Categorias
Artigo

Paulinho Freire abraça o bolsonarismo pensando no segundo turno, mas entrega eleitor de Lula de bandeja a Carlos Eduardo

Ao assinar o pedido de impeachment do presidente Lula (PT) por causa das críticas que ele fez ao massacre que o governo de Israel faz aos palestinos, o deputado federal Paulinho Freire (União) fez um aceno ao eleitor bolsonarista.

Em terceiro lugar na última pesquisa divulgada pelo Instituto AgoraSei, Paulinho quer atrair o eleitor bolsonarista para sonhar com um segundo turno.

Para o momento a estratégia faz sentido.

Mas lá na frente ele pode pagar um preço alto. É que esse posicionamento será lembrado pelo eleitor lulista e em um eventual embate com o líder folgado nas pesquisas Carlos Eduardo Alves (PSD) ele perderia o eleitor do presidente que venceu na capital potiguar nos dois turnos em 2022 e mantém bons índices de aprovação.

Paulinho agiu pensando no presente sem pensar no futuro.

Categorias
Análise

Sucessões de erros faz Álvaro Dias ficar sem candidato competitivo em Natal e perder o controle da sucessão

Enquanto a popularidade ia despencando na atual quadra histórica, o prefeito do Natal Álvaro Dias (Republicanos) agia como se ainda estivesse com mais de 60% de aprovação, o que lhe daria condições pinçar qualquer nome e tornar competitivo nas eleições da capital.

Um fato sintomático de que o prefeito da capital perdeu o controle da sucessão é que um atual desafeto de Álvaro, o senador Rogério Marinho (PL), convidou publicamente Álvaro para um entendimento em torno do deputado federal Paulinho Freire (União).

Paulinho, outro ex-aliado de Álvaro, seria o candidato natural do grupo do prefeito. Mas os dois se afastaram no ano passado.

Álvaro tentou inventar de todas as formas um sucessor que pudesse controlar. O nome escolhido foi o da secretária de planejamento Joana Guerra, uma figura desconhecida, que obviamente tem dado traço nas pesquisas.

Com pouco mais de 30% de aprovação nenhum estrategista político sério recomendaria a um prefeito apostar num “poste” com uma popularidade neste patamar. Álvaro insistiu no erro mesmo tendo ao seu lado um nome bem aceito, com bom trânsito no campo progressista e conhecido como o ex-deputado federal Rafael Motta (PSB).

Foi outro erro.

Álvaro age como se ainda fosse um prefeito popular. Brigou com Rogério, com Paulinho, teve uma tentativa frustrada de aproximação com o PT, está desperdiçando a chance de investir em Rafael Motta e segue numa estratégia fadada ao fracasso com Joana Guerra.

Uma sucessão de erros de um prefeito que está olhando para 2024 pensando em 2026 quando deseja disputar o Governo do Estado sem se tocar que está enfraquecido na própria capital do Estado.

Enquanto fazia apostas erradas, fortalecia ex-aliados. Paulinho se entendeu com Rogério e agora é terceiro colocado nas pesquisas. O senador já fez um chamado público para fumar o cachimbo da paz com o prefeito porque sabe que Álvaro já não controla a própria sucessão.

 

Categorias
Matéria

Paulinho Freire se alinha ao bolsonarismo e assina impeachment de Lula por fala crítica a Israel

O deputado federal Paulinho Freire (União) mandou a moderação às favas e decidiu se alinhar ao bolsonarismo mais escrachado e assinou o pedido de impeachment do presidente Lula (PT) sugerido pela deputada Carla Zambelli (PL/SP), aquela que percorreu ruas de São Paulo apontando arma para um jornalista negro na véspera do segundo turno de 2022.

Paulinho seguiu a linha de entendimento de que ao criticar o massacre que Israel promove contra o povo palestino, Lula incitou guerra com país estrangeiro, o que seria crime de responsabilidade.

“As declarações do presidente Lula não apenas comprometem a dignidade de um momento histórico de profunda tristeza e sofrimento, mas também colocam em risco as relações diplomáticas com Israel e ofendem a comunidade judaica mundial,” disse Paulinho à Tribuna do Norte ao justificar a posição.

