kelps Lima, se notabilizou na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid pelo moralismo excessivo.

Presidente da CPI, Kelps constrangeu servidores de carreira, discutiu cada contrato nos mínimos detalhes e vazou impunemente documentos sigilosos fazendo sempre comentários capciosos para incriminar adversários. Ele acusou o relator Francisco do PT de proteger aliados e ele mesmo assumiu a função fazendo aprovar uma versão paralela da conclusão das investigações para pedir o indiciamento da governadora Fátima Bezerra (PT) mesmo o Ministério Público de Contas descartando corrupção e a chefe do executivo estadual tendo entrado na Justiça para reaver os famosos R$ 5 milhões.

Tudo em nome da moralidade com a coisa pública.

Agora o Solidariedade está do outro lado do balcão assando a pizza da CPI da Arena das Dunas que aborda dentre outras coisas o sobrepreço de R$ 400 milhões nos contratos do estádio da Copa do Mundo de 2014, um valor 80 vezes maior que o da compra malsucedida dos respiradores. Sem contar que a ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) é investigada por corrupção na Operação Mão na Bola (Polícia Federal) que apura propina paga no valor de R$ 15 milhões pela OAS.

Apesar de todos esses fatos bem mais pesados, o deputado estadual Subtenente Eliabe, do moralista Solidariedade, vai se alinhar com os antigos aliados de Rosalba e ajudar a enterrar a CPI sem direito a ter sequer um relatório para apresentar a sociedade.

Nessa hora o moralismo engasga na goela.

Nota do Blog: a trupe de Kelps já demonstrava isso quando um dos vereadores do moralista Solidariedade, Klaus Araújo, se recusou a investigar a gestão do prefeito de Natal Álvaro Dias (PSDB) na CEI dos respiradores. Olhe que a Operação Rebotalho, da Polícia Federal, apontou prejuízos milionários pela aquisição de respiradores obsoletos.

Categorias
Análise

A oposição já deveria estar trabalhando Kelps para servir de “preposto” na disputa pelo Governo

A oposição bate cabeça na busca por um candidato ao Governo do Rio Grande do Norte. Quem deveria entrar na disputa não tem coragem. Quem tem coragem tem déficit de votos.

O tempo vai passando e ficando cada vez mais difícil encontrar um nome capaz de crescer rápido sendo candidato de última, o que aumenta a necessidade de alguém com o discurso mais agressivo e sem escrúpulos na hora de atacar os adversários.

O nome que reúne as qualidades (sic) para ser o trator para atrair os 40% que desaprovam a governadora Fátima Bezerra (PT) é o do deputado estadual Kelps Lima (SD).

Ele tem boa retórica, não tem dificuldade em bater de frente com os fatos e o melhor de tudo é poder se gabar de ter sido oposição ao ex-governador Robinson Faria (PSD).

Kelps é o que restou para o sacrifício.