Apesar de ter votado a favor em 60% das proposições do governo Lula, Paulinho decidiu seguir a linha radical dos deputados General Girão e Sargento Gonçalves, os “bolsonaristas raiz” da bancada potiguar.

Paulinho terá o apoio do senador Rogério Marinho (PL), líder do bolsonarismo no Rio Grande do Norte, na eleição para prefeito de Natal deste ano.

 

Categorias
Matéria

Paulinho Freire lança pré-candidatura com apoio de cinco partidos

O auditório do Arena das Dunas foi palco nesta manhã de terça-feira, 23, para o lançamento do Deputado Federal Paulinho Freire à pré-candidatura a Prefeitura de Natal, contando com o apoio do União Brasil, o qual faz parte, e dos Partidos PSDB, PP, PL E PODEMOS.

Momento importante em sua trajetória política e de retribuição a cidade que há 30 anos trabalha em prol do seu desenvolvimento.

“Natal é a cidade que nasci, que vivo e amo. Conheço seus problemas, desejo e me sinto pronto para buscar soluções. A festa de hoje foi o pontapé inicial para uma longa caminhada, onde vamos contar com o apoio de todos que conhecem a minha história e que partilham do mesmo sentimento: Construir uma Natal melhor para todos!”

O evento contou com a presença dos Senadores Rogério Marinho (PL) e Styvenson Valentim (Podemos) e dos Deputados Federais Benes Leocádio (União Brasil) e João Maia (PP), e a participação do Presidente estadual do UB, ex-senador José Agripino. Além dos Deputados Estaduais Ivanilson Oliveira e Taveira Junior (UB), Tomba Farias, Dr. Kerginaldo Jácome, Gustavo Carvalho (PSDB), Prefeitos de diversos município e mais 15 Vereadores da capital que declararam apoio a sua pré-candidatura.

Categorias
Matéria

Projeto que inclui Pingo da Mei Dia no calendário turístico nacional avança na Câmara dos Deputados

A Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL no. 3035/2023) de autoria do Deputado Paulinho Freire que inclui o do Pingo da Mei dia no Calendário Turístico Oficial Brasileiro.

Conhecido por ser o maior “bloco junino” do país, a festividade se destaca por sua irreverencia e riqueza cultural, fortalecendo o nome de Mossoró na programação junina do nordeste e do Brasil. Neste ano cerca de 200 mil pessoas participaram do evento.

“O Mossoró Cidade Junina é a maior festa de São João do Estado, o Pingo já ganhou força e fama por sua beleza e alegria. Precisamos ampliar seu alcance por todo o país para valorizar nossa cultura e fomentar ainda mais o turismo mossoroense”, declara Paulinho Freire.

A proposição seguirá para apreciação da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania- CCJ, na Câmara dos Deputados.

Categorias
Matéria

Álvaro Dias faz mudanças no secretariado e acomoda indicados de deputados

Agora RN

O prefeito de Natal Álvaro Dias fez novas mudanças no secretariado. Já publicadas no Diário Oficial nomeações para cargos de gestão na Secretaria de Mulheres, Assistência Social e no Procon.

A ex-secretária de Esporte Jódia Melo, indicada do deputado federal Paulinho Freire, foi nomeada para Secretaria de Mulheres. Ela terá como adjunta Nina Salustino, mãe do ex-deputado federal Fábio Faria. Todas nomeações já assinadas pelo prefeito de Natal Álvaro Dias.

Já Caio Targino, cunhado do deputado federal João Maia, será o novo diretor adjunto do Procon, cargo antes ocupado por Emerson Osório, irmão do presidente da Câmara de Natal Ériko Jácome.

Mudanças também na Secretaria de Trabalho e Assistência Social. Zezinha Medeiros volta a ser adjunta da pasta.

Categorias
Matéria

Só os bolsonaristas Girão e Gonçalves votam contra taxação de super ricos e offshores

Após o presidente Lula da Silva (PT) ceder a presidência da Caixa Econômica Federal ao centrão a Câmara dos Deputados aprovou por 323 x 119 o texto-base do Projeto de Lei que estabelece a taxação sobre offshores e fundos especiais de investimentos, conhecida como taxação dos super ricos.

Da bancada do Rio Grande do Norte só os bolsonaristas General Girão e Sargento Gonçalves, ambos do PL, votaram contra.

Os deputados do centrão beneficiados por cargos na estrutura federal no Estado, João Maia (PP) e Benes Leocádio (União) também votaram a favor. Os outros dois, que integram este segmento, Paulinho Freire (União) e Robinson Faria (PL), mesmo sem estarem integrados ao governo, votaram a favor.

Os petistas Fernando Mineiro e Natália Bonavides, defensores históricos da taxação dos super ricos votaram a favor da matéria, que é considerada uma vitória do governo Lula e do ministro da fazenda Fernando Haddad.

Categorias
Artigo

Perda de popularidade, busca por recursos federais e sinais de isolamento na própria sucessão explicam estratégia de Álvaro Dias ao forçar barra com Lula

Com a popularidade em declínio (em outubro de 2020 ele tinha 65% de aprovação e em maio deste ano apenas 33%, segundo o Instituto Seta), o prefeito Álvaro Dias (Republicanos) tem tentado se virar nos 30 para se manter influente no processo sucessório do ano que vem.

Vale tudo.

Até deixar a condição de apoiador incondicional do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), com direito a negacionismo na pandemia e orientação a empresários para fazer assédio eleitoral em funcionários, para fazer discurso enaltecendo a trajetória vitoriosa do presidente Lula da Silva (PT).

Álvaro está em baixa.

Isolou-se politicamente ao brigar com o senador Rogério Marinho (PL) e ao se distanciar do presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB). Tentou diversas vezes este ano flertar politicamente com a governadora Fátima Bezerra (PT), sendo solenemente ignorado.

O prefeito sabe tanto que está isolado que mesmo após a rejeição pública que sofreu do PT natalense continua admitindo apoiar a deputada federal Natália Bonavides na sua sucessão “desde que ela amadureça”. Antes da declaração ele precisou requentar a parceria política com o ex-deputado federal Rafael Motta (PSB) para mostrar que não está só.

Álvaro faz isso ávido por recursos federais após tomar um calote de Rogério Marinho nas promessas de campanha que resultaram em obras inacabadas que geraram caos urbano em Natal que somadas aos desastres no transporte público e na saúde minaram a popularidade do prefeito que nem a blindagem midiática foram suficientes para conter o declínio da imagem.

Álvaro precisa de recursos.

O Diário do RN divulgou esta semana que ele já recebeu 40% mais verbas federais este ano do que em 2022, último ano do Governo Bolsonaro. Ainda assim ele precisa demais dinheiro para voltar a ter controle da sucessão.

O cenário ideal era botar alguém de confiança, como o filho e deputado estadual Adjuto Dias (MDB), mas isso é inviável juridicamente. Então restaria um secretário, o que a popularidade baixa indicaria um vexame nas urnas. Resta ao prefeito apoiar um nome com mais peso político como Rafael Motta ou o deputado federal Paulinho Freire (União).

Para isso, é preciso mais uma vez ser bem simpático ao presidente Lula para ter mais recursos federais, terminar as obras inacabadas e ficar perto do presidente que é bem avaliado na capital, onde venceu nas eleições do ano passado.

A estratégia é forçada, estranha e até constrangedora, mas faz sentido.

Categorias
Matéria

Deputado emplaca ex-prefeito como novo diretor do DNOCs no RN

O deputado federal Benes Leocádio (União) indicou o ex-prefeito de Major Sales, região Alto Oeste do Rio Grande do Norte, Thales André Fernandes como novo coordenador regional do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) no Estado.

Thales foi o quarto vice-presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) quando Benes presidiu a entidade no biênio 2017/18.

O DNOCS estava reservado para o deputado federal Paulinho Freire (União), mas ele tem reiterado a posição de “independência” e mantido diálogo com elementos da extrema direita como o senador Rogério Marinho (PL) e da direita como o prefeito do Natal Álvaro Dias (Republicanos) com vistas as eleições do ano que vem.

Paulinho é pré-candidato a prefeito do Natal.

Benes vinha já tinha emplacado o empresário Lindberg Tinoco como superintendente regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

As duas indicações passaram pelo crivo da governadora Fátima Bezerra (PT).

Categorias
Matéria

Assembleia reúne mais de 70 prefeitos e bancada federal para fechar apoio a projeto que amplia o FPM

O presidente da Assembleia Legislativa do RN, deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), prestou solidariedade e declarou apoio irrestrito aos prefeitos Norte-Rio-Grandenses durante reunião realizada na manhã desta segunda-feira (18), com objetivo de solicitar apoio dos parlamentares ao aumento do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O encontro reuniu mais de 70 prefeitos, além de deputados estaduais, federais, senador, prefeitos e presidentes de associações que representam os gestores municipais na sede do Legislativo estadual.

“Os prefeitos do Rio Grande do Norte têm, desta Casa Legislativa, apoio absolutamente irrestrito. Sabemos das dificuldades dos municípios e estamos aqui para dar as mãos e fazer um apelo à bancada federal para que todos possam se somar nessa luta, que é a luta municipalista e, não tenho dúvidas, que a bancada federal está aqui para hipotecar essa solidariedade e apoio. Todos nós sabemos que a vida acontece nos municípios”, afirmou.

Na oportunidade, Ezequiel Ferreira anunciou que as emendas dos deputados estaduais destinadas aos municípios e que estavam atrasadas, estão sendo liberadas desde sexta-feira passada. “Diante de uma negociação feita, começaram a ser liberadas. Temos o compromisso de fazer essas emendas chegarem aos municípios até o final deste mês, valores na ordem de R$ 1 milhão de cada deputado. Esse foi o compromisso assumido e o restante será pago até o final do ano”, destacou.

A bancada federal foi representada pelo senador Rogério Marinho (PL) e pelos deputados federais Sargento Gonçalves (PL), Benes Leocádio (União), Robinson Faria (PL) e Paulinho Freire (União). “É o sentimento de solidariedade que nos une. Por isso, estaremos irmanados, buscando soluções de curto prazo para resolver questões emergenciais, mas lembrando que a questão estrutural de médio e longo prazo, só poderá mudar se o Governo Federal mudar a forma que está tratando a economia no país”, declarou Rogério Marinho.

O discurso de união e reconhecimento da importância de se dar condições administrativas para os municípios foi comum na fala de todos os representantes da bancada federal potiguar. “A bancada federal está 100% unida, independente de partido. Nossa ideologia é o RN”, disse Robinson Faria. Já o deputado federal Sargento Gonçalves chamou atenção para propostas apresentadas que, muitas vezes, segundo ele, contém aumento de tributos. “Eu voto pelo povo”, disse. Os deputados federais Benes Leocádio e Paulinho Freire também contribuíram com suas explanações.

Durante a reunião, o presidente da Femurn, Luciano Santos, esclareceu que os repasses feitos aos municípios foram reajustados mas a questão, ressaltou, é que “o aumento não acompanha as despesas que prefeitos e prefeitas abraçam com seus municípios”. E destacou insumos que tiveram aumento de 100% a 200%, além do reajustes de salários, como dos professores, por exemplo. “Estamos pedindo condições de administrar os municípios para atender as pessoas. Queremos que os municípios estejam fortes para que nossas cidades possam crescer e oferecer os serviços essenciais”, disse.

Também estiveram presentes os deputados estaduais Cristiane Dantas (SDD), Luiz Eduardo (SDD), Ubaldo Fernandes (PSDB), Isolda Dantas (PT), Francisco do PT, Tomba Farias (PSDB), Dr. Bernardo (PSDB), Dr. Kerginaldo (PSDB), Taveira Júnior (União), Kleber Rodrigues (PSDB), Terezinha Maia (PL) e George Soares (PV).

O encontro ainda teve a participação de mais de 70 prefeitos e presidentes de associações que representam os gestores municipais.

Entenda

A solicitação dos prefeitos pelo aumento do FPM é uma pauta nacional dos municípios brasileiros. O Fundo de Participação dos Municípios registrou uma queda de 11,7% neste mês de agosto. Esse declínio, destacam os prefeitos, tem levado a crises financeiras enfrentadas diante da comprovação de diminuição de arrecadação oriunda da oscilação do FPM.

Dentre as pautas de reivindicações apresentadas destacam-se a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 25/2022, que propõe o aumento de 1,5 ponto percentual no FPM, passando de 22,5% para 24%, e o Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 98/2023, que busca excluir da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) a contabilização do gasto com pessoal de empresas terceirizadas. Além disso, a discussão sobre a Reforma Tributária Nacional também integra as pautas de reivindicação dos prefeitos.